20160311191055

Na RedeTV, Caiado fala em vontade de participar de debate com Lula

O líder do Democratas no Senado Federal, Ronaldo Caiado (GO), afirmou o desejo de voltar a participar de um debate com o ex-presidente Lula.
Em entrevista ao programa de Mariana Godoy na RedeTV, na noite desta sexta-feira (11/03), o senador falou sobre a crise política, as manifestações do dia 13 e o papel do parlamento na busca de soluções para tirar o país do caos econômico. Ao responder perguntas da internet que indagaram sobre uma possível candidatura presidencial, Caiado afirmou que o projeto não depende apenas de vontade pessoal.
“A construção de uma candidatura presidencial é feita por etapas, consultando diretórios, fazendo prévias. Não tenho como dizer que sou candidato, mas nunca escondi que me orgulho de ser político. E o que eu tenho é uma vontade enorme de voltar a participar de um debate com Lula”, declarou.
Caiado estimou até o recesso de julho o prazo para que se conclua o processo de impeachment aberto no Congresso Nacional. Ele admitiu a necessidade do parlamento dar celeridade ao processo.
“Se me perguntassem o que seria ideal, diria: consultar a população e legitimar alguém para fazer as reformas estruturais necessárias. Mas neste momento, como parlamentar, não podemos ser omissos. Ao Congresso cabe julgar o impeachment e é isso que precisamos dar celeridade”, argumentou.
Caiado também voltou a repudiar a postura da presidente Dilma que vem criticando o Poder Judiciário e contestando o processo de investigação contra Lula. “O ex-presidente é obrigado a depor na Justiça e o que vai fazer depois? Vai fazer palanque, incitar conflito e desacatar instituições. E Dilma vai lá? Como uma presidente da República respalda isso atacando um poder republicano autônomo?”, questionou.
Para ele, os recentes episódios de invasão e violência promovidos pelo MST em todo o país, incluindo sequestro de jornalistas e ataques a veículos de imprensa, têm vinculação direta à postura de Lula e Dilma. “É como se a presidente ao legitimar esse discurso tenha dado carta branca para esses grupos agirem”, lembrou.
13 de Março
Ronaldo Caiado acredita que as manifestações deste domingo (13/03) devem superar a mobilização pré-impeachment de Collor, em 1992, quando os Caras Pintadas tomaram as ruas do país.
“Acredito que em número absolutos vamos superar em até 10 vezes os protestos pelo impeachment de Collor. Estamos falando de um movimento mais abrangente que envolve todas as regiões e setores”, definiu.