caiado

Parecer do Ministério Público não absolve Dilma de crime de responsabilidade, diz Caiado

Informante da defesa da presidente afastada admite que uma pessoa que não praticou crime comum pode ter cometido crime de responsabilidade

O último depoente do julgamento do impeachment deste sábado (27/8), Ricardo Lodi, admitiu que é possível uma pessoa cometer de responsabilidade mesmo sem praticar crime comum. A declaração de Lodi ocorreu após questionamento de Caiado para esclarecer a forma errônea como senadores petistas têm usado parecer do Ministério Público para afirmar que Dilma Rousseff teria sido absolvida. O parlamentar explicou que se tratam de instâncias diferentes que julgam crime comum e crime de responsabilidade com punições diferentes.

“O informante da defesa reconheceu que é possível cometer crime de responsabilidade sem configurar crime comum. Quis deixar claro que senadores petistas tentam confundir a população ao usar parecer do Ministério Público sobre as pedaladas fiscais. O Ministério Público apura crime comum. Quem julga crime de responsabilidade somos nós senadores”, explicou.

“O fato de Dilma não ter cometido crime comum, na visão da Procuradoria-Geral da República, não contamina o julgamento do impeachment. Crime de responsabilidade e crime comum são tratados de formas diferentes com consequências diferentes. E as provas que temos neste julgamento do impeachment é que ocorreu crime de responsabilidade pela presidente afastada”, concluiu.