Ronaldo Caiado - Pensilvânia - Reprodução Internet 31-03(2)

Em palestra nos EUA, Caiado acusa PT de criar clima de discórdia no país

O senador Ronaldo Caiado criticou, nesta sexta-feira (31/03), a forma como a divisão da sociedade brasileira serviu ao projeto de poder do PT, em palestra na Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos. O evento para estudantes brasileiros no exterior foi organizado pela BRASA Global Conferences.

“O próprio Estado brasileiro, quando passou a atender a um projeto de poder de um partido, passou a fomentar a discórdia, a segmentação cada vez mais conflituosa entre ricos e pobres, produtores e índios, trabalhadores e empresários. Isso foi útil ao PT pois, a depender da conveniência, ele se colocava em favor de um dos lados e estimulava esse maniqueísmo”, afirmou o senador.

Ao falar sobre o processo eleitoral em 2014, Caiado afirmou que uma campanha de mentiras e manipulação venceu a corrida presidencial e que isso levou ao atual processo de deterioração do cenário político com a quebra de confiança de Governo e Congresso com a população.

“Criou-se uma tese de populismo desenfreado levando a um processo de anestesia da sociedade brasileira. E então passaram a incentivar esse sentimento de que todos os políticos são iguais. Uma tese com o claro intuito de desmoralizar as instituições a qual eu chamo de ‘moral petista'”, acusou.

Para o senador, já há uma estratégia clara de PT e demais partidos de esquerda de usar o atual momento de descrédito com a política para beneficiar mais uma vez a bandeira do populismo e da demagogia no processo eleitoral de 2018.

“É lógico que, diante de tudo que estamos assistindo, com essa tese de uma moral petista de destruir instituições e utilizar patrimônio do Estado como se fosse patrimônio de um projeto de poder, beneficia a eles dizer que todos os políticos não prestam. Que o Congresso não presta, que empresários não prestam. Querem tentar eleger o mais demagogo, o que ‘rouba, mas faz’, o que atende aos mais humildes”, explicou.

Fundo eleitoral
Ronaldo Caiado também reforçou a necessidade de aprovar uma reforma política até setembro, prazo máximo para já valer nas eleições de 2018. O democrata apresentou seu projeto de criação de um fundo eleitoral e defendeu o processo com o intuito de educar o eleitor a não só participar com o voto, mas também contribuir com as campanhas.

“Gastamos nas últimas eleições presidenciais o equivalente a R$ 6 bilhões. Nossa proposta de um fundo eleitoral prevê captar recursos que já são gastos com isenção fiscal por tempo de TV e rádio, com o fundo partidário e com multas no TSE e colocar esse fundo que vai dar em torno de R$ 4 bilhões sob a responsabilidade do cidadão”, explicou Caiado.

A intenção é fracionar os recurso obtidos entre todo o eleitorado e dar a oportunidade que cada um destine sua parte para o candidato ou partido de preferência. Processo serviria para educar população sob a necessidade de maior participação nas eleições.

Reformas
O senador falou da necessidade das reformas que o Brasil precisa e defendeu que, para aprová-las, o presidente precisa ter um diálogo franco com a população mostrando a real situação do país e passando uma ideia de comando.

“Temos hoje uma necessidade de levar ao conhecimento da sociedade a situação. Eu, como médico, sei que ninguém chega ao meu consultório pedindo para ser operado. As reformas não são uma vontade, são uma necessidade. E é isso que o presidente precisa dizer de forma franca para a população”, concluiu.

WhatsApp Image 2017-01-31 at 19.35.24

Caiado profere palestra na Pensilvânia

Brazilian Undergraduate Student Conference será realizada na Filadélfia dias 31/3 e 1º/4

O líder do Democratas no Senado, Ronaldo Caiado (GO), vai participar nos próximos dias 31/03 e 01/04 da Brazilian Undergraduate Student Conference, conferência que reunirá estudantes brasileiros universitários de várias partes do mundo.

No evento que será realizado na Universidade da Pensilvânia, Filadélfia (EUA), Caiado dará palestra no painel “Política e sistema público: debatendo possíveis reformas no setor”. Sua participação está marcada para 14h30 (horário do Brasil) desta sexta (31/03). A Conferência terá também como palestrantes empresários como Carlos Wizard e Luiza Helena Trajano, professores universitários, jornalistas políticos e integrantes do governo brasileiro a exemplo do ministro da Educação, Mendonça Filho. Caiado, assim como o senador Tasso Jeireissati, representarão o Senado Federal no evento.

“Fui convidado por várias lideranças jovens que hoje estão vivendo nos Estados Unidos, muitos fazendo seus cursos de pós-graduação ou de graduação, e muito me honrou para debatermos o momento político brasileiro. Vamos falar sobre temas como o processo de eleições, a situação econômica do país, a previsão do processo eleitoral para 2018, enfim, um seminário com vários temas elencados e que será uma oportunidade para falar a esses jovens brasileiros que estão longe, mas focados para amanhã trazerem alternativas e continuarem a luta para a melhoria do país”, afirmou o senador.

Além da atual situação política do Brasil, o evento vai tratar de empreendedorismo, o quadro atual e projetos para a educação brasileira, o papel do setor privado e o combate à corrupção. A intenção da conferência é aproximar estudantes das mais renomadas universidades do mundo à realidade do país.

Acompanhe a palestra do senador Caiado que será transmitida ao vivo pelo endereço: www.facebook.com/BRASAConferences

Caiado palestra sobre situação política do país em conferência para universitários brasileiros no exterior

O líder do Democratas no Senado, Ronaldo Caiado (GO), participará nos dias 31/3 e 1º/4 de conferência que reunirá estudantes brasileiros universitários de várias partes do mundo. No evento que será realizado na Universidade da Pensilvânia, Filadélfia (EUA), Caiado dará palestra no painel: Política e sistema público: debatendo possíveis reformas no setor.

Aprovado Projeto de Caiado que resguarda filhos em caso de separação dos pais

O Senado Federal aprovou nesta quarta-feira (29/03) projeto de lei que indica prioridade na tramitação de processos de família que envolvem acusação de alienação parental. De autoria do senador Ronaldo Caiado (Democratas-GO), o projeto ressalta a importância para o bem-estar da criança a resolução com o máximo de rapidez de casos em que o pai ou a mãe instiga o rompimento de laços afetivos do filho com o outro.

WhatsApp Image 2017-03-29 at 19.22.54 (1)

Projeto de Caiado que resguarda filhos em caso de separação dos pais é aprovado

Texto modifica Código de Processo Civil para tornar prioritário na Justiça casos de alienação parental

O Senado Federal aprovou nesta quarta-feira (29/03) projeto de lei que indica prioridade na tramitação de processos de família que envolvem acusação de alienação parental.

O PLS 19/16, de autoria do senador Ronaldo Caiado (Democratas-GO), ressalta a importância para o bem-estar da criança a resolução com o máximo de rapidez de casos em que o pai ou a mãe instiga o rompimento de laços afetivos do filho com o outro.

“Esses tipos de processos tumultuados, onde uma convivência conflituosa pode trazer sequelas enormes para as crianças, precisam de uma atenção especial. Tivemos a preocupação de deixar claro no projeto que o juiz de família terá que dar prioridade total a essas ações. A criança não pode ser a vítima dessa situação que leva até mesmo a um distúrbio psicológico já reconhecido como a síndrome da alienação parental”, justificou Caiado.

Com relatório favorável da senadora Marta Suplicy (PMDB-SP), o plenário aprovou em unanimidade e o projeto segue agora para votação na Câmara dos Deputados.

CCJ aprova requerimento de Caiado para que Janot detalhe proposta de abuso de autoridade

A Comissão de Constituição e Justiça aprovou nesta quarta-feira (29/3) requerimento do líder do Democratas no Senado, Ronaldo Caiado (GO), para que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, detalhe na comissão sua proposta sobre abuso de autoridade. Caiado argumentou que a partir desse projeto do Ministério do Público é necessário fazer um amplo debate para se contrapor a proposta que já está em pauta e construir um texto justo e convergente.

 

23c52dbe-0d1c-45d4-8ece-bd47edb3d02c

CCJ aprova requerimento de Caiado para que Janot detalhe proposta de abuso de autoridade

A Comissão de Constituição e Justiça aprovou nesta quarta-feira (29/3) requerimento do líder do Democratas no Senado, Ronaldo Caiado (GO), para que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, venha a comissão detalhar sua proposta sobre abuso de autoridade. Caiado argumentou que a partir desse projeto do Ministério do Público é necessário fazer um amplo debate para se contrapor a proposta que já está em pauta e construir um texto justo e convergente. Para o senador, é função do Senado esgotar todas as posições, dúvidas dos parlamentares e sociedade e tornar viável um projeto que não impeça o trabalho de cidadãos que ocupem cargos públicos e atuem dentro da lei. A data da audiência pública ainda será marcada pelo colegiado.

“O projeto que está na pauta não tinha passado por nenhuma comissão, foi direto a plenário e conseguimos impedir a votação. Não tem porque ter essa celeridade toda em votar o projeto antes de sanarmos todas as dúvidas da sociedade que são muitas. A matéria é polêmica e nossa função é colocar todas as posições para que possamos acolher um texto compatível e justo. Até ontem as pessoas se posicionaram sobre o assunto a partir de apenas um projeto que está pauta. Temos outra proposta e fiz questão de fazer um comparativo entre o texto original, o substitutivo apresentado pelo senador Requião e a proposta do procurador-geral da República. Por isso, acredito que diante de todas as sugestões, nada melhor que fazermos uma audiência e depois disso votarmos um texto convergente”, argumentou o parlamentar goiano.

O líder, no entanto, protestou contra a continuidade da leitura do relatório antes da audiência pública e apresentou questão de ordem para adiar a ação. ”Não tem porque haver a inversão da ações da comissão. Audiência tem a finalidade trazer argumentos, dados, para que cheguemos a um texto final, texto que terá convergência da maioria”, insistiu Caiado.

Caiado quer convidar Janot para explicar proposta do MP sobre abuso de autoridade

O líder do Democratas no Senado Federal, Ronaldo Caiado (GO), afirmou, nesta terça-feira (28/03), que pretende realizar uma audiência pública na Comissão de Constituição e Justiça com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot. A intenção é debater uma nova proposta para a lei do abuso de autoridade sugerida pelo representante do Ministério Público Federal, de modo que não haja conflito entre as instituições do Estado

WhatsApp Image 2017-03-28 at 19.45.06

Caiado quer convidar Janot para explicar proposta do MP sobre abuso de autoridade

O líder do Democratas no Senado Federal, Ronaldo Caiado (GO), afirmou, nesta terça-feira (28/03), que pretende realizar uma audiência pública na Comissão de Constituição e Justiça com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

A intenção é debater uma nova proposta para a lei do abuso de autoridade sugerida pelo representante do Ministério Público Federal, de modo que não haja conflito entre as instituições do Estado.

“Ao vir ao parlamento, Rodrigo Janot vai poder defender suas teses sobre abuso de autoridade para que consigamos identificar os pontos que precisam ser modificados. Esse deve ser o objetivo do Senado: tirar essa tese de que o projeto de abuso de autoridade é para punir o Ministério Público ou o judiciário ou os policiais”, explicou Caiado.

O senador ressaltou que neste momento de comoção social em defesa dos órgãos que investigam crimes de corrupção na política nacional, é muito importante tornar transparente todo processo que possa ser interpretado como interferência nas investigações.

“As regras devem estar muito detalhadas para que o projeto de abuso de autoridade não cometa nenhuma injustiça. Devemos discutir o projeto publicamente e sanar qualquer dúvida da sociedade. Todos devem ter a convicção de que sua tramitação não veio para inibir a Lava-Jato”, defendeu.

2016
Caiado também lembrou que foi uma das principais vozes contrárias à tramitação em urgência de um projeto de abuso de autoridade no ano passado, quando foi do entendimento da sociedade que sua intenção era impedir o trabalho do MP.

“Fui contra e conseguimos impedir a tramitação quando houve a intenção de votar o projeto de abuso de autoridade a toque de caixa. Mas agora, com uma proposta do PGR, existe espaço para o debate. E é o que vamos fazer aqui ouvindo e respeitando a todos”, concluiu.

1 2 3 6