atoCelgFotoLeandroVieira2

Peemedebistas destacam luta de Caiado em defesa da Celg e de Goiás

Peemedebistas que participaram nesta terça-feira (15/09) de ato público contra a venda da Celg destacaram a luta de Ronaldo Caiado (Democratas) no Senado para impedir que Goiás perca seu patrimônio mais importante. O ato ocorreu em frente à sede da empresa e reuniu de forma suprapartidária lideranças, movimentos populares, funcionários da Celg, familiares e simpatizantes.
Ao discursar, Ronaldo Caiado garantiu que está atento 24 horas contra possíveis manobras do governo estadual no Congresso, como a inclusão de uma emenda na MP 675 que tinha como objetivo acelerar o processo de venda da Celg. Após o alerta do senador, ela foi retirada por ser considerada matéria estranha ao texto central, desrespeitando as regras de votação de Medidas Provisórias.
“Foi a má gestão que deixou a Celg nesta situação de endividamento. Por isso não se sustenta o discurso de que atuamos contra a empresa. Prejuízo quem causou foi quem espoliou a empresa e usou os seus recursos para financiar suas campanhas eleitorais. Precisamos abrir a caixa preta da empresa e punir os responsáveis”, defendeu o senador, que foi fortemente aplaudido durante todo o seu discurso.
O líder do PMDB na Assembleia, José Nelto, creditou ao senador as últimas conquistas dos goianos a favor da Celg, citando o embate que levou o senador a garantir a retirada da emenda na MP 675. José Nelto esteve ao lado de outros parlamentares no Senado no mês passado, durante a apreciação da emenda, para pressionar a base do governo pela retirada “O senhor hoje é nossa esperança, estamos em suas mãos. Hoje essa é nossa principal luta”, disse.
O deputado estadual Ernesto Roller (PMDB) também fez questão de destacar a atuação de Ronaldo Caiado no Senado. “Temos uma voz forte no Congresso, que é o senador Ronaldo Caiado”, falou ao público que acompanhava o ato. Bruno Peixoto (PMDB) reforçou a fala do colega de partido. “Quero aqui enaltecer o Caiado que foi um gigante em retirar da pauta a venda da Celg”, elogiou.