notaapoio3

Stiueg e Senge publicam nota de apoio a Caiado

O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas do Estado de Goiás (Stiueg) e o Sindicato dos Engenheiros do Estado de Goiás (Senge) publicaram nota pública de apoio ao senador Ronaldo Caiado (Democratas) na edição de quarta-feira (2 de setembro) do Diário da Manhã, em nome do Movimento de Defesa da Celg. A manifestação ocorreu após ação do Democrata que derrubou no Senado emenda contra a Celg.

Na semana passada Ronaldo Caiado conseguiu derrubar a emenda após denunciar a inclusão do item da Celg na proposição que tem como tema principal o aumento da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) para instituições financeiras. O artigo que abordava a Celg, denominado pelo parlamentar como “jabuti”, é caracterizado matéria estranha ao texto central, desrespeitando as regras de votação de Medidas Provisórias.

Na nota o movimento afirma que “mantém-se e unicamente em defesa da Celg e do patrimônio público brasileiro, contrário ao processo de desestatização, hora em curso, e apoia a conduta do senador Ronaldo Caiado quando impediu a inclusão da Celg na MP 675”. Os sindicatos também classificaram como “no mínimo estranho” e “desrespeitoso com a população” o interesse recente dos governos federal e de Goiás em reduzir o endividamento da Celg com a Usina Itaipu.

Nas redes sociais o senador tem recebido dezenas de mensagens de apoio pela derrubada desta emenda. Revalino Marinho, funcionário da Celg e produtor rural, afirmou estar agradecido pela luta em prol da Celg. “Muito já nos orgulhou e continuará nos orgulhando como goiano autêntico e determinado”, disse.

Márcia Campos Hamu também escreveu ao senador agradecendo a ação contra a MP 675 que, segundo ela, “evitou que as dívidas advindas dessa se revertesse mais uma vez sobre nossos ombros”, disse. Já Samuel Gonçalves agradeceu em nome da família ao senador. “A Celg é patrimônio dos goianos e como tal deve permanecer”, frisou.

O líder do Democratas no Senado se manifestou em agradecimento pelas mensagens recebidas nos últimos dias. “São inúmeras as mensagens de apoio que tenho recebido nos últimos dias, por meio do Whatsapp, pela nossa ação no Senado em que conseguimos retirar a emenda que autorizava a negociação da Celg para ser privatizada. Não sou contra a privatização, mas esta transação que o governo de Goiás e o governo federal está fazendo é simplesmente lamentável. Fico feliz que a família celgueana, como muitos a denominaram nas mensagens, reconheça este trabalho que visa tão somente proteger o maior patrimônio dos goianos”, afirmou.