image-1-754x426

Para Caiado, governo deve assumir que seu plano de marketing para educação para não se aplica à realidade

Durante audiência pública hoje (9/6) na Comissão de Educação, o senador Ronaldo Caiado (GO), cobrou do ministro Renato Ribeiro um posicionamento do governo sobre a total falta de condições de atender um plano de governo eleitoreiro apresentado apenas para reeleger a presidente Dilma. Caiado mostrou dados, como o corte no FIES, a péssima execução orçamentária nos últimos quatro anos e a ineficiência do Pronatec para provar que a Pátria Educadora existe somente no programa eleitoral do PT. O senador, apesar de se declarar um federalista, defendeu a tese de senador Cristóvão Buarque de transferir a responsabilidade da educação básica no Brasil para a União, já que concentra 70% da arrecadação de impostos.

“Quando o governo vai começar a falar a verdade para o povo e vai admitir que não tem condições de seguir o plano de marquetagem elaborado apenas para eleger a presidente Dilma? Estamos assistindo um corte no FIES que representa um retrocesso sem precedentes. Como o governo vai atingir a meta de aumentar em 50% as matrículas no ensino superior com esse corte? Estamos vendo algo inédito: foi aprovada uma MP que condiciona o acesso ao seguro-desemprego à matrícula no Pronatec, programa que não está funcionando em 2015. Essa é a Pátria Educadora com corte de R$ 9,4 bilhões no orçamento de 2015”, ponderou o senador.

Ronaldo Caiado relatou que em 2015 o orçamento de 2015 previsto para o FIES é de R$ 12 bilhões, menor que o orçamento pago em 2014 que foi de R$ 13,7 bilhões. Ainda revelou que o primeiro governo Dilma apresentou a pior execução orçamentária da história com 23% não aplicados, o equivalente a R$ 61 bilhões. E lamentou que importantes leis como a que estipula o piso salarial dos professores não seja cumprida pela enorme concentração de recursos dos impostos nas mãos da União.

“Sou federalista, mas vejo que a única forma de a educação funcionar é com a federalização. Temos a lei do piso salarial dos professores que é uma peça de ficção. Os estados e municípios não têm condições de cumprir. E como vão conseguir cumprir se a União concentra 70% da arrecadação?”, analisou o parlamentar.

One thought on “Para Caiado, governo deve assumir que seu plano de marketing para educação para não se aplica à realidade

  1. Ë isto aí Senador Caiado, tem que cobrar mesmo, e TIRAR DA PAREDE “PÁTRIA EDUCADORA”e COLOCAR PÁTRIA SOFREDORA, aí estaria mais certo, porque com todos estes cortes na Educação não tem jeito mesmo.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *