Dilma sataniza figura do médico brasileiro

Na opinião do líder do Democratas na Câmara dos Deputados, Ronaldo Caiado (GO), a presidente Dilma Rousseff – ao lançar o programa Mais Médicos – coloca a população contra os médicos brasileiros. “A presidente precisa se acautelar mais e não tentar satanizar a figura do médico no Brasil. Ela está tentando desviar o foco da sua responsabilidade e está querendo criar uma comoção da população contra os médicos. Não é correta essa atitude”, afirmou.

Caiado reforça que o médico precisa de uma estrutura para fazer o atendimento, com hospitais, postos de saúde, equipamentos e outros profissionais de saúde. “O médico é responsável sim, tem compromisso com a sociedade. Agora, ele não resolve o problema da saúde sozinho sem ter uma estrutura compatível com a estrutura da profissão”, destacou.

O líder ainda afirmou que é inconstitucional a medida de estender por mais dois anos os cursos de medicina para que o estudante atenda exclusivamente no SUS. O deputado lembra que o artigo 207 da Constituição Federal garante autonomia às universidades para definir a grade curricular, administração e a gestão financeira das instituições.

Além disso, pelo artigo 5º da Carta Magna, todos são iguais perante a lei, então outras carreiras da saúde e de outras áreas também poderão ser obrigadas a atuar na área pública tutelada pelo Estado. “A partir desse programa qual será o raciocínio de um pai? Formo meu filho na Bolívia e ao final de seis anos ele vai entrar no Brasil como médico. Você vai desestimular as pessoas a fazerem medicina no Brasil”, atestou o deputado. Estudantes de medicina de universidades públicas e gratuita seriam obrigados a prestar serviços. Segundo ele, qualquer mudança nos cursos de medicina não poderá feita Medida Provisória, mas com emenda à constituição.

O democrata também classifica como demagógico e eleitoreiro o anúncio de mais recursos para a construção de Unidades de Pronto Atendimento (UPA’s). “Essa proposta da presidente é um factoide. A parte que ela se comprometeu como programa de governo ela não cumpriu. Você não tem as Upas instaladas no Brasil e, se você perguntar a todos os prefeitos no Brasil, ninguém quer construção de UPA porque todo mundo deseja saber quem vai custear a UPA”, argumentou.

Dados do SIAFI levantados pelo Democratas demonstram que da promessa de campanha de Dilma Rousseff de construir 500 UPA’s em 48 meses, não foi concluído nem um quinto em 30 meses de mandato. Foram entregues apenas 58 unidades com gasto de R$ 116,7 milhões, quando deveriam estar prontas 313 Upa’s com investimento de R$ 625 milhões nesses dois anos e meio de gestão, 18,6% do prometido.

“A presidente está pensando na sua reeleição. Ela não está pensando na saúde do povo brasileiro. É mais uma jogada de marketing. Quero reforçar que nós nunca nos colocamos contrários a entrada da médicos estrangeiros. A única coisa que queremos é que eles façam o revalida”, completou Caiado.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *