Caiado entre os mais influentes do Congresso pela 15ª vez

Líder do Democratas figura mais uma vez na lista dos 100 “Cabeças” do Parlamento elaborada pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP)

Pelo 15º ano consecutivo, o líder do Democratas, Ronaldo Caiado (GO), está na lista dos parlamentares mais influentes do Congresso Nacional elaborada pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP). Esta é 20º edição da seleção dos 100 “Cabeças” do Parlamento, com 61 deputados e 39 senadores considerados protagonistas do processo legislativo. Caiado figura entre os parlamentares que se destacam pela capacidade de conduzir debates, negociações, votações e articulações.

Diap 2013 (capa)

“Agradeço mais uma vez aos meus eleitores que confiaram em mim para representar e defender os interesses do nosso Estado de Goiás e do Brasil. Esse reconhecimento me impõe ainda mais responsabilidade para continuar na luta pelas causas reclamadas pela sociedade. Minha missão na Câmara dos Deputados será concluída em 2014, quando pretendo disputar um cargo Executivo. Creio que o povo goiano deseja ver Ronaldo Caiado buscando novas missões”, afirmou Caiado, que cumpre seu quinto mandato como deputado federal.

O democrata foi escolhido na categoria debatedor definido como um parlamentar ativo, atento aos acontecimentos, e principalmente, com sendo de oportunidade e capacidade de repercutir, seja no plenário ou na imprensa, os fatos políticos gerados dentro ou fora do Congresso Nacional. Como debatedor, Caiado é classificado como um deputado conhecedor das regras regimentais e influentes nos debates e na definição da agenda prioritária.

Escolha

Conforme definição do DIAP, os “Cabeças” são os parlamentares que influenciam o poder decisório no Congresso Nacional com suas opiniões, posições, atos, vetos, e iniciativas. Para a escolha, a instituição realizou pesquisa por meio de entrevistas com os próprios parlamentares, jornalistas, assessores das duas Casas do Congresso, cientistas e analistas políticos no período de fevereiro a julho de 2013. Houve ainda, segundo a instituição, uma análise criteriosa das atividades profissionais, dos vínculos com empresas ou organizações econômicas ou de classe, da formação e vida acadêmica, além de levantamentos de pronunciamentos, apresentação de proposições, resultados de votações, intervenções nos debates do Legislativo, frequência de citações na imprensa, entre outros.

Também são consideradas posições ocupadas no Congresso, como liderança, vice-liderança, presidência de comissão e partido político, relatoria de projetos de lei e direção na Câmara e Senado. Para a classificação dos 100 “cabeças”, o DIAP estabelece cinco categorias: debatedor, formador de opinião, negociador, organizador/articulador e formulador.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *