d98faf4d-a2b7-4b5a-88e3-17208c7d2b19

Senado homenageia centenário de nascimento do ex-senador Emival Caiado

O líder do Democratas no Senado, Ronaldo Caiado (GO), participou nesta sexta-feira (8/6) de sessão especial que homenageou o centenário de nascimento do ex-deputado-federal e ex-senador, Emival Ramos Caiado. A sessão, realizada no plenário por inciativa do senador Vicentinho Alves (PR-TO), teve a presença de vários integrantes da família do homenageado, como Elcival Caiado (irmão de Emival), Maria Caiado (esposa), Sérgio, Breno, Inara, Emival Filho (filhos), da esposa de Ronaldo Caiado, Gracinha Caiado, do senador Wilder Morais (Democratas-GO), do ex-governador de Goiás Alcides Rodrigues, do ex-deputado-federal, Pedro Canedo, entre outros familiares de Emival Caiado. Em seu pronunciamento, Ronaldo Caiado fez questão de exaltar o árduo trabalho do tio em defesa do estado de Goiás e o exemplo que deixou de espírito público para toda família.

“Este é um momento muito especial de poder estar nessa tribuna que já foi ocupada pelo senador Emival Caiado.  Como seu sobrinho, condição que muito me honra, posso dizer que manteve e dignificou a presença de minha família na vida pública nacional, que remonta ao tempo do Império, com contribuições não apenas a Goiás, mas a todo o país. Presença que, em muitos momentos da história, importou em sacrifícios, perdas e adversidades, preço que se paga quando se luta por ideais”, destacou Ronaldo Caiado.

Ronaldo Caiado lembrou a participação determinante de Emival Capital para instalação de Brasília com capital federal. “Emival Caiado destacou-se por ter sido o autor do projeto de lei que estabeleceu a mudança da capital federal do Rio de Janeiro para o Planalto Central, materializando um sonho que remontava aos tempos do Brasil Colônia, e se tornara compromisso de campanha de Juscelino Kubitschek, em 1955. O então deputado Emival Caiado – o mais votado proporcionalmente naquela eleição, com 12,4% dos votos válidos, índice ainda hoje não superado – era adversário político do presidente Juscelino. Mas o que estava em discussão era a mudança da capital, a interiorização do desenvolvimento e a ocupação do território nacional em toda a sua extensão”, relatou.

O senador também contou histórias que demonstram o tamanho do prestígio de Emival no meio político. “Até Carlos Lacerda que era opositor a mudança na nova capital se curvou aos argumentos de Emival Caiado que mostrou que não se tratava de um projeto de governo, mas  de país”, lembrou o líder do Democratas. O parlamentar ainda relembrou fato de sua vida em que fazia sua formação como cirurgião no hospital Miguel Couto, no Rio de Janeiro, e Carlos Lacerda deu entrada no local com uma lesão muscular. Lacerda, na ausência do médico que chefiava o departamento, foi atendido por Ronaldo Caiado. Na ocasião, contou Caiado, Carlos Lacerda questionou: “Você é o que de Emival?” Ao revelar que era sobrinho, Lacerda disse: “Então, você deve ser bom”.

“Sou, com muito orgulho, a quinta geração da família que ocupa a vida pública. E trago muito do exemplo de espírito público do meu tio Emival com quem tive ligação muito próxima desde a infância. Tio Emival era um orador habilidoso que sabia falar com o povo e aproximava as pessoas com suas palavras. Guardo na memória com carinho momentos que tive com ele quando ele me presenteou com um casaco de lã que o pertenceu para que pudesse me aquecer no inverno francês antes de me mudar para lá para fazer minha especialização em cirurgia da coluna. Ele também me acompanhou pelo país na minha pré-campanha a presidente da República em 1989, alinhando meu discurso. Um exemplo que precisamos nesse momento difícil que país vive para que possamos fazer as mudanças que o Brasil e o estado de Goiás precisam”, destacou.

Mais homenagens

O senador Wilder Morais destacou a história de vida de Emival dedicada ao estado de Goiás. “Emival faz parte de uma linhagem de gente honesta e que construiu uma história limpa na vida pública. Assim como Ronaldo Caiado que tem 30 anos vida pública e Goiás agora tem o orgulho de contar com seu nome como pré-candidato ao governo do estado”, disse.

“Não podemos esquecer figuras especiais que melhoraram a nossa pátria. Ele foi uma figura extraordinária”, acrescentou Sérgio Caiado, filho de Emival.

“A lição que fica da vida de Emival Caiado para essa e outras gerações é de que a vida pública vale a pena quando feita com bons propósitos notadamente quando o Brasil passa por um momento difícil”, enfatizou o prefeito de Formosa Ernesto Roller (MDB).

Já o ex-deputado-federal Pedro Canedo lembrou que aos oito anos de idade ajudou a pedir votos na campanha de Emival Caiado a deputado federal. “Muito orgulhoso de participar de sessão em homenagem ao centenário dele. Fico orgulhoso também de ver Ronaldo Caiado representando Goiás nesta Casa. Ele, que podia ser candidato a presidência da República, por amor aos goianos se colocou à disposição do estado”, afirmou Pedro Canedo.

“Estamos aqui para homenagear este grande homem que tanto fez e deixou sua contribuição não só para Goiás mas para o Brasil”, frisou o vereador do Democratas de Goiânia, Paulo Daher.

Filho de Emival, Breno Boss Caiado fez um relato sobre a participação de Emival no filme Pureza, em 1940, e como o fato causou polêmica perante o pai Totó Caiado, já que a época ser artista de cinema não era reconhecido para uma família tradicional. Breno exaltou também a lealdade do pai com os amigos e com família e como esse exemplo ele trouxe para sua vida pessoal e profissional de advogado.

Biografia

Emival Ramos Caiado, goiano da cidade de Goiás, nasceu em 4 de maio de 1918. Filho de Antônio Ramos Caiado e Maria de Amorim Caiado, nasceu com DNA na política. Seu pai, conhecido como Totó Caiado, foi deputado federal e senador, um político conhecido e respeitado no estado de Goiás. Emival iniciou sua carreira política ao ingressar na UDN e presidir o diretório do partido, em Anápolis. Em 1950 conquistou seu primeiro mandato eletivo ao se tornar deputado estadual. Quatros anos depois assumiu a cadeira de deputado federal. Em 1970, foi eleito senador da República. Além de político, atuou como advogado e agropecuarista. Se formou em Direito pela Universidade Federal Fluminense, de Niterói – Rio de Janeiro, em1942.

Entre os projetos de sua autoria está o que criou a Fundação de Assistência do Garimpeiro e Proprietário Rural. Porém, sua proposição de maior destaque foi a Lei 3.273, aprovada em 1958, que fixou em 21 de abril de 1960 a data de mudança da nova capital federal, que ficou conhecida como Lei Emival Caiado.

Além do reconhecido talento para política e advocacia, Emival Caiado trabalhou, em 1940, como ator no filme “Pureza”, uma adaptação do romance de José Lins do Rego. Faleceu em Goiânia em 7 de agosto de 2004 aos 86 anos de idade. Era casado com Maria Curado Caiado. Pai de seis filhos: Breno Boss Cachapuz Caiado, Emival Ramos Caiado Filho, Inara Ramos Caiado, Murilo Boss Cachapuz Caiado, Sérgio Ramos Caiado, Sandra Ramos Caiado e avô de 10 netos. É tio do senador e atual líder do Democratas no Senado, Ronaldo Caiado.