Caiado anuncia audiência pública com diretores da CNEN no dia 16

Deputado quer evitar que Abadia vire depósito de dejetos radioativos de Angra I e II

A audiência pública com diretores da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) para explicar a intenção de desviar dejetos radioativos das usinas nuncleares de Angra I e II será realizada no dia 16 de junho, às 10 horas na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados. A proposta é do deputado Ronaldo Caiado (DEM), que por meio do requerimento (REQ 44/11) aprovado semana passada, conseguiu convocar o presidente da CNEN, Odair Dias Gonçalves, e o diretor Marcos Nogueira Martins.

Caiado é contra a escolha da cidade de Abadia, que já abriga seis mil toneladas de dejetos contaminados com Césio 137 em dois depósitos definitivos. “Estou indignado. Não aceitaremos isso de maneira alguma alguma. Quem é beneficiado por Angra que arque com o lixo. Goiás não é pátio de lixo de ninguém”, indignou-se. O goiano explicou que caso o município seja escolhido, seria construído um terceiro repositório de materiais radioativos diferentes de Césio 137, que seria abastecido uma vez por ano, por comboios vindos do Rio de Janeiro. “O povo goiano já sofreu preconceito uma vez por causa disso, não admitiremos sofrer novamente. Essa causa não é nossa”, disse.

Ronaldo Caiado disse também que no momento em que todo o mundo discute a desativação de usinas nucleares, como anunciou a Alemanha, o Brasil está acelerando o desenvolvimento do uso de energia nuclear. “Isso tem que ser revisto. E ainda querem construir mais usinas em Angra”, reclamou. O deputado disse que vai convidar diversos setores da sociedade goiana para participar.

O parlamentar lembrou que os resíduos radioativos a serem depositados são classificados de média e baixa radioatividade, e entre eles estão ferramentas, luvas, roupas e outros produtos que tiveram contato com a radiação, considerados materiais radioativos perigosos. O goiano disse que deve haver cautela por parte do poder público federal, pois o lixo radioativo pode emitir radiação por milhares de anos e, se acondicionado de modo equivocado tanto no transporte terrestre quando no possível depósito, poderá causar um desastre com precedentes no estado de Goiás, o qual acarretou a morte de dezenas de pessoas e deixou outras contaminadas, no ano de 1987. “Como parlamentar, tenho a obrigação de defender meu estado. Afirmo que Abadia, nem lugar nenhum do Goiás, terá esse pesadelo novamente em suas vidas”, finalizou.

O deputado Ronaldo Caiado atende pelos telefones 61-99857092/61-78111247

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *