WhatsApp-Image-20160621

Senado aprova projeto do Supersimples com emenda de Caiado que reduz impostos para serviços de medicina, enfermagem e exames laboratoriais

Senado aprova projeto do Supersimples com emenda de Caiado que reduz impostos para serviços de medicina, enfermagem e exames laboratoriais
O Senado Federal aprovou nessa terça-feira, 21/6, texto-base do projeto que altera o Supersimples com emenda do senador Ronaldo Caiado que reduz impostos para serviços de medicina, enfermagem e exames laboratoriais. A medida significará uma redução aproximada de 20 a 25% em impostos que incidem nas empresas desses setores que atuarem pelo sistema simplificado de tributação. A emenda foi acrescida ao Projeto de Lei Complementar 125/2015 que ampliou o teto de faturamento das empresas para serem enquadradas no sistema, além dos setores beneficiados, trazendo, por exemplo, advocacia e arquitetura. Caiado argumentou que a emenda vai favorecer a expansão da medicina em regiões carentes de especialistas no país. A conclusão da votação da proposta ocorrerá nesta quarta-feira, 22/6, com a apreciação de dois destaques.

“Esta é uma demanda antiga do setor. Não fazia sentido essa discriminação da Receita Federal sempre que discutíamos o benefício das áreas de saúde no Supersimples. Ter médicos, enfermeiros e serviços laboratoriais no Supersimples não favorece apenas a economia do país, mas vai propiciar a expansão da medicina no interior do país, vai levar médicos a regiões carentes de especialistas, cardiologistas, obstetras e outros. Muitas vezes um médico recém-formado deixa de investir porque não consegue arcar com a carga tributária”, avaliou Caiado.
Sabia mais
O PLC 125/2015 eleva de R$ 3,6 milhões para R$ 4,8 milhões o teto da empresa de pequeno porte que pode ser incluída no programa. O texto ainda amplia o limite de receita bruta anual para o enquadramento como microempreendedor individual, que deverá passar dos atuais R$ 60 mil para R$ 72 mil. No Supersimples, as empresas com até esse limite de faturamento anual pagam menos impostos e têm menos burocracia no recolhimento dos tributos.