22313654016_56be6e1810_z (1)

Senado deve convalidar decisão unânime do STF sobre prisão de Delcídio, diz Caiado


Líder do Democratas afirmou que bancada votará conforme o Supremo. Para o parlamentar PT deve se pronunciar sobre o caso e votações do ajuste fiscal estão comprometidas

O líder do Democratas no Senado, Ronaldo Caiado (GO), anunciou há pouco que a bancada do partido vai votar pela manutenção da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a prisão do líder do governo no Senado, Delcídio Amaral (PT-MS), ocorrida nesta manhã (25/11). Para Caiado, a Casa não pode contestar uma votação unânime da 2ª turma do STF, e toda investigação da Polícia Federal do Ministério Público. O líder democrata ainda acredita que todas as votações que se referem ao ajuste fiscal devem ser interrompidas já que muitas delas estavam sendo articuladas pelo líder petista.

“Acabamos de reunir a bancada e, ao sabermos que a decisão do ministro Teori Zavaski foi convalidada por todos os membros da segunda turma do STF, a posição do Democratas será de votar favoravelmente a decisão do ministro, ou seja, da manutenção da prisão. Até porque nós somos legisladores. Imagina que venha o procurador-geral da República, a Polícia Federal e ao mesmo tempo o Supremo Tribunal Federal, todos eles forma unânime autorizam a prisão, é sinal de que existem provas contundentes e graves e o Senado Federal não pode desautorizar todas essas instituições que tem como obrigação levantar os dados e denúncias existentes e com muita prudência, cautela, seriedade proferir o veredito. Se o veredito é este não cabe a esta Casa contestar uma decisão num momento tão grave de uma denúncia que abala o Senado Federal”, opinou Caiado.

O democrata também cobrou explicações do PT e da presidente da República sobre a situação do líder do governo. “É importante também que o PT se pronuncie. Ele não é apenas um senador, ele é líder do governo. É uma matéria que a presidente da República deveria se pronunciar. Não é uma gripe que tiraria a presidente de um momento tão grave para dizer da situação que atinge a cúpula do partido. Quer dizer, estamos vendo uma regra constitucional que nunca foi usada ser transformada num fato concreto num governo do PT. Então, é um momento de constrangimento, é uma tragédia para o Senado Federal assistirmos uma situação como essa”, acrescentou.

Na visão do senador goiano as votações do ajuste fiscal estão comprometidas. “Devemos interromper todas as votações do dito ajuste fiscal do governo até porque o líder do PT era o articulador do todo o processo de entendimento ou de acordos produzidos para que essas matérias fossem votadas, entre elas, o projeto da repatriação. Não cabe a mim prejulgar quem quer que seja, mas acredito que o processo está chegando naquilo que toda a sociedade espera que não foi uma obra criada apenas por assessores ou senão diretores ou outras autoridades políticas que não tivessem o poder da decisão”, disse sobre acusações que se aproximam do ex-presidente Lula.

Ronaldo Caiado explicou que assim que o processo em relação ao senador Delcídio Amaral chegar ao Senado, a decisão do STF deverá ser avaliada pelo plenário em votação nominal e aberta. A previsão é que o processo chegue ainda hoje a Casa.