4

“É preciso governar com o cérebro conectado ao coração”, diz Ronaldo Caiado

Ao lado de Wilder Morais, o democrata participou em Inhumas de encontro da frente Unidos para Mudar Goiás que reuniu lideranças de 50 municípios

Em encontro em Inhumas com lideranças de 50 municípios, o senador Ronaldo Caiado (Democratas) afirmou que o bom governante precisa ter o cérebro conectado ao coração. “Meu velho professor dizia que a menor distância que governante tem de caminhar são 30 centímetros. É exatamente a distância entre o cérebro e o coração. Para governar o cérebro deve estar conectado ao coração. É isso que Goiás espera”, afirmou o senador.

A declaração foi durante mais um encontro da frente Unidos para Mudar Goiás, que conta com o apoio de Democratas, PSC, PMN, PMB, PSL, Patriotas, PPL, PTC, PRTB, PSDC e Podemos. Marcaram presença o senador Wilder Morais (Democratas), os deputados Delegado Waldir (PSL), Major Araújo (PRP), José Nelto (Podemos), Lívio Luciano (Podemos) e o ex-deputado estadual José Essado (PSDC), além de pré-candidatos e lideranças.

A falta de cuidado com o cidadão é o que mais preocupa o democrata, que fala em resgate do social em Goiás. Segundo ele, o atual governo peca por focar apenas em ações eleitoreiras e esquecer da atenção permanente ao cidadão.

“O governo agora diz que vai instalar o terceiro turno da saúde. Mas só agora acordou para isso? Temos 55 mil goianos na fila de espera por cirurgias eletivas, segundo dados do Conselho Federal de Medicina. O que vemos é que o atual governo nunca olhou para o povo. Onde ficou a prometida regionalização da saúde? Como pode agora querer dizer que vai trabalhar pelo social?”, questionou.

Ronaldo Caiado acredita que pode fazer um governo cuja área social seja um diferencial. “Saberemos elaborar uma política social em que o cidadão ganhe condições de se reerguer e caminhar com independência. É isso que temos de fazer”, afirmou.

Mudança

Os jovens têm tido um papel importante no desejo de mudança que se alastra pelo Estado. É o que afirmou o senador Ronaldo Caiado. “Estava vindo para Inhumas e um jovem me perguntou se eu havia reparado que a mudança é a palavra mais ouvida hoje em Goiás. Muitos desses jovens não conheceram outro governo, que está aí há 20 anos. Ele me disse: ou a gente muda ou dança. Os jovens realmente incorporaram essa luta”, comemorou.

Por isso o parlamentar acredita que responsabilidade de todos os que se empenham em mudar esta realidade em Goiás é grande. “Temos responsabilidade grande nesse momento em que os brasileiros não acreditam nas suas lideranças políticas. Mas Goiás vai dar exemplo e mostrar que com políticos sérios e honestos é possível mudar Goiás”, assegurou.

No discurso, Ronaldo Caiado também garantiu que os prefeitos não serão chantageados a darem seu apoio em troca de verbas para os seus municípios. “O governo fala em distribuir dinheiro como se fosse dele. O repasse devia ser proporcional ao FPM. Usam esse tipo de pressão achando que podem botar canga na população de Goiás”, criticou.

Em relação à dilapidação do patrimônio goiano nesta que pode ser a reta final deste governo, Ronaldo Caiado garantiu que vai lutar para reaver o prejuízo aos goianos. “Não adianta entrarem na tese de que vão tomar empréstimos, vender a Celg, a Saneago, colocar imóveis em leilão e deixar como está. Se preciso vamos judicializar tudo contra esses que assaltaram Goiás e querem dilapidar o governo nesta reta final. Não adianta acharem que vão comprar votos para ganhar uma eleição”, advertiu.