18502660203_7ce9c9b2a0_z-640x426

Caiado pede a Ministério da Justiça e MP proteção a manifestantes após ameaças da CUT

O líder do Democratas no Senado Federal, Ronaldo Caiado (GO), protocolou hoje a tarde (14/8) três ofícios para garantir a integridade das manifestações de domingo (16/08), após declarações do presidente da CUT, Wagner Freitas, de que a organização iria defender o governo “com armas na mão”.

Os documentos serão entregues ao Ministério da Justiça, como forma de a Polícia Federal estar a par das ameaças e garantir a segurança das manifestações; e à Procuradoria Geral da República (PGR) e à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) como forma de garantir a proteção ao Estado Democrático de Direito.

“Esta declaração do presidente da CUT é um atentado grave contra o Estado. O que mais impressiona é a presidente da República permitir isso dentro do Palácio do Planalto, sede do Executivo brasileiro. Dilma, no mínimo, deveria ter repreendido esse sujeito que ameaça a população e ter dado voz de prisão”, afirmou Caiado.

Crime
Em outra linha, o senador promete ingressar contra o sindicalista no Ministério Público Federal pedindo a abertura de inquérito pela incitação ao crime (Art. 286 do Código Penal).

“Não é possível que a presidente não tenha se dado conta da gravidade dessa declaração a poucos dias de um protesto que promete parar o país. Estou agindo em todas as frentes para que a população não tenha motivos para se amedrontar diante dessas ameaças. Cabe ao Estado garantir o direito de manifestações e a segurança dos brasileiros que irão às ruas”, concluiu.