inflacao

Ronaldo Caiado será o entrevistado do próximo Roda Viva (03/08)

O líder do Democratas no Senado Federal, Ronaldo Caiado, vai ser o entrevistado do programa Roda Viva que vai ao ar às 22h da próxima segunda-feira (03/08), na TV Cultura.

O programa de entrevistas será transmitido ao vivo e pode ser acompanhado pela internet através do endereço http://tvcultura.cmais.com.br/rodaviva. A mesa de entrevistados será composta por jornalistas da veículos de imprensa nacional e deve discutir a atual situação política do país, bem como a análise e as propostas do líder oposicionista para superar o atual momento de crise.

Programa Roda Viva entrevista Ronaldo Caiado
QUANDO: Segunda-feira (03/08), 22h
ONDE: TV Cultura (http://tvcultura.cmais.com.br/rodaviva)

banner

Caiado: “popularidade de Dilma atinge zero, já que apoiadores do governo representam apenas aqueles que se beneficiam da máquina pública”

O líder do Democratas no Senado, Ronaldo Caiado, acredita que a popularidade do governo Dilma chegou a zero e não há mais condições de governabilidade com o resultado divulgado hoje (21/7) da pesquisa CNT/MDA. “A presidente comete um crime sabendo que não tem condições de governar com um índice de aprovação de 7,7% que representa zero porque isso significa apenas um eleitorado fisiológico do PT que se beneficia da máquina pública”, avalia o parlamentar. Para Caiado, a única saída para a situação de ingovernabilidade é a convocação de novas eleições.

“Não existe expressão maior de golpe quando uma governante prioriza seu interesse pessoal em detrimento do que pensa mais de 190 milhões de brasileiros. Essa atitude da presidente e dos seus ministros que fecham os olhos para o momento delicado com que passa país e não convoca novas eleições é acreditar que o povo não conhece seus direitos e prerrogativas do regime democrático”, afirmou em nova referência a pesquisa CNT/MDA.

Na opinião do líder, os líderes do Congresso devem antecipar o retorno às atividades parlamentares para discutirem o momento delicado. “Diante desse quadro de ingovernabilidade, só há uma saída: a convocação de novas eleições ou teremos um processo de desobediência civil. Sem credibilidade, Dilma perdeu totalmente a capacidade de tirar o país da crise que ela provocou. A presidente deveria ter convocado a população a apoiar um ajuste fiscal para superar a crise e ao mesmo tempo ganhar a confiança dos investidores brasileiros e internacionais, fundamentais nesse momento difícil. Mas falta a ela essa credencial”, finalizou Caiado.

O levantamento mostrou ainda que a desaprovação a presidente atingiu 79,9% em julho ante ao 77,7% registrados em março. Além disso, para quase 70% dos entrevistados, Dilma é culpada pela corrupção desvendada na operação Lava Jato.

caminhao

No aniversário de Lagoa Santa, Ronaldo Caiado entrega caminhão de limpeza

No aniversário de 18 anos de emancipação política de Lagoa Santa, o senador Ronaldo Caiado (Democratas) entregou aos moradores benefício oriundo de R$ 200 mil em emenda de bancada que havia sido conquistada no ano passado na Câmara Federal. O recurso foi usado na compra de um caminhão basculante com caçamba que, segundo o prefeito Adivair Gonçalves de Macedo (Democratas), contribuirá para a melhoria da limpeza na cidade.

“O senador Ronaldo Caiado tem sido muito prestativo com a população de Lagoa Santa, o único que realmente tem nos ajudado. Todos os moradores ficam muito felizes com este presente que estamos recebendo no aniversário da cidade”, disse o prefeito.

A entrega do caminhão foi feita durante o evento de aniversário, que ocorreu na manhã de domingo (19 de julho) no Centro da cidade. Segundo o prefeito, a festa marcou a inauguração do Lago Municipal.

O senador Ronaldo Caiado diz ter um carinho especial por Lagoa Santa, que na eleição passada o consagrou ao cargo com mais de 85% dos votos válidos. Além do caminhão basculante, Ronaldo Caiado empenhou emenda para a compra de trator.

“É gratificante poder colaborar com a cidade neste momento em que ela comemora sua emancipação política. A população de Lagoa Santa é muito querida porque sempre me apoiou em minha trajetória política. Sei das dificuldades das prefeituras e por isso meu empenho em atendê-las em suas demandas”, diz o senador.

Captura de Tela 2012-09-19 às 18.36.12

Brasil não confia em Dilma, diz Ronaldo Caiado em artigo na Folha

O líder do Democratas no Senado Federal, Ronaldo Caiado, afirma em seu artigo quinzenal publicado no jornal Folha de São Paulo que a presidente Dilma Rousseff (PT) não tem a confiança do Brasil e perdeu uma oportunidade, quando esteve em junho nos Estados Unidos, de debater com sinceridade sobre soluções para o meio ambiente. Para o democrata, a presidente não expôs os motivos do Brasil ter se tornado referência em preservação, que foi à custa dos produtores rurais. “Ao contrário dos EUA, que pagam a seus agricultores exatamente o valor da receita que a área produz”, diz o senador. Ronaldo Caiado também aborda o descaso do PT com a produção de etanol. Ele lembra que apenas o uso do etanol e da bioeletricidade seria suficiente para posicionar o país acima da média mundial em energias limpas e renováveis.

Confira o artigo na íntegra.

O Brasil não confia em Dilma

A presidente Dilma Rousseff perdeu uma grande oportunidade quando esteve nos Estados Unidos, ao final de junho, de discutir verdadeiramente a suposta pauta da reunião com o presidente Barack Obama: ambiente, energias renováveis e combate ao efeito estufa.

Ao noticiar o tema, Dilma assumiu o compromisso de reflorestamento de 12 milhões de hectares até 2030. Mas a presidente, provavelmente constrangida pelos malfeitos dos governos do PT, também na área de ambiente, não teve condições de se posicionar e expor os motivos de o Brasil se tornar referência em preservação. Tudo à custa do produtor rural, sem nenhum apoio do Estado. Ao contrário dos EUA, que pagam a seus agricultores exatamente o valor da receita que a área produz.

No Brasil, a cultura é achacar o produtor. Os órgãos do governo responsáveis pelo ambiente nada produziram no sentido de educar e orientar, principalmente os pequenos e médios agricultores. Só jogaram a responsabilidade nas costas dos proprietários, com taxas e punições abusivas.

A insensibilidade e o descaso do PT atingiram a produção de etanol, energia limpa e renovável, orgulho do país. É só voltar à crise do petróleo, iniciada em 1973. O preço do barril, em valores atualizados para 2014, saltou de US$ 17 para US$ 92, em 1980. Como reação, o governo, em 1975, lançou o Programa Nacional do Álcool, o Proálcool, que se tornou então referência mundial.

O PT rasgou aquele compromisso histórico com o ambiente. Manobrou a opinião pública, levando parte da população a acreditar que o acesso a veículos, fruto do endividamento familiar, substituiria qualquer outro transporte digno e menos poluente. Hoje, os brasileiros endividados sabem que foram enganados. A gasolina encareceu, o poder de compra dos salários caiu, o desemprego aumentou e os centros urbanos continuam sem alternativa para o transporte público. O governo do PT enganou e poluiu o Brasil.

Todos os malfeitos e irresponsabilidades foram praticados pelo governo do PT, que implantou a gestão mais corrupta da história da Petrobras. Isso constrangeu o brasileiro, que sempre teve orgulho da empresa. Dilma e Lula transformaram a Petrobras na empresa de capital aberto mais endividada do mundo.

Se não bastasse isso, de olho na reeleição, Dilma passou a controlar o preço dos combustíveis, punindo as usinas de açúcar, álcool e energia. A vinculação com o preço congelado da gasolina fez com que chegássemos a uma triste realidade: 80 usinas fechadas, 67 em recuperação judicial e, das 355 em operação, a previsão é de fechamento de mais 10 no centro-sul e em igual número no Nordeste. Ainda neste ano.

Já os americanos, sem clima propício para a cana de açúcar, utilizam o milho para fazer o etanol. Mesmo com uma produção mais cara e menos rentável, produziram 51,7 milhões de litros no ano passado, enquanto o Brasil atingiu 27,5 milhões de litros no mesmo período.

O mal que o governo petista causou ao ambiente é irreparável. Apenas o uso do etanol e da bioeletricidade seria suficiente para posicionar o país acima da média mundial em energias limpas e renováveis, que hoje é de 13,2%. Dilma não pôde olhar nos olhos de Obama e pedir que encabeçasse um movimento nos países mais ricos e poluidores para nos recompensar com a cobrança de uma taxa calculada pela emissão de CO. E muito menos desafiá-lo a implantar um código florestal próximo ao nosso.

Por esses e mais 1 milhão de outros motivos é que o brasileiro NÃO CONFIA no PT, em Lula e muito menos em Dilma.

celg3

Caiado comemora regulamentação de atividade política em período pré-eleitoral

O líder do Democratas no Senado Federal, Ronaldo Caiado, manifestou apoio ao projeto de lei aprovado na Comissão de Reforma Política, esta semana, que regulamenta atividades políticas em período pré-eleitoral. O texto ainda precisa ser votado pelo plenário da Casa.

O projeto de autoria de Romero Jucá (PMDB-RR) corrige uma incoerência contida na Lei Eleitoral (Lei 9.504) que proibia políticos de se manifestarem candidatos em meses que antecedem o início do período previsto Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

“Não faz o menor sentido a lei como está em que o candidato se comporta como candidato, se manifesta como candidato, viaja como candidato mas não pode se declarar candidato. Esse projeto atualiza isso inclusive citando nominalmente as redes sociais, que é onde o debate político tem acontecido com sucesso”, comentou Caiado.

A lei altera os incisos III, V, VI e VII do Artigo 36 da Lei Eleitoral, que permite a realização de prévias partidárias; a distribuição de material informativo; a divulgação de posicionamento político, inclusive em redes sociais; e a distribuição de material com ideias e propostas e reuniões políticas. Fica vedada a transmissão ao vivo por emissoras de rádio e de televisão.

19051106403_2bc55820a1_k

Caiado: Projeto de repatriação de recursos ilícitos é Estado lavando dinheiro

O líder do Democratas no Senado Federal, Ronaldo Caiado, criticou duramente o PLS 298/2015, que regulariza a repatriação pelo Estado de recursos enviados para fora do país de forma ilegal.

O senador se manifestou contra o requerimento de urgência apresentado nesta terça-feira (14/07) para apressar o trâmite do projeto de autoria do senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP). O PLS tem sido utilizado pelo governo federal como moeda de troca na intensão de equalizar o ICMS entre todos os estados.

“Esse projeto está sugerindo que dinheiro sujo, que pode vir das origens mais obscuras como corrupção ou tráfico, pode sair de forma ilícita e ser repatriado pelo Estado como se fosse recurso legal. É o Estado lavando o dinheiro do crime e legitimando que o crime, no Brasil, compensa”, afirmou Caiado.

O governo tenta apressar a votação para aprovar a equalização do ICMS que está fragmentada em uma resolução, um projeto de lei e uma medida provisória. O democrata se manifestou contra a intenção por penalizar a indústria de Goiás e de outros estados.

“Estou falando de 400 mil empregos em risco com esse projeto que vai acabar com a competitividade das indústrias de estados do Centro-Oeste e do Nordeste. O correto seria primeiro discutirmos uma PEC fixando o valor que viria para o fundo de compensação dos estados. Aí, discutimos a resolução do ICMS”, argumentou.

urna

Ronaldo Caiado já destinou R$ 1,2 milhão em emendas para Goiânia

Em pouco mais de cinco meses de mandato, o senador Ronaldo Caiado (Democratas) já destinou quase R$ 1,2 milhão em emendas para entidades da área de saúde de Goiânia. Entre as beneficiadas estão a Apae, a Fundação Banco de Olhos, o Associação Pestalozzi e o Hospital do Câncer, dentre outras. No Senado Federal e em seus dois últimos mandatos como deputado federal, o total de emendas indicadas para a capital é de R$ 7 milhões, sendo R$ 3,5 milhões já pagas ou em andamento.

“Sou médico atuante há mais de 30 anos e sei das necessidades de quem busca atendimento hospitalar. Por isso sempre fiz questão de atender às entidades de saúde que necessitam de recursos para melhor atender aos cidadãos. Infelizmente a saúde pública em Goiânia não recebe a atenção devida e muitos hospitais precisam buscar outras fontes de recursos para desenvolverem seus trabalhos”, afirma o senador.

Recentemente o senador empenhou R$ 200 mil para a estruturação da rede de serviços de atenção especializada em saúde do Hospital do Câncer e R$ 100 mil, com a mesma finalidade, para a Associação Pestallozzi. A Santa Casa de Misericórdia, por sua vez, deve receber R$ 200 mil. Ao todo são sete entidades apenas em Goiânia que já aguardam os recursos de emendas de bancada de Ronaldo Caiado, sendo cinco por meio do Ministério da Saúde e as outras duas dos Ministérios de Educação e Agricultura.

Em seu mandato como deputado federal, o parlamentar também demonstrou grande atenção para a área de saúde de Goiânia. Uma das emendas em andamento, de R$ 100 mil, é para equipar a Fundação Banco de Olhos de Goiás. Já o Hospital Araújo Jorge irá receber R$ 200 mil para a compra de equipamentos. Desde o seu penúltimo mandato na Câmara foram 25 emendas para a saúde e 13 para educação. As áreas de esporte, cultura, agricultura e social também foram atendidas pelo parlamentar.

policiais

Governo quer contaminar estados com sua crise, diz Caiado sobre pacote do ICMS

O líder do Democratas no Senado, Ronaldo Caiado, repudiou nesta tarde (14/7) a proposta governista de votar um pacote do ICMS em apenas dois dias. Para o parlamentar, é absurdo apreciar de uma só vez um conjunto de medidas que vão penalizar estados com a situação fiscal bastante complicada. Na visão do senador goiano, o governo está transferindo parte de sua crise para as unidades da federação ao querer aprovar projetos que criam supostos fundos de compensação para as perdas do ICMS com a repatriação de recursos de forma genérica sem a definição de quanto seria destinado aos estados prejudicados.

“O governo quer mais uma vez tratorar e votar de hoje para amanhã o pacote do ICMS. Querem votar de uma só vez a resolução que unifica o ICMS e os projetos que criam os fundos de compensação com a repatriação de recursos. A verdade é que o governo quer contaminar os estados com sua crise. Quer garantir mais recursos sem definir quanto nem quando viria para os estados. Vai penalizar os estados que estão com o caixa mais apertado”, opinou Caiado ao se referir a Resolução 1/2013 que unifica as alíquotas de ICMS em todo os país, ao PLS 298/2015, que regulariza a repatriação de recursos de brasileiros que não pagaram imposto no país e da MP 368/2015 que institui os fundos de compensação das perdas do ICMS.

Segundo o líder democrata, não é possível contar com um projeto genérico quando empregos estão em jogo. Ele lembra que Goiás é um dos estados prejudicados, junto com Bahia, Espírito Santo, Santa Catarina, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Amazonas. “Hipoteticamente, seriam R$ 20 bilhões pela repatriação. Hipoteticamente fecham-se indústrias e reduzem-se empregos? Não vamos permitir isso! Se quiserem fazer a tramitação correta com discussão na CCJ, a gente discute. O correto seria discutirmos uma PEC fixando o valor que viria para o fundo de compensação dos estados. Aí, discutimos a resolução do ICMS”, argumentou.

“Essa atitude ameaça 400 mil empregos em Goiás, conforme documentos que recebi da Adial, Fieg e outras entidades. Depois de ouvir minha assessoria técnica, não vou cair em outro conto do vigário como foi a CPMF “para a saúde” e a Lei Kandir. Vou Manter o debate e o diálogo aberto para achar uma alternativa viável para os estados em desenvolvimento, entre eles, Goiás”, disse.

regulacao

Caiado defende maior regulação das pesquisas eleitorais

O líder do Democratas no Senado Federal, Ronaldo Caiado, defendeu maior controle e transparência na divulgação de pesquisas de indicação de voto no período eleitoral. Em debate na comissão de reforma política do Senado, na tarde desta segunda-feira (13/07), o senador defendeu uma consulta jurídica sobre o tema.

“É inegável que as pesquisas de indicação de voto afetam o eleitorado. No Brasil, há uma cultura muito forte do ‘não desperdiçar voto’. Defendo uma consulta para criar mais controle e transparência. Que se crie um modelo para divulgação em até 15 dias antes das eleições, por exemplo”, sugeriu o democrata.

Caiado argumenta que pesquisas de véspera têm forte influência e acabam por desestabilizar o processo eleitoral. Ele lembra que em um cenário onde uma pesquisa má intencionada seja publicada alterando uma eleição, mesmo com a punição dos envolvidos, o resultado final do pleito não seria alterado.

“Pesquisas de véspera, muitas vezes desonestas, causam prejuízos enormes e irreparáveis ao processo eleitoral. É muito importante que saibamos achar uma forma de impedir que elas virem instrumento de manipulação do eleitorado”, defendeu.

Federação partidária

Outro tema do debate que Ronaldo Caiado se posicionou foi em relação à proposta de criação das federações partidárias. O projeto visa substituir as atuais coligações e exigir maior coerência entre os partidos.

“Federações partidárias seriam válidas por quatro anos. Se partido resolver sair, sai sem levar nada, nem tempo de TV, nem fundo partidário. O que acontece hoje com as coligações é a chamada ‘coligação amor de carnaval’, começa na convenção e acaba na eleição. Não pode ser assim. É preciso coerência”, comentou.

piracanjuba

Ronaldo Caiado participa da 5ª Confraternização da Coapil, em Piracanjuba

O senador Ronaldo Caiado (Democratas) esteve neste sábado (11 de julho) na 5ª Confraternização da Cooperativa Agropecuária Mista de Piracanjuba (Coapil) e afirmou que a crise econômica chegou ao patamar atual porque o governo federal não se dispôs a ouvir o produtor rural, considerado por ele um dos principais sustentáculos da nossa economia.

“O setor agropecuário sempre sustentou a nossa economia e, se hoje o País não está em pior situação, é graças à força dele”, discursou o democrata aos quase dois mil associados e familiares que participaram do evento em Piracanjuba.

Depois de atuar por 20 anos na Câmara dos Deputados com a bandeira do produtor, Ronaldo Caiado aproveitou para agradecer o apoio recebido nas últimas eleições. E ressaltou a alegria com que participa todos os anos da confraternização da Coapil. “Cada dia o evento está mais bonito e organizado. Sou conhecedor da luta de vocês nesse momento difícil e estou à disposição no Congresso para atender às suas demandas”, frisou.

Ronaldo Caiado foi recepcionado pelo presidente da Coapil, José Lourenço, e tirou fotos com vários cooperados que o elogiaram por sua atuação no Senado. O momento também foi de reencontro com amigos. O senador fez questão de conversar com Gabriel Dengo, da Fazenda Boa Vista, que aos 99 anos é o associado mais antigo da Coapil.

Participaram da festa também o presidente da Ordem Organização das Cooperativas Brasileiras de Goiás (OCB-GO), Joaquim Guilherme Barbosa, o presidente do Sindicato Rural de Piracanjuba, Eduardo Iwasse; o presidente da Faeg, José Mário Schreiner, o vice-presidente da Coapil, Astrogildo Gonçalves; além de vereadores e lideranças da região.

1 2 3