Ronaldo Caiado critica atitude de Kassab ao sair de DEM: “Não tem princípios”

No período de pré-criação do Partido Social Democrata (PSD), o deputado federal Ronaldo Caiado (DEM) afirmou em entrevista concedida à RÁDIO 730 que se deve analisar primeiramente as situações que estão sendo colocadas.

“O que esperávamos após a campanha eleitoral é que o Kassab (ex-DEM-SP) fosse ao mínimo grato a um partido que o alavancou, e fez com que ele se tornasse uma expressão política nacional, até porque sabemos que ele não tem carisma”, declara.

O deputado ainda afirmou que o atual prefeito de São Paulo só chegou à condição de vice-prefeito de José Serra (PSDB) por uma posição firme do partido, impondo o nome dele como candidato à vice.

“Esperava-se que Gilberto Kassab fosse ao menos grato, e isso mostra que pessoas como ele não têm princípios, lealdade e dignidade, e que o interesse público não importa, e sim apenas o seu projeto pessoal. Qual o grau de lealdade um homem desse possui?”, destaca.

Caiado lembrou que no discurso feito em São Paulo em São Paulo por Kassab, o prefeito disse que vai ser apoio a Dilma Roussef (PT), mas também a Geraldo Alckmim (PSDB). Para o democrata, isso é uma “esquizofrenia”.  

Escute abaixo a entrevista na Rádio 730

CCJ aprova PEC dos Suplentes

A PEC dos Suplentes (PEC 2/11), do deputado Ronaldo Caiado (GO) foi aprovada na manhã dessa quarta-feira (23) na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara. A proposta determina que a vaga de deputado ou vereador que se licenciar, renunciar ou perder o mandato será preenchida pelo suplente mais votado da coligação, quando o seu partido tiver integrado coligação.

O líder do DEM, ACM Neto(BA),disse que a PEC mantem ordem na Casa e que o STF legislou por liminar em alguns casos de decisão de posse de suplentes. “O esforço do deputado Caiado é para dar suporte jurídico a algo que já é jurídico”, disse.

O relator da PEC na CCJ, deputado Mendonça Filho (PE) disse que “a regra do jogo não pode mudar depois de o jogo começar”. “Isso gerou uma insegurança política e PEC pretende apenas o cumprimento da Lei”, completou.

Para Ronaldo Caiado, a aprovação da admissibilidade da proposta garante segurança jurídico-eleitoral e apenas legitima o que sempre foi lei nas regras eleitorais. A proposta segue para a comissão especial e em dez dias o relator deve apresentar o parecer, para então, a discussão entrar no Plenário da Casa.

Caiado debate reforma política em seminário na Câmara

A Câmara dos Deputados promoveu nesta segunda-feira (21/03) o seminário “Desafios do Poder Legislativo” para discutir o sistema eleitoral, partidário e a representação política. Contou com a participação do coordenador do Democratas sobre a reforma política na Casa, o deputado Ronaldo Caiado (GO).

Durante oito anos em que o parlamentar estuda e já foi relator da reforma política, Caiado garante que não obteve sucesso por algumas falhas no processo, mas que já estão sendo corrigidas nesta legislatura, com a orientação de todos os assessores e consultores da Casa. "Não aceitaremos remendos nesse processo. Será uma reforma completa", disse.

“Esse é um tema polêmico, nunca saiu do papel, o que vimos até o momento foram remendos, foram modificações fatiadas, e nunca tivemos uma mudança substantiva do sistema eleitoral brasileiro para podermos aprovar novas regras que dê espaços para as pessoas de bem, que têm espírito público e enxergam a política como um bem maior na luta pelos
interesse da sociedade”, complementou.

Caiado disse ainda que o financiamento público de campanha só será possível com a implantação da lista fechada. O deputado goiano explicou que os partidos serão obrigados a colocar bons nomes à disposição da população e os tribunais regionais eleitorais poderão fiscalizar melhor as contas de campanha. "É uma arma poderosa para atacar o caixa 2. Cada TRE terá que fiscalizar apenas os partidos, não aquelas centenas de candidatos", disse.

Para o deputado Ronaldo Caiado esse seminário foi importante para o fortalecimento do debate sobre a reforma política. “Foi uma oportunidade ímpar, para falar com tantos formadores de opinião, que irão nos ajudar nesse empenho, nessa luta, para que possamos elaborar um novo sistema eleitoral e transformar o Congresso Nacional em casa das pessoas que tenham compromisso com a sociedade brasileira”, disse.

Participaram do debate, além de Caiado, também vice-presidente do Democratas, os professores Renato Lessa (UFF) e Jairo Nicolau (IESP – UERJ) como expositores. O coordenador da mesa foi Antônio Octávio Cintra, consultor legislativo da Câmara dos Deputados.

Caiado e MCCE defendem reforma política ampla, com lista preordenada e financiamento público

Representantes do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) declararam nesta quinta-feira (17/03) apoiar a lista fechada e o financiamento público exclusivo de campanha na reforma política proposta pela Câmara. Mas o grupo defende uma reforma mais ampla.

A declaração foi dada após reunião com o deputado Ronaldo Caiado (GO), na Liderança do Democratas. O encontro foi organizado para inserir a sociedade nas discussões da reforma política.

O MCCE convidou o deputado para participar, no próximo dia 30, na Câmara dos Deputados, do lançamento da Iniciativa Popular pela Reforma Política.

Caiado explicou os regimentos internos da Casa e pediu mobilização do MCCE junto à sociedade para que dois pontos fossem ressaltados: lista preordenada e financiamento público de campanha.

“Esses dois pontos precisam ser aprovados em conjunto, caso contrário seremos utilizados como massa de manobra para o ‘distritão’ e a janela da infidelidade”, disse o democrata.

“Se perdermos o foco, seremos usados. Precisamos quebrar a cultura da compra e venda de votos”, complementa Caiado. “O Brasil é feito em sua maioria por cidades pequenas. Se um prefeito, por exemplo, resolve usar a máquina, na maioria dos casos, não há quem o segure. Isso precisa acabar. A força de vontade dos mais jovens, a aptidão para a política, tem de prevalecer em detrimento da máquina pública”, explicou.

Os integrantes do MCCE explicaram ao deputado que o sistema de votação hoje é confuso, que o brasileiro não pode continuar votando em “A” e elegendo “B”.

Assim como ocorreu com a Lei da Ficha Limpa, as organizações divulgarão a iniciativa e recolherão assinaturas a fim de apresentar a proposta como projeto de lei ao Congresso Nacional. 

 

Fotos por Sidney Lins

Democratas e Movimento de Combate à Corrupção discutem reforma política nesta quinta-feira

O deputado Ronaldo Caiado (GO) promove encontro com integrantes do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), quinta-feira (16/03), às 14 horas, no gabinete da Liderança do Democratas na Câmara dos Deputados. Em pauta, reforma política e participação popular. O MCCE trabalha proposta de reforma política de iniciativa popular. "Reforma política só será possível com a participação da população, a exemplo do que ocorreu com o Ficha Limpa", explica Caiado.

Sistemas eleitorais é o primeiro item a ser discutido por comissão da Reforma Política

Após a reunião sobre a reforma política nessa quarta-feira (17), o deputado Ronaldo Caiado (DEM) informou que o tema será debatido, pela primeira vez nessa legislatura, em plenário, na terça-feira, 22. “Vamos discutir os sistema eleitorais existentes. Em cada sessão, discutiremos um tema até dissecarmos ele. Só assim, partiremos para o próximo item”, informa o democrata.

Durante a reunião, Caiado lembrou que a Casa não suportará mais uma votação fatiada e que é preciso que a Comissão que analisa a reforma, chegue a um consenso. “Precisamos avançar, dissecar o tema e chegar a um consenso. A Câmara possui o melhor quadro de técnicos nesse assunto no Brasil. Precisamos unir as forças de todos e elaborar uma reforma que privilegie o país”, disse. 

O representante do DEM na Comissão, disse que o objetivo principal do grupo é ter para as eleições de 2012, um novo formato. “Continuo defendendo financiamento público exclusivo das campanhas e a lista preordenada. Vou com esse ponto até o final. O sistema que está em vigor hoje é arcaico e precisa ser revisto”, completou. 

Caiado discute internação compulsória de viciados em crack

O deputado Ronaldo Caiado (DEM) participou ontem de reunião na Presidência da Câmara para definir a criação de uma comissão especial que vai elaborar medidas de combate ao crack. De acordo com o democrata, existe hoje um genocídio contra crianças e jovens por causa da ausência do governo no combate à droga. “Mais de um milhão de jovens brasileiros sofrem com vício”, disse. Caiado disse ainda que cabe ao Congresso elaborar medidas legais por meio de aprovação de projetos para que esse quadro possa ser revertido. “Uma medida que devemos tomar é criar dispositivos legais para permitir a internação compulsória de quem for viciado e apresentar riscos contra si próprio e familiares”, disse. Essa é uma primeira etapa. Segundo Caiado, tal medida só terá efeito se o governo fizer sua parte e colaborar com uma ampla ação. “Só existe promessa por parte do governo federal, nada concreto”, disse.

FONTE: DM