Caiado diz que governo federal enfraquece hospitais universitários

Para o médico e deputado federal Ronaldo Caiado (DEM GO), “o governo deu um golpe” ao bancar na Câmara dos Deputados a aprovação nesta terça-feira (20) do Projeto de Lei do Executivo que cria a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) para administrar os 45 hospitais universitários federais. A Empresa será vinculada ao Ministério da Educação (MEC) e controlada totalmente pela União

“Isso é um estelionato”, disse, durante debate em plenário. “Os hospitais universitários precisam continuar como função de estado, educando, formando médicos, residentes e especialistas, promovendo pesquisas, mas sem visar lucro”, afirmou.

Caiado criticou a falta de investimentos do governo federal, que “ao invés de injetar dinheiro pelo Ministério da Saúde para atender todos aqueles que alavancam os hospitais universitários, tira dinheiro do SUS para as despesas. São 26 mil funcionários com cargos comissionados sem ter uma cobertura do governo, que não repassa verba para esses hospitais poderem quitar a folha de pagamento”, concluiu.

A sede da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares será em Brasília, o que, segundo Caiado, vai tirar os poderes dos reitores e diretores. “Eles vão se tornar rainha da Inglaterra, sem poder algum. Com tudo concentrado em Brasília, os residentes e alunos não serão ouvidos, ao mesmo tempo não haverá nenhum compromisso em expandir uma pesquisa, buscar novas tecnologias , avançar no atendimento, na qualidade e na formação dos médicos desse país”.

O deputado Ronaldo Caiado concluiu dizendo que os hospitais universitários terão a finalidade de educar e informar totalmente distorcida, já que o objetivo será o de trazer lucratividade na atividade de saúde. “Nós não podemos admitir que áreas do governo sejam privatizadas, e não podemos aceitar áreas que não têm motivo de existir. Explorar o pré-sal e construir o trem-bala? Por que ter o dinheiro, o financiamento e concessão do estado para isso? Na saúde, na educação e na segurança o governo deixa a população sem nenhuma expectativa e esperança de melhorar o atendimento e muito menos a qualidade de vida. Isso é inadmissível, inaceitável!”, indignou-se o deputado Caiado.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *