voto impresso

Voto impresso é consolidação da democracia, opina Caiado

O líder do Democratas no Senado, Ronaldo Caiado (GO), considera a consolidação da democracia a oficialização do voto impresso a partir da urna eletrônica com a derrubada do veto presidencial em sessão do Congresso nesta noite (18/11). Com apoio da maioria da própria base aliada, o veto foi rejeitado por ampla maioria de deputados (368 votos) e senadores (56 votos) a exceção do PT. Ao defender o voto impresso, Caiado questionou a resistência dos parlamentares petistas e afirmou que o Brasil era o único país que ainda não dispunha de mecanismo de auditagem da urna eletrônica.

“Quem ganhou hoje foi eleitor brasileiro. Esta foi, sem dúvida, a matéria mais importante que votamos hoje. Não existe democracia sem contraprova. O PT queria o que ao defender a manutenção do veto? Deixou apenas um recado a sociedade que não quer auditoria da urna eletrônica e por que? Nas redes sociais, os jovens só falam em fraude da urna e manipulação do resultado. O argumento de aumento de gasto é indefensável e até os custos alegados são na verdade bem mais baixos. Teremos transparência no processo eleitoral. Significa consolidação da democracia”, comemorou Caiado.

O veto ao voto impresso ocorreu ao PL 5.735/2013 (minirreforma eleitoral). O item prevê impressão do voto sem contato manual, protegendo o sigilo da decisão do eleitor. “Os hackers já invadiram o sistema do Pentágono, da Sony e o PT vem dizer que a urna eletrônica é infalível? Quer dizer que a urna no Brasil é soberana e não pode ser contestada? Não é isso que eleitor pensa e nem a maioria do Congresso Nacional que aprovou o projeto e agora derrubou o veto. Esse não é assunto da presidente da República, é um assunto do Legislativo”, disse o senador goiano.