COLETIVA - Cópia

“Governo conseguiu derrubar Agropecuária, último setor que resistia à crise”, diz Caiado sobre o PIB

O líder do Democratas no Senado Federal, Ronaldo Caiado (GO), lamentou os resultados da economia para o terceiro semestre de 2015 que apontam todos os setores produtivos do país em rápido declínio. Em especial, o senador comentou o resultado da Agropecuária, que no início do ano amenizava os resultados econômicos com um crescimento de até 4%.

“É muito triste ver que a Agropecuária, o único setor que ainda resistia aos efeitos da crise do PT no governo, hoje já supera Indústria e Serviços e é onde a economia mais encolhe no país, com queda de 2,4%. Acabou qualquer tipo de alívio nos setores produtivos, o Brasil está em acelerado processo de deterioração”, atestou.

Ele ressalta que mesmo adentrando no terceiro trimestre consecutivo de queda, o que faz o país enfrentar a maior recessão desde a década de 1990, os gastos no governo continuaram aumentado em comparação ao trimestre anterior.

“Como pode, em uma situação como essa, com o Orçamento estourado, os gastos do governo ainda aumentaram 0,3%? Se o PT continuar no poder por mais alguns meses, vamos demorar anos, até décadas para recuperar o que está sendo perdido. Quem sentirá ainda mais os reflexos dessa crise causada pela falta de comando político e econômico do País é o brasileiro, com o desemprego e a inflação crescendo paralelamente”, previu.

Solução
Para Caiado, não há dúvidas de que o principal motivo para a queda nos índices econômicos está na política e na crise de representatividade que assola Palácio do Planalto e Congresso Nacional. O democrata passou a defender a convocação de novas eleições após uma renúncia geral de parlamentares e da presidente da República.

“Sou defensor da tese de que precisamos passar por um processo de renovação geral. Está claro que, tanto a presidente, quanto o Congresso perderam a representatividade junto à população. Temos que ter coragem agora de propor uma renúncia geral”. afirmou.