20160316090000 (1)

Goianos amargarão dívidas de R$ 4,7 bilhões com venda da Celg, diz Caiado

O líder do Democratas no Senado, Ronaldo Caiado, criticou a mais recente tentativa do governo de Goiás de concretizar a venda da Celg às custas de um maior endividamento do Estado. Trata-se da aprovação ontem (31/03) do projeto de lei de que faz com que o Estado assuma R$ 2,4 bilhões da dívida da Celg com a Caixa Econômica Federal.

Pela matéria, Goiás pagaria originalmente R$ 1,9 bilhão para a Caixa assim que a venda da Celg fosse concretizada. Porém, em valores atualizados, a dívida hoje é de R$ 2,1 bilhões. A liderança do governo teria apresentado uma emenda passando o valor para R$ 2,4 bilhões, dentro de uma projeção futura.

Na avaliação do senador, é mais uma conta que a população vai pagar indevidamente. “Veja a proporção do rombo que o governador Marconi Perillo planeja fazer no bolso dos goianos. Depois de assumir uma dívida de R$ 3,7 bilhões com o BNDES para transferir a Celg para a Eletrobras, agora o governador quer se desfazer do restante da empresa e ficar com outra dívida com a Caixa. Só que, para piorar, o cidadão não vai pagar mais o R$ 1,9 bilhão previsto inicialmente. Serão agora R$ 2,4 bilhões, considerando os juros de 6,8% ao ano”, contabilizou.

Ao final das contas, aos goianos só restarão os prejuízos. “Com a perspectiva da venda da Celg por R$ 1,4 bilhão, no final das contas nós ficaremos com uma dívida de R$ 4,7 bilhões, somando Caixa, BNDES e subtraindo o valor da venda. Não é ficção ou pesadelo. É uma das piores heranças que esse desgoverno Marconi vai deixar”, finalizou.