ronaldocaiadonatecnoshow

Desafio hoje é maior que o de 1988 para os produtores, diz Caiado na abertura da Tecnoshow Comigo

Com a proximidade da votação na Câmara dos Deputados, os discursos em defesa do processo de impeachment foram dominantes na abertura da Tecnoshow Comigo 2016, em Rio Verde. Mais uma vez presente, o senador Ronaldo Caiado (Democratas) aproveitou o momento para pedir uma grande mobilização do setor rural em Brasília no próximo dia 17 de abril.

“Não podia deixar de pedir a todos os produtores rurais para que mostrem a sua capacidade de mobilização. Em 1988 tivemos uma vitória enorme na redação da Constituição ao garantirmos o direito de propriedades, em uma época em que as terras corriam o risco de serem estatizadas. Nosso desafio hoje não é menor”, lembrou.

Remetendo a recentes ameaças de invasões a fazendas por parte de representante da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Agricultura (Contag), dentro do Palácio do Planalto e com o aval da presidente, Ronaldo Caiado destacou que a situação é delicada e exige tomada de posição. O trâmite do processo, segundo ele, não permite uma segunda chance.
“Vimos que a presidente não respeita as regras constitucionais, a liturgia da presidência. Ela faz do Planalto um palanque e usa inocentes úteis para defender quem não é inocente e muito menos útil. Acham que podem nos acovardar, mas estão enganados. Vamos mostrar a nossa força no dia 17″, reforçou.

O senador disse confiar na força do setor rural neste processo e parabenizou a Comigo pelo trabalho à frente do agronegócio, o único que tem conseguido se manter competitivo frente a fragilidade da economia brasileira. ” Aproveito aqui também para parabenizar por mais esta edição da Tecnoshow. Temos aqui na feira o que há de mais avançado para melhorar o padrão da produção nacional. Vale a pena conhecer”, disse.

O presidente da Comigo, Antonio Chavaglia, em discurso contundente, contou que em março o agronegócio foi responsável por 52% das exportações brasileiras. “Ainda assim não temos o reconhecimento do governo. O que ocorre hoje no Planalto é vergonhoso. Só desastre, corrupção e falta de dinheiro para o seguro rural”, lamentou.

Para o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes, a hora é mesmo de externar indignação. “Ou tomamos as rédeas ou vamos andar na garupa de gente que invade terras”, advertiu.