Caiado: MP dos Médicos é marketing do trabalho escravo cubano

Líder democrata denuncia publicidade da proposta governamental para estimular a vinda de profissionais da Ilha como pagamento a empreiteiras brasileiras

Em ato nesta quinta-feira (8/8) contra a MP dos Médicos na Câmara dos Deputados, o líder do Democratas, Ronaldo Caiado (GO), classificou como regime de escravidão a forma como o governo federal quer trazer médicos cubanos pelo programa Mais Médicos. O parlamentar fez a denúncia para centenas de médicos e estudantes de medicina que vieram ao parlamento protestar contra os vetos ao projeto do Ato Médico. O goiano se comprometeu a derrubar os vetos e a MP na comissão especial para que não chegue nem ao plenário da Câmara.

O deputado fez um paralelo com a figura do “gato”, apelidada no meio rural. Segundo ele, era uma pessoa contratada para selecionar trabalhadores para a roça. O produtor pagava um valor ao “gato” que repassava o dinheiro acertado com cada trabalhador. “Quando um produtor rural contratava um gato para roçar a fazenda dele, o pessoal do PT chegava e dizia que a legislação trabalhista caracterizava aquilo como escravidão. Agora querem promover o trabalho escravo com o médico cubano”, explicou.

”O PT propõe contratar 6 mil médicos, usar a mão de obra, e pagar ao governo de Cuba. Foi o que ocorreu na Venezuela. É a figura do “Gatão”, personificada no governo de Fidel Castro. O Governo Dilma Rousseff prioriza o trabalho escravo. Quem vai responder por isso? O ministro da Saúde, Alexandre Padilha? O ministro da Educação, Aloizio Mercadante? A presidente Dilma Rousseff? É uma afronta às normas trabalhistas de nosso País de um governo que diz trabalhar num estado democrático de direito. É trabalho escravo com os médicos do exterior”, alertou Ronaldo Caiado.

O democrata também criticou o uso publicitário do governo em torno da proposta. “A que ponto chegamos: até agora o governo já gastou R$ 14 milhões em mídia para tentar explicar a necessidade de mais médicos. Esse dinheiro daria para pagar 1,4 milhão de consultas no SUS, já que os médicos especialistas recebem R$ 10 por consulta. Mais uma vez, a gestão Dilma joga a responsabilidade para terceiros do caos da saúde”, afirmou. “É como se dissesse que 15 mil médicos vão resolver o problema da Saúde. O Rio de Janeiro tem o maior número por habitante e tem o pior serviço oferecido pelos Estados”, argumentou.

De acordo com o deputado goiano, com a MP dos Médicos, o governo petista quer justificar a vinda ao Brasil de milhares de brasileiros filiados ao partido que estudaram medicina em Cuba e não conseguem exercer a medicina em território brasileiro porque são reprovados no Revalida. ”E qual o atalho? Não querem cumprir a legislação e contrabandear médico com formação duvidosa”, protestou.

Além disso, segundo Caiado, a presidente Dilma Rousseff quer desmoralizar o Revalida para respaldar sua decisão. “O governo quer buscar alunos do 5º ano de medicina para testar o Revalida e tentar desqualificar o teste. E ainda o INEP vai pagar R$ 400 para cada aluno que fizer a prova. Você já viu isso em qualquer lugar do mundo? O governo quer transformar a prova numa grande ‘chopada’ de final de semana”, finalizou.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *