WhatsApp-Image-20160510 (2)

Após delação de Odebrecht, Caiado defende renúncia de Dilma

O líder do Democratas no Senado Federal, Ronaldo Caiado, defendeu que a presidente afastada Dilma Rousseff renuncie ao cargo após revelações de que ela agiu pessoalmente para cobrir despesas de caixa 2 de sua campanha.
As informações publicadas em duas revistas semanais (Veja e IstoÉ) trazem conteúdos exclusivos da delação recém-confirmada de Marcelo Odebrecht. O empresário denuncia que a presidente cobrou pessoalmente doação de campanha para pagar via caixa dois o marqueteiro João Santana em 2014.
“Após essa informação sobre a delação do Marcelo Odebrecht, Dilma deveria respeitar o Brasil e renunciar logo ao cargo. Pouparia tempo ao País e aos membros da Comissão do Impeachment. É a pá de cal que derruba qualquer alegação de que ela não participou do processo de corrupção”, defendeu o democrata.
Para Caiado, não faltaram crimes cometidos por Dilma ao longo do seu mandato e ainda no Governo Lula. Ele cita a delação de Nestor Cerveró, que aponta que a então presidente do Conselho da Petrobras tinha total conhecimento sobre as irregularidades na compra da Refinaria de Pasadena; e a informação de que verba ligada diretamente à Presidência pagou despesas de sua campanha já no segundo mandato da ex-presidente
“O conjunto da obra de seu governo é um verdadeiro desastre que puxou o País para a situação em que vivemos com mais de 11 milhões de desempregados e suas famílias passando dificuldades. Não fosse só por isso, hoje está provado que a imagem que tentaram vender de que Dilma não sabia de nada foi mais uma mentira do PT”, finalizou.