7ce1fc08-50ad-4b0d-936a-bd9480a3799c

Atlas da violência é o retrato do desgoverno em Goiás, diz Caiado

 

Taxa de homicídios no estado cresceu 72,2% entre 2006 e 2016. Unidade da federação tem o maior índice do País de homicídios de mulheres negras

O senador Ronaldo Caiado (Democratas-GO) lamentou os índices alarmantes de homicídios registrados no estado de Goiás. Conforme o Atlas da Violência divulgado nesta terça-feira (5/6), Goiás é o oitavo estado mais violento do país, com 45,3 assassinatos para cada 100 mil habitantes, uma taxa bem acima da média nacional que já é maior da história: 30,3 homicídios para cada 100 mil habitantes. O estudo do IPEA e Fórum Brasileiro de Segurança Pública revelou que o estado do Centro-Oeste brasileiro tem um índice de homicídios quatro vezes maior que o estado de São Paulo. Ainda conforme o levantamento, entre 2006 e 2016 o índice de homicídios em Goiás aumentou 72,2%. A taxa é ainda mais alta na faixa etária de 15 a 29 anos de idade: 96,4 a cada 100 mil habitantes, também bastante superior à média nacional entre os jovens que é de 65,5 homicídios a cada 100 mil habitantes.

Para Caiado, os números são “o retrato do desgoverno que se reflete no total quadro de insegurança para todo o povo goiano”. E, como pré-candidato ao governo, firmou o compromisso de mudar essa realidade que tanto aflige a população.

“Mais uma notícia ruim para nós, goianos. Foi publicado hoje o Atlas da Violência em todo o país. Goiás é o oitavo estado mais violento de todo o território nacional: 45,3 de mortes a cada 100 mil habitantes bem acima da taxa média brasileira. E  vejam que o índice de homicídios do Brasil é o maior da história. Goiás está quatro vezes mais violento que o estado de São Paulo. Está aí o retrato do desgoverno que se reflete no total quadro de insegurança para todo o povo goiano. A falta de investimento em inteligência e a desvalorização dos policiais resultaram nesse quadro. Mas já temos o compromisso de mudar essa realidade e trazer esperança por dias melhores”, disse.

Saiba mais

O estudo foi elaborado com base em dados do Ministério da Saúde e considerou informações obtidas entre os anos de 2006 e 2016. No caso de Goiás, a taxa entre os jovens de 15 a 29 anos subiu 90,3% em dez anos. Se considerar o número absoluto de homicídios nessa faixa etária, a quantidade de assassinatos cresceu 103% no período estudado, passando de 825, em 2006, para 1675, em 2016.

Outro dado que choca toda a população: Goiás é o estado com pior índice de homicídios de mulheres negras – 8,5 a cada 100 mil habitantes e tem uma desigualdade acentuada: a taxa entre mulheres não negras é menos da metade (4,1).

Goiás tem ainda índices superiores aos seus vizinhos Tocantins: 37,6 homicídios a cada 100 mil habitantes e  Distrito Federal: 25,5 mortes a cada 100 mil habitantes.