O líder do Democratas no Senado Federal Ronaldo Caiado (GO) criticou a tentativa de separar o julgamento da presidente afastada Dilma Rousseff entre a perda de mandato e a inabilitação para ocupar cargo público pelo período de 8 anos.