A Saga dos Caiado

Depois de uma década e meia gasta em pesquisas de campo, organização do material coletado, redação e edição da obra, o maior projeto da carreira da historiadora Lena Castelo Branco será lançado hoje. Os dois volumes de Poder e Paixão – A Saga dos Caiado, amplo estudo historiográfico sobre uma das mais importantes e duradouras famílias políticas de Goiás, serão autografados pela autora a partir das 20 horas, na Sala Dona Gercina do Palácio das Esmeraldas, na Praça Cívica. Publicado pela Cânone Editorial, o livro já é considerado leitura obrigatória para se entender as fases da política goiana.

Os volumes recuperam, de maneira exaustiva, a história de um dos sobrenomes mais poderosos de Goiás, desde a partida do primeiro Caiado, de um pequeno povoado português, até o ingresso na política local e os períodos em que a família esteve no poder. Os episódios cruciais dessa jornada de mais de 150 anos são relatados em detalhes. Uma das figuras centrais do estudo de Lena, escrito em narrativa fluida e absorvente, é o ex-governador e ex-deputado federal Totó Caiado, que liderou o clã no final do século 19 e início do 20 e foi o nome central do grupo que predominou na política goiana na chamada República Velha, antes da Revolução de 1930, liderada por Getúlio Vargas.

O livro tem chamado a atenção por lançar um olhar diferente sobre os Caiado, família que habita o imaginário de muitos como sinônimo de violência e ambição política. Lena problematiza essa visão arraigada sobre os Caiado, revelando no estudo que os processos contra a família depois de ela ser apeada do poder na era Vargas não provam que todos os crimes a ela imputados tenham de fato ocorrido. A historiadora lança a hipótese de que muitas das histórias depreciativas em relação aos Caiado podem ter surgido de uma imagem construída contra os membros do clã por aqueles que os venceram na época.

Para realizar a pesquisa, a autora conseguiu acesso à correspondência particular de vários membros da família, sobretudo a cartas referentes a períodos nevrálgicos da história dos Caiado. Com isso, foi possível abordar não só o perfil público dos principais personagens, como também a vida privada de homens poderosos e mulheres com histórias de vida muito interessantes. Além disso, Lena recolheu dados em arquivos de Goiás, Rio de Janeiro, São Paulo e até de Portugal, checando informações e fazendo descobertas surpreendentes.

A professora Lena, que tem diversos livros publicados e por muitos anos lecionou na Faculdade de História da UFG, salienta que o livro não é uma defesa dos Caiado e sim uma leitura mais equilibrada da história. Isso quer dizer que a era Pedro Ludovico Teixeira, opositor de Totó Caiado e que transferiu a capital da cidade de Goiás para Goiânia, também é revisitada. O que não deixa de ser irônico é que o livro foi lançado na sala que leva o nome da mulher de Pedro Ludovico, no palácio por ele construído. Palácio esse que só teve um Caiado como morador: Leonino di Ramos Caiado, governador do Estado de 1971 a 1975.

FONTE: O Popular

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *