celg3

Audiência para discutir linhas de alta tensão sobre bairros de Goiânia é aprovada no Senado

O senador Ronaldo Caiado, líder do Democratas, conseguiu aprovar nesta terça-feira (30/06) requerimento que determina uma audiência pública no Senado para discutir a intenção da Eletrobras e da Celg em construir uma linha de alta tensão sobre bairros residenciais de Goiânia.

A reunião a ocorrer na Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização nas próximas semanas deve contar com o presidente da Eletrobras, José da Costa Carvalho, além de representantes do Ministério Público de Goiás e da CelgPar. Ela é fruto da reclamação de moradores de oito bairros da região sudoeste que acusam a empresa de energia de quebrar um acordo firmado no final do ano passado, resultante de outra audiência pública promovida por Caiado ainda na Câmara dos Deputados.

“Na ocasião de nossa audiência no final de 2014, recebemos uma garantia da Eletrobras de que nada seria feito até que se chegasse a um consenso com todas as partes envolvidas. Agora os moradores denunciam que a empresa assinou um TAC com o Ministério Público e reiniciou as obras sem sequer avisar a ninguém. É uma falta de respeito”, acusou Caiado.

Os moradores que se reuniram com Caiado em seu gabinete no início do mês lutam por uma alteração no traçado da linha. O argumento principal é o risco à saúde que uma linha de alta transmissão pode trazer, como maior incidência de casos de câncer.

“Não há um médico que recomende viver próximo a essas linhas de alta tensão que vão colocar em risco 20 mil pessoas dos bairros de Parque Anhanguera, Setor Faiçalville, Setor Santa Rita, Jardim Presidente, Três Marias, Jardim Europa e Parque Amazonas” denunciou Caiado.

oposicao

Oposição vai protocolar representação contra Dilma e Edinho Silva por crime de extorsão

Ao anunciar hoje (30/6) novas representações contra o governo, o líder do Democratas no Senado, Ronaldo Caiado (GO), defendeu o afastamento imediato de Dilma Rousseff e a convocação de novas eleições para a Presidência da República. A afirmação foi feita após reunião entre presidentes de partidos e líderes da oposição.

Os parlamentares informaram que irão protocolar representação na Procuradoria-Geral da República contra o ministro da Comunicação Social e ex-tesoureiro da campanha de Dilma, Edinho Silva, e contra a própria presidente por crime de extorsão. A ação é baseada nas denúncias do dono da UTC, Ricardo Pessoa, que revelou a doação para campanha do PT com dinheiro roubado da Petrobras. A oposição ainda vai entrar com representação no TCU por conta das “pedaladas fiscais” que continuam a ocorrer em 2015, além do pedido ao TSE de compartilhamento da delação de Pessoa.

“É evidente o quadro de ingovernabilidade hoje no País. Ninguém quer isso mais. Todo mundo está atônito e não é justo que todas as forças políticas e a pressão de um governo seja exercida no sentido de manter uma presidente que não tem credenciais para representar a população”, ponderou Caiado.

Caiado acredita que a atitude mais correta para a presidente seria a renúncia, mas, caso isso não ocorra, as graves acusações de Pessoa são suficientes para que as oposições peçam o afastamento de Dilma Rousseff do cargo. “Com esse fato fica cada vez mais nítido a necessidade de avançarmos. Lógico, seria melhor se tivéssemos da presidente da República um gesto de espírito público, de uma renúncia do mandato. Mas, não sendo possível isso, diante da delação do empresário Ricardo Pessoa, ficou claro o quadro de extorsão e da metodologia aplicada pelo PT para utilizar o Estado como máquina e aparelho de governo. Isso é mais do que suficiente para o afastamento da presidente e a convocação de novas eleições. Até porque o caixa de campanha compromete toda a chapa e, como tal, caindo a chapa, nós teremos a antecipação das eleições para presidente”, argumentou.

Explicações

Caiado também conseguiu aprovar nesta terça-feira um convite ao ministro Edinho Silva (Comunicação Social) para comparecimento à Comissão de Fiscalização e Controle da Casa. A audiência deve servir para cobrar explicações de Edinho em relação à citação ao seu nome na delação premiada que o coloca chantageando o dono da UTC, Ricardo Pessoa. Na ocasião, Edinho Silva era o tesoureiro da campanha de reeleição da presidente Dilma Rousseff.

certificado

Ronaldo Caiado entrega certificados a 17 servidores que concluíram curso do ILB em Goiânia

O senador Ronaldo Caiado (Democratas) entregou nessa segunda-feira (29 de junho) os certificados dos 17 servidores que concluíram o primeiro curso do projeto interno de capacitação de sua assessoria. Servidores do Escritório de Apoio de Goiás, por meio do Instituto Legislativo Brasileiro (ILB), na modalidade EAD (Ensino a Distância) concluíram o curso “Excelência em Atendimento”, com duração de 20 horas. Focado na melhoria do atendimento ao público sob a ótica da qualidade, durante o andamento do curso o grupo se reuniu presencialmente durante dois dias para discutir os temas abordados e planejar todas as melhorias que podem ser implantadas pela equipe.

Ao entregar os certificados, Ronaldo Caiado elogiou a iniciativa do ILB em proporcionar aos servidores do Senado a possibilidade de aperfeiçoarem seus trabalhos. “É uma iniciativa louvável do Instituto por preocupar-se com a qualidade dos serviços prestados aos cidadãos e também por abrir a mesma oportunidade a qualquer pessoa, de fora da Casa, que tenha interesse em conhecer mais sobre os assuntos da administração pública. Da mesma forma é louvável que minha equipe esteja um passo à frente e queira desenvolver ainda mais as suas habilidades”, elogiou o parlamentar.

Na sequência os servidores de Ronaldo Caiado preparam-se para iniciar o curso “Organização de Gabinete Parlamentar”, que irá propiciar aos interessados os conhecimentos específicos do trabalho inerente à atividade de gabinete parlamentar, auxiliando na instrução de aspectos organizacionais e fortalecendo a eficiência no apoio ao desempenho do mandato parlamentar.

inhumas

PMDB enaltece atuação de Ronaldo Caiado e reforça aliança com o DEM durante encontro em Inhumas

O primeiro passo para que o Democratas e o PMDB fortaleçam a aliança para as eleições municipais de 2016 foi dado em reunião política promovida na noite desta segunda-feira (29/06) em Inhumas. A avaliação é do senador Ronaldo Caiado (Democratas), que participou do encontro organizado pelo ex-deputado estadual José Essado (PMDB) com a presença de mais de 200 pessoas, dentre elas os deputados José Nelto, Daniel Vilela e Pedro Chaves. Em seus discursos, os peemedebistas enalteceram a atuação de Ronaldo Caiado no Senado e reforçaram a aliança do partido com o Democratas.

“Estamos dando o primeiro passo para chegarmos bem articulados e com alianças bem montadas para 2016, fortalecendo as nossas bases. Buscamos um entendimento para escolhermos os candidatos mais competitivos em cada cidade de Goiás”, explicou o parlamentar, que assegurou que esta reunião abrirá uma sucessão de novos encontros que visam aumentar o entrosamento do Democratas com o PMDB.

Em discurso para lideranças de Inhumas e de cidades como Caturaí, Araçu, Nova Veneza, Damolândia e Acreúna, Ronaldo Caiado garantiu que ninguém é dono de candidatura e que os nomes definidos nas cidades para as disputas municipais serão aqueles que se mostrarem mais competitivos. “A pessoa tem de mostrar prestígio para disputar uma eleição no seu município. Tudo depende de nossa articulação e de não deixarmos as discussões para a última hora. E o pontapé inicial deste processo ocorre aqui, em Inhumas”, disse em seu discurso.

O senador garantiu ainda que, no caso de Inhumas, o nome de consenso terá sua presença em palanque. Isso porque Inhumas é uma cidade pela qual o parlamentar tem atenção especial e que sempre buscou contribuir em seu trabalho na Câmara dos Deputados. Ronaldo Caiado é autor de emendas de R$ 1 milhão para Inhumas, enviadas durante seu mandato como deputado federal.

Prestígio

No encontro, os deputados do PMDB enalteceram a atuação de Ronaldo Caiado no Senado e o seu papel como oposição também em Goiás. Para José Essado, o democrata se destaca no cenário nacional por sua atuação firme e destemida. “Só assim o Brasil poderá voltar a ser grande, sem corrupção”, defendeu.

Líder do PMDB na Assembleia, o deputado estadual José Nelto afirmou que para o seu partido é um orgulho ter ajudado a garantir a vitória de Ronaldo Caiado nas últimas eleições. “Ele é hoje, disparado, o melhor senador do Brasil. As portas do PMDB estão escancaradas para que o senhor possa se filiar”, insistiu.

O deputado federal Daniel Vilela fez coro às afirmações. “Ronaldo Caiado representa hoje no Senado os peemedebistas que estiveram ao seu lado em 2014. Temos orgulho de seu trabalho no Senado e será bem-vindo se vier para as fileiras do PMDB”, afirmou.

Para Pedro Chaves, o PMDB não tinha dúvidas quando abraçou a candidatura do democrata de que ele destacaria Goiás nacionalmente. “Caiado dignifica o Estado e o PMDB. Sempre confiamos em seu trabalho.”

Críticas ao governo

O encontro também foi marcado por críticas da oposição ao governador Marconi Perillo (PSDB). Ronaldo Caiado destacou a importância de os partidos se aliarem para mudar as práticas hoje correntes na política em Goiás.

“Não vamos tolerar que continue o que o governo atual criou, que foi um verdadeiro desserviço à política. Os homens deste Estado sempre lutaram por seus princípios, mas o governador transformou a política em balcão de negócios. Temos de mostrar que esse tipo de política, alicerçada na corrupção e no uso da máquina pública não prolifera mais”, defendeu. “Governante tem de ter credibilidade moral e não achar que a máquina pública é máquina de enriquecimento pessoal”, arrematou.

A perspectiva de privatização da Celg também foi alvo de críticas do parlamentar, que relembrou a atuação de Marconi Perillo para que o ex-governador Alcides Rodrigues não viabilizasse o empréstimo que manteria 92% das ações da empresa para o Estado. “Entregaram 51% da empresa para Eletrobras e ficaram com os passivos trabalhistas. Agora querem privatizar a Celg. Que empresa, visando o lucro, irá atender as regiões onde a demanda é menor?”, questionou.

uruacu

Caiado participa de desfile ao lado de 2 mil cavaleiros em Uruaçu

O senador Ronaldo Caiado (Democratas) esteve neste sábado (27/06) em Uruaçu, no Norte de Goiás, onde desfilou com quase dois mil cavaleiros e amazonas na 14ª Cavalgada de Sant’Ana. Para o democrata, foi uma oportunidade de resgatar uma tradição importante do Estado e encontrar amigos e lideranças.

“A cavalgada faz parte dos cortejos típicos da região em homenagem ao aniversário de Uruaçu e sempre faço parte desta festa pela tradição e pelas ligações de longa data que tenho aqui. Meu saudoso pai advogou por muitos anos nesta região e tenho um carinho grande por todos, que deram um apoio expressivo para todos os meus mandatos”, explicou.

Ronaldo Caiado chegou por volta de 11 horas no município e recepcionou os cavaleiros e amazonas na sede da fazenda São Bento, de onde seguiu para o Centro da cidade montado na mula Serena. O percurso, de pouco mais de 1,5 quilômetro, demorou uma hora e terminou com um almoço no Parque de Exposição Agropecuária de Uruaçu. No caminho o senador fez questão de descer de cumprimentar Iraci Barbosa, que faz orações a favor dos cavaleiros.

A participação do senador no evento foi celebrada pelos moradores. Presidente da organização da Cavalgada, Thiago Garcia se sentiu gratificado com a presença do senador. “Ronaldo Caiado sempre participou dos nossos eventos e para nós é muito gratificante”, disse. O produtor rural Edson Negão também agradeceu. “É sempre uma honra. Além de ruralista, Ronaldo Caiado tem enorme peso na política nacional” elogiou.

O vice-presidente do Democratas de Uruaçu, Ozires Ribeiro, afirmou que a preocupação do senador com Uruaçu é constante. “Fico grato pois Uruaçu tem grande respeito por Ronaldo Caiado, que abrilhanta nosso evento”, disse.
Ozires destacou ainda que a presença do senador reforça as discussões sobre o futuro político de Uruaçu, em especial sobre 2016.

utc

Para Caiado, depoimento de dono da UTC motiva afastamento de Dilma

O líder do Democratas no Senado, Ronaldo Caiado, afirmou que o depoimento do empreiteiro Ricardo Pessoa é a prova de que as campanhas petistas de Dilma Rousseff e Lula foram abastecidas com dinheiro desviado da Petrobras. Ao comentar as revelações feitas pela revista Veja sobre a delação premiada do dono da UTC, Caiado acredita que o fato é motivo para o impeachment da presidente e a convocação de novas eleições. Conforme a reportagem, as campanhas de 2014 de Dilma e de 2006 de Lula receberam mais de R$ 10 milhões da UTC em recursos ilegais, de acordo com a confissão de Pessoa.

“Esse depoimento de Ricardo Pessoa é a prova que as campanhas de Dilma foram irrigadas com dinheiro roubado da Petrobras e tiveram fontes nada republicanas. Isso é motivo mais que suficiente para Dilma perder o mandato e para convocarmos novas eleições”, avaliou o senador.

Para o parlamentar um crime dessa envergadura demanda a abertura de um processo de impeachment pela Câmara. “A Câmara deve abrir um processo de impeachment. Crime eleitoral desse porte tem que ter como resposta imediata o afastamento da função. Dilma e o PT com mais essa reforçam ainda mais que ela não tem condições de comandar o país”, opinou.

oposicao

Recepção a missão chapa branca a Caracas mostra conivência do governo do PT a ditadura venezuelana, diz Caiado

O líder do Democratas no Senado, Ronaldo Caiado, afirmou hoje (25/6) que a honrosa recepção concedida em Caracas a senadores simpatizantes do bolivarianismo prova a conivência do governo Dilma a ditadura venezuelana. O senador disse em plenário nesta tarde que recebeu relatos de jornalistas que acompanham a missão de senadores governistas a capital da Venezuela e as informações são de que foram recebidos por batedores do governo Maduro, apoiados por representantes do Itamaraty e tiveram livre acesso a capital do país. Situação bem diferente da verificada na semana passada quando outra missão em que haviam parlamentares da oposição quando mal conseguiram circular a poucos metros fora do aeroporto, foram agredidos por manifestantes e abandonados pela diplomacia brasileira.

“Recebi notícias de que missão chapa branca não encontrou nenhum engarrafamento, foram recebidos com toda a liturgia, um número incontável de batedores, tapete vermelho, tiveram todo apoio do Itamaraty e conseguiram acesso a todos os lugares onde haviam marcado suas audiências. Bem diferente da nossa situação em que ficamos aprisionados, sitiados e fomos agredidos por manifestantes”, relatou Caiado. “A recepção aos simpatizantes do bolivarianismo foi bem diferente. Essa situação é grave e prova com fatos a conivência da presidente Dilma, do governo do PT a ditadura da Venezuela”, pontuou.

Caiado reforçou a necessidade da presença do chanceler Mauro Vieira e do embaixador brasileiro na Venezuela, Ruy Pereira, na Comissão de Relações Exteriores para esclarecer qual a posição de fato do governo do Brasil em relação à Venezuela. “Precisamos trazer o embaixador e o chanceler para esclarecer se a posição do Brasil é a mesma da Venezuela. Hoje, não conseguimos nem transitar em Caracas. Se existisse o bolivarianismo no Brasil estaríamos presos? Essa é vontade do atual do governo?”, disse Caiado.

justica3

Caiado cobra ampliação de juizados especiais em sabatina com candidatos ao CNJ

O líder do Democratas no Senado Federal, Ronaldo Caiado, cobrou a ampliação e a maior utilização dos juizados especiais como formar de acelerar a Justiça brasileira. A demanda foi apresentada aos indicados ao Conselho Nacional de Justiça, Fabiano Augusto Martins Oliveira e Fernando Cesar Baptista Mattos, que participaram de sabatina na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, nesta quarta-feira (24/06).

“Por que os juizados especiais não são incentivados? Toda vez que tentamos fortalecer esse instrumento que dá mais celeridade ao processo jurídico, encontramos algum obstáculo. Tentam desmoralizar citando que seus juízes estão em estado probatório quando na verdade a própria justiça comum utiliza dos mesmos profissionais sem preconceito”, lembrou Caiado.

De acordo com o democrata, existem grandes agentes que se articulam contra os juizados especiais, pois se beneficiam da lentidão e da morosidade do sistema jurídico. “Me aproveito da fala do ministro Marco Aurélio de Melo quando diz que o cidadão hoje não teme mais a Justiça por não acreditar em sua eficácia. Isso só estimula as chamadas ‘chicanas jurídicas’ que fazem com que os processos não andem e a Justiça acaba se tornando instrumento apenas daqueles que têm condições de arcar com seus custos”, alegou Caiado.

Ambos os sabatinados manifestaram apoio à demanda do senador por uma maior utilização dos juizados especiais. Eles ressaltaram a eficácia da aplicação da ferramenta na Justiça Federal e em diversas justiças estaduais do país.

parlamentarismo

Caiado diz que momento do Brasil exige mudança para o parlamentarismo

O líder do Democratas no Senado Federal, Ronaldo Caiado, anunciou que vai defender uma mudança no sistema de governo brasileiro para o parlamentarismo, durante a apreciação da reforma política na Casa. O anúncio foi feito após a instalação da comissão, nesta terça-feira (23/06), que começou a apreciar o texto votado na Câmara dos Deputados.

“Não adianta fazer remendo em tecido roto. Precisamos de uma mudança profunda e por isso defendi a tese do parlamentarismo. A reforma precisa achar uma solução definitiva para a crise institucional que assola o país e o sistema presidencialista, como está, produz e amplia a crise”, defendeu Caiado.

Referendo

A ideia de Caiado é que a reforma, com uma possível mudança para o sistema parlamentarista, seja colocada em forma de referendo para a avaliação da população.

“É preciso consenso para discutir um assunto maior que é como sair da crise. Sempre fui um defensor do presidencialismo mas o Brasil atual está num impasse e não sabe como sair porque o atual sistema de governo é ineficiente”, alegou o democrata.

Coligações

Para Caiado, as mudanças realizadas na Câmara dos Deputados não foram satisfatórias. Ele alega que é preciso buscar mudanças significativas, como o fim das coligações proporcionais, “ferramenta que prolifera o número de partidos e transforma campanhas em balcão de negócios”.

urna

Parecer de Caiado define impressão de votos como método de checagem da urna eletrônica

O líder do Democratas no Senado Federal, Ronaldo Caiado (GO), revelou em plenário seu parecer favorável ao projeto de lei 406/2014, que determina a impressão de voto de urna eletrônica para permitir aferição do resultado das eleições.

Como relator, Caiado anunciou que ampliou o texto de autoria da senadora Ana Amélia (PP-RS), de modo a possibilitar a impressão da totalidade do sufrágio. O projeto inicial previa apenas a impressão de uma parcela a título de amostragem. O texto também ressalta a não identificação do eleitor, permitindo a utilização dos impressos somente como instrumento de prova num possível e eventual pedido de recontagem a ser deferido pela Justiça Eleitoral.

“O projeto é muito claro e não há margem de dúvida de que haverá de sigilo do voto, que será imediatamente depositado em urna lacrada. A finalidade dessa proposta é dar a possibilidade de avaliarmos o desempenho das urnas eletrônicas, uma tecnologia que representa um avanço importante, porém não está livre de falhas”, anunciou Caiado.

O democrata argumenta que nenhum modelo de segurança pode ser tratado como intransponível e questiona a insistência de alguns setores que reagem contra qualquer tentativa de trazer maior segurança e maior transparência ao processo eleitoral eletrônico.

“Será que a urna eletrônica é intransponível a hackers que já entraram em computadores do Pentágono, de Dilma e do sistema financeiro? As urnas não são intransponíveis e não podem estar acima de qualquer avaliação ou auditoria. É fundamental que possamos aferir se o resultado apurado nessas urnas corresponde à vontade do eleitor brasileiro com a devida garantia do sigilo do voto”, defendeu. O projeto se encontra pronto para ser colocado em votação na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, onde tem caráter terminativo.

Garantia ao sigilo

Projetos anteriores que visavam a impressão do voto já foram apresentados mas acabaram sendo tratados como inconstitucionais por ferir a garantia constitucional do sigilo do voto. De acordo com o relatório apresentado por Ronaldo Caiado, não é o caso do PLS 406/2014, que somente age em eventual trabalho de aferição do desempenho das urnas eletrônicas, sem qualquer tipo de identificação.

“Os projetos antigos falavam da impressão do voto e ainda a sua identificação a partir da associação do eleitor à respectiva assinatura digital. Isso poderia gerar o reconhecimento do eleitor. Não estamos tratando disso nesta matéria”, assegurou o democrata.

1 2 3 4