Em vez de BNDES e Petrobras, governo só enxerga “excessos” em direitos trabalhistas

O líder do Democratas no Senado Federal, Ronaldo Caiado (GO), lamentou a aprovação no Senado da MP 664 nesta quinta-feira (27/05). De acordo com o senador, não faz qualquer sentindo a alegação do governo de que as medidas do ajuste fiscal são “necessárias para corrigir distorções”.

“Quer dizer que o abono salarial é uma distorção? Um direito garantido em norma constitucional para os trabalhadores é um excesso? Interessante que estamos assistindo todos os excessos no BNDES, na Petrobras e nos fundos de pensão sem nenhuma posição critica do governo”, ressaltou Caiado.

Para o democrata, a medida que limitou o acesso a pensão por morte e auxílio-doença é uma insensibilidade com famílias que poderão passar por fatalidades.

“Com a MP 664 que foi aprovada hoje o PT criou nova tese: o governo forçará o cidadão a fazer um compromisso com o dia de sua morte. Se um casal abaixo dos 25 anos quiser se casar e ter filhos, qualquer tragédia nessa família será ampliada com uma pensão de apenas três anos. O PT decidiu uma coisa que é divina, ele quer saber o tempo de vida das pessoas”, criticou.

Fator previdenciário
Ronaldo Caiado também comentou a manobra governista que deixou o fator previdenciário passar no texto diante da iminência da caducidade da medida.

“Infelizmente, sabemos que a flexibilização do fato previdenciário incluído no texto que veio da Câmara será vetada pela presidente. Faremos um novo embate no Congresso pela derrubada desse veto”, anunciou.

3 thoughts on “Em vez de BNDES e Petrobras, governo só enxerga “excessos” em direitos trabalhistas

  1. É preciso cautela com a substituição do fator previdenciário, lembrando que as pessoas vivem mais hoje que no passado e que, no futuro, poderão faltar recursos para os pagamentos das aposentadorias. Nossos filhos e netos poderão encontrar sérias dificuldades.

  2. AJA ARRECADAÇAO PARA OS ANOS QUE VIRAO,MUITOS E MUITOS ,FILHOS E NETOS ENTRANDO NO MERCADO DE TRABALHO E A ARRECADAÇAO SEMPRE AUMENTANDO HOJE E SEMPRE,,,

  3. Por gentileza, informe o link para acesso ao vídeo que mostra o Senador Ronaldo Caiado apresentando estes questionamentos no Plenário do Senado. Esta denúncia e posicionamento são muito importantes para a nação brasileira, notadamente para o cidadão de baixo poder aquisitivo, que verdadeiramente paga pelo desmando deste desgoverno. Se o governo federal fosse sério faria, primeiro, o dever de casa em busca de reduzir a sua própria máquina administrativa (coisa extremamente gordurenta). Por outro lado, a presidente se coloca como a senhora majestade (rainha) e explora o povo para manter a farra. Eu, concordaria com o aumento de impostos e cortes em benefícios já conquistados se o governo fizesse, primeiro, a sua parte, tais como redução de ministérios, de cargos comissionados, maior rigor no acompanhamento da contabilidade e contratos no sentido de reduzir propinas e mal-uso do recurso público. Ao contrário, nada é feito, a não ser propaganda pré-eleitoral de que ‘combate à corrupção será prioritário no próximo mandato’, além de ‘educação é prioridade’, e outras falácias tais.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *