Médicos no interior, com qualidade

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, vem defendendo a necessidade de autorizar a entrada de médicos estrangeiros, com a dispensa de um exame de aferição, o Revalida, para atuar no interior do País. Não temos nada contra a vinda de médicos estrangeiros, desde que todos se submetam a uma prova de avaliação de conhecimento para atender a população.

Em artigo (O POPULAR, 23/5), Padilha cita que alguns países adotam o modelo em que médicos estrangeiros que não “revalidam” seu diploma no País seguem para o interior, enquanto os que “revalidam” permanecem em grandes centros. Por esse modelo, quem mora nas capitais e nas cidades maiores será atendido, consultado e operado por médicos que se submeterem a toda uma formação e exigências legais dos Ministérios da Saúde e da Educação.

Aí fica a pergunta: os brasileiros que moram no interior, esses poderão ser atendidos por pessoas sem a mínima qualificação para prestar atendimento correto, colocando em risco a vida de milhares de brasileiros? Serão atendidos por pessoas que não conhecem patologias, doenças características e com maior incidência nas diferentes regiões do Brasil e sem sequer falar corretamente o português?

Não concordamos também com o diagnóstico simplista, pueril, do ministro da Saúde de que o grande problema do Brasil é a falta de médicos e que a importação generalizada de médicos estrangeiros vai resolver o problema, como uma grande panaceia medicinal.

Pesquisa do Conselho Federal de Medicina indica que as duas unidades da federação com a maior relação médico/mil habitantes, o Rio de Janeiro (com 5,8) e o Distrito Federal (com 5,7), também lideram a lista de queixas de atendimento dos usuários do SUS. Ou seja, na Saúde, quantidade não significa qualidade!

Até porque a grande deficiência que nós temos hoje na saúde do Brasil não é apenas a falta de médicos, mas sim de leitos hospitalares para internações e UTIs; unidades hospitalares, centros cirúrgicos suficientes, e outras carências de equipamentos.

Outro exemplo de problema é a nossa capacidade de atender aos exames solicitados. Não temos uma rede nacional de exames complementares. Com o atual número de 300 mil médicos no Brasil, nós não temos condições de atender aos pedidos de exames – alguns demoram de seis meses a um ano, sem contar os de ressonância magnética e outros mais sofisticados, que sequer são realizados.

A contratação de milhares de médicos esgotaria, paralisaria totalmente a rede nacional de exames laboratoriais e radiológicos pela demanda que iriam criar.

Quando o ministro diz que na Europa e nos Estados Unidos há uma presença significativa de médicos estrangeiros, está correto. Porém, esquece de dizer que nesses países as provas são obrigatórias para autorizar estrangeiros a exercer a profissão e são mais rigorosas e seletivas do que as que realizadas no Brasil. Porque o ministro não tem a coragem de assumir os dois pontos que de fato são fundamentais:

1. defender o projeto que regulamenta o financiamento da Saúde vinculando 10% da receita corrente bruta da União, o que aumentaria no mínimo em mais 50% o orçamento da Saúde – sairíamos de R$ 80 bilhões para mais de R$ 120 bilhões;

2. criar a carreira de Estado para médicos, com base na Proposta de Emenda Constitucional (PEC), de minha autoria, cuja tramitação no Congresso o governo da presidente Dilma vem dificultando. Se aprovada, criaríamos uma estrutura semelhante à do Judiciário e os médicos aprovados na carreira de Estado não poderiam fazer clínica privada e atenderiam onde fosse determinado pelo Ministério da Saúde, mas com garantia de um salário digno e de uma aposentadoria condizente com o exercício da profissão. Assim, evitaríamos o que acontece hoje: um médico no interior fica dependente da vontade política do prefeito, sem a menor estabilidade e sem as condições mínimas de atualização de sua especialidade.

Ronaldo Caiado é líder do Democratas na Câmara dos Deputados e médico

:: O Popular (GO) – Opinião

Aprovada emenda de Caiado que obriga governo a fiscalizar fronteiras

Dispositivo foi incluído no PL Antidrogas, votado pela Câmara dos Deputados

A Câmara dos Deputados aprovou, na última terça-feira, emenda do líder do Democratas, deputado Ronaldo Caiado (GO), que estabelece a criação de uma Política Nacional de Controle de Fronteiras. Na prática, agora o governo federal fica obrigado, por meio do Projeto de Lei Antidrogas 7.663/2010, a instituir um plano para coibir a entrada de drogas por meio dos 17 mil quilômetros de fronteiras do País.

Para o deputado Ronaldo Caiado, a medida é essencial porque o Brasil é vizinho dos maiores produtores mundiais de cocaína – Peru, Colômbia e Bolívia – e do segundo maior produtor de maconha – Paraguai. No projeto que define uma política nacional sobre drogas, no capítulo que trata da responsabilidade da União, não havia qualquer dispositivo sobre a responsabilidade do governo federal de apresentar o plano nacional de política de fronteiras. “É preciso integrar estados, polícias, Ministério da Defesa, Exército e Ministério das Relações Exteriores”, opinou o deputado, lembrando que o narcotráfico também vem acompanhado do tráfico de armas.

Caiado acredita que essa política deve incluir, por exemplo, exigências de cláusulas em tratados internacionais de combate ao tráfico de drogas pelos países fronteiriços. “Goiás é fronteiriço com estados como o Mato grosso do Sul, que por sua vez é vizinho de Bolívia e Paraguai, dois países que têm problema na produção e exportação de drogas. Isso vai ajudar a evitar que nosso Estado seja rota de drogas e armas contrabandeadas”, disse.

Presidente da Caixa deveria ser demitido, diz Caiado

Após participar de reunião como diretor-geral da Polícia Federal, líder do Democratas declarou que dirigente cometeu ato grave ao esconder por uma semana que a Caixa antecipou pagamento do Bolsa-Família

O líder do Democratas na Câmara dos Deputados, Ronaldo Caiado (GO), afirmou hoje (28) que o presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Hereda, deveria ser demitido após assumir que escondeu durante uma semana a antecipação do pagamento do Bolsa Família. O parlamentar, juntamente com outros líderes da oposição (PSDB, PPS e Minoria), participou nesta manhã de reunião com o diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Daiello Coimbra, para coletar informações sobre as investigações do boato da suspensão do benefício.

“Em qualquer país sério do mundo ele seria demitido na hora. Isso é grave, é um crime. Ele pede desculpas e varre-se tudo para debaixo do tapete? Passou pelas águas do rio Jordão, está abençoado, não tem pecado. É isso que se espera? Esse fato é grave e agora o governo quer minimizar”, disse na saída do departamento da Polícia Federal, em Brasília. Ontem, o presidente da Caixa admitiu, em entrevista coletiva, que forneceu informações erradas sobre o caso.

Para Caiado, o governo federal está fazendo uso político da situação, inclusive pela acusação feita de que a oposição seria responsável pelo boato que causou uma corrida as agências da Caixa no último dia 17. “Essa lambança feita pela Caixa Econômica Federal em esconder um fato grave durante uma semana mentindo para a população brasileira e o governo alegando que a responsabilidade é da oposição mostra a má-fé e o uso político de um crime praticado pelo próprio governo”, enfatizou.

O líder lembrou as declarações concedidas pela presidente Dilma e integrantes do PT classificando o fato como “desumano” e “praticado por pessoas do mal”: “veja com as coisas são colocadas por aqueles que são os determinantes do crime. A estrutura do governo foi responsável por todo esse caos causado no País”, pontou Caiado. Segundo ele, a insinuações de que a oposição teria responsabilidade na disseminação da falsa informação é mais uma forma de tentar desestabilizar a oposição.

Na noite de ontem, o líder protocolou requerimentos de convocação para os ministros da Fazenda, Guido Mantega e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello. Caiado pede que os ministros esclareçam os fatos em audiência pública nas Comissões de Fiscalização e Controle e Finanças e Tributação. Ronaldo Caiado também apresentou requerimento de convite para a vinda a Câmara do presidente da Caixa.

Caiado quer convocação de Mantega para esclarecimentos sobre o Bolsa Família

O líder do Democratas na Câmara Federal, Ronaldo Caiado (GO), apresentou nesta segunda-feira (27) requerimentos de convocação dos ministros da Fazenda, Guido Mantega, e do Desenvolvimento Social, Tereza Campello, para explicar a antecipação de pagamento do Bolsa Família. Foi protocolado ainda convite para a vinda do presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Hereda. Os requerimentos foram protocolados nas Comissões de Fiscalização e Controle e Finanças e Tributação.

A presença dos ministros na Câmara dos Deputados tem a finalidade de esclarecer a alteração do calendário de repasse do recurso do Bolsa Família um dia antes (17/5) da veiculação de boatos sobre a suspensão do benefício. Nota divulgada pela Caixa no último fim de semana admite que o banco público antecipou, no mês maio, o pagamento do Bolsa Família ao contrário do que o vice-presidente de Habitação da instituição, José Urbano Duarte declarou. Segundo o dirigente, os valores foram liberados durante do fim de semana em que surgiram os boatos para minimizar seus efeitos.

“Diante de tal desencontro de informações e, mais ainda, das falsas declarações apresentadas pela diretoria da Caixa Econômica Federal sobre a liberação dos benefícios do programa Bolsa Família e as razões que levaram à alteração do calendário de pagamentos do programa, julgamos fundamental a presença dos ministros e do presidente da Caixa para esclarecerem o assunto”, afirmou Ronaldo Caiado.

Congresso Nacional enterra MP do ICMS

Ronaldo Caiado teve atuação decisiva para evitar aprovação da medida que causaria desemprego e expulsão de indústrias em Goiás. Hoje, relator da MP anunciou impossibilidade de votar a matéria

A sobrevivência de Goiás e demais estados em desenvolvimento. Assim definiu hoje (22) o líder do Democratas na Câmara dos Deputados, Ronaldo Caiado, o enterro da Medida Provisória 599 que estabelecia a reforma do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Caiado atuou de forma decisiva na tramitação da MP para que a proposição não prosperasse no Congresso Nacional. Nesta quarta-feira, o relator da matéria, senador Walter Pinheiro (PT-BA) anunciou oficialmente a impossibilidade de discutir e aprovar a medida até 3 de junho, data em que perde a eficácia. A proposta não chegou a ser apreciada nem na comissão especial constituída para analisar o tema.

“Hoje, sem dúvida alguma, Goiás renasceu e acredito que tantos outros estados do Centro-Oeste, Norte e Nordeste que tem o ICMS como possibilidade para industrializar o estado e gerar empregos. Essa vitória hoje é significativa”, assegurou o deputado. “Ao enterrarmos essa MP 599 que tanto mal ia produzir ao meu estado de Goiás provocando quase 400 mil desempregos e expulsando dezenas de empresas no estado de Goiás, foi um alívio para a população goiana. Graças a Deus conseguimos enterrar essa MP 599 na Sibéria e de bruços”, acrescentou.

Caiado, desde o primeiro dia da tramitação da MP na comissão especial, atuou para evitar os efeitos danosos que a proposição causaria a Goiás. O parlamentar conseguiu derrubar três sessões em que o governo pretendia apreciar o relatório da MP para enviá-lo a votação nos plenários da Câmara e Senado Federal. A MP juntamente com a Resolução 1/2013 promoviam a reforma do ICMS com unificação das alíquotas e a definição de supostas compensações aos estados em desenvolvimento que teriam grandes perdas. O deputado goiano sempre alertou para os impactos sociais, com a perda de milhares de empregos e econômicos com a extinção de empresas e falta de incentivo para a instalação de novas fábricas. Em Goiás, há importantes polos industriais, como os de Anápolis, Rio Verde, Poramgatu, Itumbiara e Catalão, com empresas nos ramos farmacêutico, agroindustrial, automobilístico, entre outros.

O deputado goiano não acredita que este ano o governo consiga trazer novamente o assunto para a pauta do Congresso, como sugeriu o relator da MP 599. “O governo pode querer insistir, mas já viu que com dois anos e seis meses já não está conseguindo nem apoio da base em votações menos polêmicas que essa. Imagina essa Medida chegando ao plenário da Casa. Veja que estamos conseguindo derrotar na comissão especial, não chegou nem no plenário da Câmara, nem do plenário do Senado. Ela desapareceu em 120 dias ainda na Comissão sem aprovação do relatório. Isso mostra que não tem sintonia nenhuma com a grande maioria dos parlamentares”, finalizou.

Concentração

O líder democrata criticou a forma com que o governo federal pretendia fazer uma reforma tributária retirando incentivos dos estados. “Se o governo quer propor uma reforma séria e honesta ele deve sugerir uma reforma no todo. Não adianta a União que arrecada 78% dos impostos querer fazer uma reforma entre os entes federados que só recebem 28% de arrecadação do governo. A maneira correta seria discutir o assunto e propor uma distribuição equânime desses impostos”, sugeriu.

Ronaldo Caiado ainda apontou como maléfica a tendência do governo de adotar cada vez mais medidas que concentram poderes no Palácio do Planalto. “Não é a reforma tributária, a reforma dos portos ou a redução na conta de luz. Isso é estratégia do PT de concentrar poderes em Brasília para que todos os entes federados de municípios a estados fiquem na dependência da vontade e humor de quem está na presidência da República”, pontuou.

Ronaldo Caiado homenageia grupo Jaime Câmara

Líder do Democratas conduziu hoje sessão solene na Câmara dos Deputados para celebrar 75 anos do jornal O Popular e 50 anos da TV Anhanguera

O líder do Democratas na Câmara dos Deputados, Ronaldo Caiado, prestou, nesta quarta-feira (22), homenagem ao grupo Jaime Câmara pelos 75 anos do jornal O Popular e os 50 anos da TV Anhanguera. O deputado presidiu sessão solene, realizada a seu pedido, no plenário da Câmara Federal para celebrar a data. Participaram da homenagem deputados do Democratas, ex-deputados, parlamentares do estado de Goiás, como o senador democrata Wilder Morais e integrantes da direção da organização Jaime Câmara incluindo o presidente Jaime Câmara Júnior e o diretor de jornalismo Luís Fernando Rocha Lima.

“Essa homenagem é o reconhecimento dessa Casa ao trabalho da organização Jaime Câmara. Não se tem política na expressão da palavra para poder representar uma população se não tiver uma imprensa independente, uma impressa que cobre resultado daqueles que representam, que lideram o Estado. É exatamente isso que a organização Jaime Câmara”, enfatizou Caiado.

Ao falar sobre a organização de comunicação, Ronaldo Caiado lembrou a trajetória da família que veio do interior do Rio Grande do Norte para se instalar em Goiás onde iniciou sua atuação no setor até alcançar o patamar atual com três jornais, 11 emissoras de TV, nove emissoras de radio e um portal na internet em Goiás, Distrito Federal e Tocantins. “Sem dúvida é uma conquista. E diria mais: é uma verdadeira epopéia familiar escrita com muito trabalho, dedicação em um setor muito sensível aos interesses dos poderosos”, ressaltou.

Caiado destacou a importância da organização na função de informar a população com imparcialidade, apesar das dificuldades, e das mudanças sociais, políticas e econômicas pelos quais passou o País nesses 75 anos. “Com autonomia e independência, imprescindíveis para quem trabalha com informação, com a opinião pública, com uma palavra chave nesse ramo: credibilidade!”, considerou o democrata.

“Ouso dizer que os 75 anos do jornal O Popular e os 50 anos da TV Anhanguera tem um grande significado para a história de Goiás. Germinaram na vocação desenvolvimentista do povo goiano. É com muita satisfação, emoção e orgulho que recebo essa homenagem, agradecendo, especialmente, a Ronaldo Caiado”, disse o presidente da organização, Jaime Câmara Júnior que fez um paralelo entre as funções do parlamento e da imprensa no compromisso de atender o interesse público pautado na ética, na defesa da democracia e no respaldo da aprovação popular.

O líder do Democratas lembrou ainda a veia política da família mencionando a presença de Jaime Câmara que ocupou por duas vezes uma cadeira na Câmara dos Deputados. “Jaime Câmara ocupou vários cargos públicos e sempre foi consultado em importantes momentos da história de Goiás”, acrescentou Caiado.

O parlamentar também ressaltou a atuação do grupo em áreas, além da política, como na economia, cidadania, esporte, meio ambiente. “Sempre observando o respeito aos princípios democráticos, éticos, morais, e ao direito de informação de milhões de cidadãos brasileiros e, em especial, dos cidadãos goianos”, avaliou. Caiado mencionou a importante participação de Célia Câmara para o desenvolvimento cultural de Goiás e de Maria Alice Câmara com seu trabalho social com crianças carentes no estado.

“Temos certeza que, subordinado ao princípio da liberdade de imprensa, com responsabilidade e maturidade, assim seguirá o Grupo Jaime Câmara, que disponibiliza veículos de comunicação em defesa da sociedade como O Popular e a TV Anhanguera, dando voz aos cidadãos e cidadãs a que serve”, finalizou Ronaldo Caiado.

Estiveram na sessão solene, além do presidente e do diretor de jornalismo da organização Jaime Câmara, o diretor Jurídico e de Relações Institucionais do grupo, Guliver Leão; o assessor de Relações Institucionais, Fábio Roriz; e Luiz Nicolaewsky, diretor de Relações Institucionais, Radiodifusão e Mídia Impressa das Organizações Globo. Também participaram da homenagem representes do grupo RBS, da ABERT (Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão) e da ANJ (Associação Nacional de Jornais).

Para Caiado, médicos estrangeiros são bem-vindos desde que façam revalidação do diploma

O líder do Democratas na Câmara dos Deputados, Ronaldo Caiado, declarou hoje (21) que o Democratas não se opõe a atuação de médicos cubanos, espanhóis, portugueses ou de qualquer outra nacionalidade no Brasil desde que passem pelo Revalida. A prova hoje é exigida no Brasil para qualquer profissional com formação no exterior que queira exercer a medicina em território nacional. O governo federal anunciou que pretende trazer médicos de outros países sem a exigência do exame.

“Não temos nada contra a vinda de médicos de qualquer país que seja. Não vamos admitir é que o cidadão formado em medicina em qualquer país do mundo possa exercer a profissão no Brasil sem que passe pelo Revalida, sem provar que tem os conhecimentos básicos para exercer a profissão no Brasil. É inadmissível que as pessoas venham falar de saúde com demagogia”, pontuou Caiado que é ortopedista.

“O que é inaceitável é a vinda de médicos sem a qualificação mínima para tratar da saúde da população”, acrescentou o líder do Democratas.

Após obstrução do Democratas, base do governo faz acordo para votação na Câmara

Líder Ronaldo Caiado protestou contra postura governista de impor a pauta do Congresso apenas com Medidas Provisórias. Serão votados projetos como o da Política Nacional Antidrogas

Após o Democratas anunciar obstrução na votação de Medidas Provisórias nesta terça-feira (21), a base governista cedeu e fez acordo para incluir projetos de lei na pauta da semana. A informação foi passada agora há pouco pelo líder do Democratas na Câmara dos Deputados, Ronaldo Caiado, depois de participar da reunião do colégio de líderes. Caiado criticou a postura do governo federal de querer impor a pauta do Congresso Nacional e legislar por meio de Medida Provisória. Com o acordo, entraram na pauta projetos de grande importância, como o Projeto 7.663/2010, que institui a Política Nacional Antidrogas e o PLP 200/2010 que acaba com a multa de 10% do FGTS no caso de demissão sem justa causa. Os dois com apoio do Democratas.

“O resultado da reunião de líderes mostra a iniciativa da Casa de não se submeter à vontade da ministra Ideli Salvatti que hoje mais uma vez veio aqui para pautar a Câmara dos Deputados. Nós entramos em obstrução e só saímos depois que o presidente e a base do governo cederam para que sejam votadas hoje duas Medidas Provisórias intercaladas com dois projetos de lei e amanhã iniciaremos com dois projetos depois duas Medidas Provisórias”, explicou Caiado. “O ministro Joaquim Barbosa disse que essa Casa é pautada pelo Executivo. A base do governo é pautada pelo Executivo. O Democratas sempre manteve a sua postura com muita altivez e dignidade”, completou. Para o parlamentar, o Congresso não pode servir apenas como cartório para registrar as deliberações do poder Executivo.

Sobre a declaração de ontem do presidente do Supremo Tribunal Federal de que no Brasil existem partidos de mentirinha, Ronaldo Caiado afirmou que esse cenário não inclui o Democratas. “O Democratas tem programa, tem posição clara em todas as matérias. Nós aqui fazemos aquilo que a sociedade nos mandou para cá, para fazer oposição. Se há partidos de mentirinha hoje eles foram criados com a anuência do STF. Foi no Supremo que houve a interpretação de portabilidade de tempo de rádio e TV e de fundo partidário na criação de novos partidos. Na época, essa interpretação atendeu ao presidente Lula que dizia que ia extirpar o Democratas da vida política nacional. Agora, o ministro Joaquim Barbosa reconhece esse processo de deterioração das siglas partidárias”, avaliou Caiado.

Goiás firma nova opção política focada nos interesses do povo

Durante 3º Encontro Regional do Democratas em Iporá, Ronaldo Caiado, afirma que o partido busca propostas consistes para o estado a partir de alianças que atuem de forma transparente

O presidente regional do Democratas Goiás, deputado Ronaldo Caiado, afirmou nesta sexta-feira (17) que o partido está consolidando suas bases para disputar as eleições de 2014 com alianças e propostas focadas nos interesses do povo. Caiado conduziu hoje o 3º Encontro Regional do Democratas realizado em Iporá, município do oeste do estado. Nesta edição, além de prefeitos, vereadores, deputados e lideranças locais do Democratas, pela primeira vez estiveram presentes outros representantes de expressão da política goiana, como o novo presidente do PSB no estado, Vanderlan Cardoso, e o presidente do PRP em Goiás, Jorcelino Braga.

“Hoje, foi um encontro diferenciado. Pela primeira vez houve a participação de Jorcelino Braga e do Vanderlan Cardoso com a presença de várias lideranças do estado numa onda crescente de uma opção política que esteja mais preocupada com os interesses do povo e menos com conflitos entre partidos. Isso mostra as nossas chances reais na disputa de 2014”, pontuou Ronaldo Caiado, pré-candidado ao governo do estado. “Temos a pretensão de disputar o governo do estado, mas uma disputa transparente com regras claras, cada um colocando o que pode apresentar para o estado de Goiás que neste momento está cansado desta briga de grupos e a sociedade está querendo saber o que vem de benefício para ela”, explicou.

Caiado informou que a partir de agora que lideranças, como a Vandelan e Braga participarão das reuniões regionais do partido buscando uma convergência. “É com esse propósito, esse discurso, esse projeto que estamos debruçados. Em maio do ano que vem (antes da convenção partidária) veremos qual será o candidato que construiu a maior estrutura política do estado, qual tem a maior capacidade de aglutinação, qual tem a maior viabilidade e musculatura política para ser candidato ao governo”, afirmou.

Para o deputado, o caminho agora é discutir uma visão moderna de Goiás, seja na defesa pelos incentivos fiscais do ICMS, na saúde, educação e busca por mais investimentos de infraestrutura e logística. Ele defendeu ainda o fortalecimento do interior para promover o desenvolvimento do estado. “É o interior que sustenta e alavanca o estado de Goiás, mas que não tem a logística e muito menos as indústrias de transformação. Também precisamos ter um plano de hospitais regionais, escolas técnicas e qualificação de mão-de-obra desconcentrando esses serviços de Goiânia”, destacou.

Ronaldo Caiado ainda criticou mais uma vez o projeto governista de reforma do ICMS. Ele explicou que a inciativa é extremamente danosa para Goiás ao desestimular a instalação de novas indústrias fundamentais para o desenvolvimento do interior bem como por expulsar as já existentes. “Vocês podem acompanhar essa Medida Provisória 599. Até agora eu já a derrubei três vezes na comissão especial e no plenário eu garanto que vou enterrar a MP. Vou lutar com todas as forças que tenho para acabar de vez com essa ameaça que paira sobre Goiás, Centro-Oeste, Norte e Nordeste”, assegurou.

Lideranças locais

Na opinião do vice-prefeito de Iporá, Adeilton José Ferreira, o partido com liderança de Caiado vive um momento importante de união agregando alianças diferenciadas. “Ronaldo Caiado tem um perfil político voltado para ética e competência. Ele tem como bandeira principal a defesa do povo goiano. Com ele, o estado tomará novos rumos. O povo goiano clama por mudança”, disse Ferreira que também preside o Democratas no município.

“Respeito muito o trabalho do deputado Ronaldo Caiado. Com ele, o partido virá forte para as eleições de 2014, um político comprometido que não tem mácula no seu currículo. Ele é justamente o que Goiás precisa”, reforçou o presidente da Câmara Municipal de Montividiu, o também democrata vereador Serafim.

“Sem dúvida nenhuma, Ronaldo Caiado é uma alternativa para Goiás por sua capacidade e trajetória de luta pelo povo brasileiro e, principalmente, pelo povo goiano”, acrescentou o prefeito de Taquaral, Wili Moraes, que faz questão de participar de todos os encontros organizados pelo partido. Para o democrata, o povo cobra eventos nesse formato para debater e trazer suas reivindicações.

Além do encontro regional, o presidente do Democratas em Goiás cumpriu outras agendas em Iporá com reuniões com lideranças locais, produtores do Sindicato Rural do município e com a associação de moradores e de muladeiros.

Democratas Goiás realiza 3º Encontro Regional de 2013 em Iporá

Iporá receberá o 3º Encontro do Democratas Goiás. O evento conduzido pelo presidente regional do partido no estado, deputado federal Ronaldo Caiado, será realizado nesta sexta-feira, 17 de maio, a partir das 10h, na Câmara Municipal com a participação de prefeitos goianos, vereadores, presidentes de diretórios do Democratas e lideranças locais. Com mais esse encontro, o partido dá sequencia a seu projeto político para 2014 buscando ouvir e debater as necessidades de cada região do estado.

Nesta edição, estarão presentes lideranças de 20 cidades: Amorinópolis, Aragarças, Arenópolis, Baliza, Bom Jardim, Britânia, Caiapônia, Diorama, Doverlândia, Fazenda Nova, Israelândia Jaupaci, Jussara, Matrinchã, Montes Belos, Montividiu, Novo Brasil, Palestina, Piranhas e Santa Fé de Goiás.

Antes do início do encontro, às 9h, o deputado Ronaldo Caiado concede entrevista coletiva na sala de reuniões da Câmara Municipal de Iporá. Após o evento, o presidente regional do Democratas Goiás almoça com lideranças locais; depois se reúne com produtores no Sindicato Rural do município. Às 16h, Ronaldo Caiado terá encontro com a Associação de Moradores de Iporá.

Serviço

3º Encontro Regional do Democratas Goiás

Data: 17 de maio de 2013 (sexta-feira)

Local: Câmara Municipal de Iporá

Hora: A partir das 10h

Obs: Às 9h, o presidente regional do Democratas Goiás, deputado Ronaldo Caiado, concede entrevista coletiva na sala de reuniões da Câmara Municipal de Iporá

1 2