Caiado comissão de saúde_rc

Aprovada proposta do Democratas de criação da Comissão de Saúde

Decisão foi comemora pelo líder do partido, Ronaldo Caiado, que vem lutando há vários para a instituição de um colegiado específico que analise matérias ligadas à saúde

Proposta do Democratas de criação da Comissão da Saúde da Câmara dos Deputados foi aprovada hoje (19) em reunião do colégio de líderes. O líder do partido, deputado Ronaldo Caiado (GO), comemorou a decisão resultado de uma luta de vários anos para sensibilização do parlamento sobre a importância da instituição do colegiado. A proposta do Democratas foi acatada pelo presidente do parlamento, Henrique Eduardo Alves e todos os demais líderes. A partir de agora, a Comissão de Seguridade Social fica desmembrada em duas: Comissão de Saúde e Comissão de Previdência, Assistência Social e Família.

“É uma luta que vem de longa data. São vários os mandatos que me empenho para poder sensibilizar o presidente da Câmara dos Deputados para criar a Comissão da Saúde. Hoje, foi uma vitória importantíssima para nós”, ressaltou o parlamentar. Ele informa que a grande maioria dos projetos analisados pela atual Comissão de Seguridade são relacionados a temas da saúde, reforçando a importância do colegiado criado hoje. Das 460 proposições aptas a discussão e votação na Seguridade, 440 são temas ligados a saúde.

“Demos um passo a frente. Conseguimos com essa comissão dar agilidade a esses projetos tornar mais rápida a tramitação e fazendo com que as melhorias possam chegar a toda população brasileira”, assegura Caiado. “Hoje, não só a classe médica, mas todo segmento do da saúde, sabe que é um setor que passa por um momento de caos. É a maior queixa de todos os cidadãos hoje em todas as pesquisas que são feitas em todos os estados da federação. A saúde é um caso mesmo depois da promessa da presidente Dilma que priorizaria a saúde no Brasil”, ponderou o líder do Democratas. “É, sem dúvida nenhuma, uma grande vitória e como médico me sinto realizado por, no exercício do mandato, ter sensibilizado o deputado Henrique Alves, presidente da Câmara”, concluiu.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *