AlTs7k7mo402UDANdQy2x5rYt3LUqQm_PMHz1Lj0RteU

É preciso humildade do governo de Goiás para reconhecer que situação é calamitosa, diz Caiado na Rádio 730

A alta incidência de crimes em Goiás, e em especial na Região Metropolitana de Goiânia, exige planos emergenciais do governo estadual. Foi o que defendeu o líder do Democratas no Senado, Ronaldo Caiado, em entrevista nesta manhã à rádio 730. Ao sugerir o auxílio da Força Nacional e do Exército para conter a violência do Estado, Ronaldo Caiado pediu humildade ao governo estadual.

“Vivemos uma situação de emergência. Não é só a troca de nomes. Tem de haver planos estratégicos, de curto, médio e longo prazos. Nesse momento precisamos do apoio da Força Nacional e do Exército. As Forças Armadas, tal como no Rio de Janeiro, também podem transitar onde há maiores índices de criminalidade. O governo precisa ter humildade para reconhecer que a situação é calamitosa”, disse.

O senador avalia que, neste momento, as ferramentas que o governo de Goiás dispõe são insuficientes. Ele citou como exemplo o efetivo da Polícia Militar que, de acordo com o sindicato, é de 13 mil policiais para atender todo o Estado. Em Goiânia, onde a situação é mais crítica, o número de policiais militares nas ruas caiu de 3,5 mil em 2007 para 1,5 mil. “Como vai querer que a população fique tranquila com 1,5 policiais na rua, se antes eram 3,5 mil? A PM não é capaz de se multiplicar para atender Goiás e Goiânia, que está sitiada”, lembrou.

A presença de apoio ao aparato policial seria apenas uma medida emergencial, mas o senador defende que o governo apresente planos a médio e longo prazo também. “É necessário contratar mais, fortalecer a academia de polícia para que possa formar um novo contingente. Faltam as ferramentas necessárias para combater esse processo ascendente de criminalidade. As autoridades estão de carro blindado, mas a população está desguarnecida”, comparou.