IF-Goiano - Divulgação

Articulação de Caiado garante R$ 1 milhão para IF Goiano de Morrinhos

Uma articulação feita pelo senador Ronaldo Caiado (Democratas-GO) conseguiu o repasse de R$ 1 milhão do Ministério da Educação ao campus de Morrinhos do Instituto Federal Goiano (IF Goiano) nesse final de ano.

O valor foi confirmado nesta terça-feira (26/12) pelo diretor-geral da instituição, professor Gilberto Silvério da Silva. Ele usou suas redes sociais para agradecer ao empenho de Caiado que desde o primeiro momento assumiu essa luta levando o assunto diretamente ao ministro Mendonça Filho.

“Temos a satisfação e a alegria de comunicar a todos que o IF Goiano – Campus Morrinhos acaba de receber 1 milhão de reais que foi possibilitado graças ao nosso senador Ronaldo Caiado! Obrigado senador! A educação profissional e tecnológica muda a vida de milhares de jovens goianos”, comemorou o diretor em uma publicação.

Caiado agradeceu a menção e lembrou que assumiu esse ano a mediação de uma série de demandas dos municípios goianos junto ao MEC conseguindo priorizar emendas e recursos ao estado. “Estamos conseguindo trazer recursos e novos projetos para a educação do interior de Goiás que foi abandonada pelo governo estadual. Nosso diferencial é o trabalho e a disposição de levar a sério o problema de nossas cidades, em vez de fazer política com dinheiro público”, comparou.

Trajetória
A luta para trazer esses recursos para o campus de Morrinhos do IF Goiano começou ainda em junho desse ano, em reunião no MEC com diretores e representantes da instituição.

Na época, Caiado mediou um encontro com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e o IF Goiano, onde ficou decidido que o campus de Morrinhos teria prioridade em sua estruturação. A luta agora será para a consolidação da residência estudantil, garantindo o acesso de moradores de outras regiões de Goiás ao ensino de qualidade da instituição de 1.200 alunos.

“O pleito do IF Goiano representa uma garantia de oportunidade para que as pessoas mais simples que não conseguem pagar o transporte tenham a possibilidade de realizar uma educação profissional através de um curso técnico”, comentou Silvério da Silva na época.