02

Vamos desenvolver todos os quadrantes de Goiás, garante Caiado

No segundo programa ao vivo semanal pela sua página no Facebook, o candidato expôs suas propostas para reduzir desigualdades das regiões mais carentes do Estado

No segundo programa “Caiado ao vivo”, transmitido na noite de quarta-feira (22/08) pelo Facebook, o candidato ao governo de Goiás pela coligação A Mudança é Agora, Ronaldo Caiado (Democratas), destacou que seu plano de governo apresenta como meta reduzir as desigualdades e permitir o crescimento de todas as regiões de Goiás.

Segundo o democrata, Goiás tem uma capacidade ímpar de desenvolvimento e não é justo deixar esquecidas as regiões mais carentes, como Norte e o Nordeste. Para transformar Goiás na capital do Centro-Oeste, o postulante ao governo vai buscar a melhor distribuição de recursos aos municípios, investimento em cursos técnicos e profissionalizantes para qualificação de jovens; a regionalização da saúde; incentivos para industrialização e o combate duro à corrupção para permitir que os recursos sejam de fato aplicados nas reais necessidades do Estado.

No programa, Caiado se comprometeu a estipular metas para recompor o efetivo policial necessário para atender todo o estado bem como a implantação do “compliance público” – o primeiro do país – para trazer transparência, controle e eficiência dos gastos. O compliance é um programa utilizado para monitorar e assegurar que todos os envolvidos em uma determinada empresa estejam de acordo com boas práticas e com a legalidade. “O governador é um funcionário público e tem a obrigação de prestar contas ao cidadão”, atestou.

Ao longo de sua participação ao vivo pelo Facebook, Ronaldo Caiado ainda comentou o início da campanha, com massiva participação do povo nas ruas nas carreatas e caminhadas já realizadas, casos de Aparecida de Goiânia e Anápolis.

“O sentimento da população de mudança é muito forte nas ruas. O povo chega até nós para dizer: é momento de mudar, essa é a hora. As pessoas que vão para as calçadas nos abraçar, fazer selfie. Nossa campanha tem sido muito alegre. Uma campanha de propostas, mas muito alegre. O que mostramos é que mesmo diante das dificuldades, o goiano tem orgulho de ser goiano”, disse.

Confira os trechos principais do “Caiado ao Vivo”:

Segurança pública

Na primeira pergunta do programa, o seguidor Paulo Vítor mostrou preocupação com a enorme carência do efetivo policial no Estado.

“Um dos focos principais do nosso programa de governo é resgatar a segurança pública. Não é possível trabalhar com contingente de 10 mil policiais militares. São 162 cidades sem um delegados. A mídia alertou há poucos dias: 23 municípios não têm nenhum policial e, onde tem, é com um percentual que não dá para fazer a segurança da população. Temos hoje mais de 800 aprovados em concurso que não foram nomeados. Vamos estipular uma meta e buscar todo esse pessoal. Vamos fazer uma força-tarefa com o Polícia Federal, da Receita Federal, das polícias civil e militar, da Secretaria da Fazenda, para saber como esses chefes do crime estão manipulando o dinheiro da droga, do latrocínio, do roubo de carro. Vamos diagnosticar e atacar esses pontos principais e trazer tranqüilidade para mãe, pai e jovem poderem ir para escola e voltar com tranquilidade”.

Combate à corrupção

“Quando a pessoa fala que falta saúde, educação, segurança pública, oportunidade de emprego, sabe qual é o problema? É a corrupção. Quando você tem um governo envolvido em corrupção é a sociedade que sofre as consequências. O cidadão paga impostos altos, multas a todo momento, e todo esse dinheiro não retorna em serviços. A corrupção rouba a cidadania, rouba a condição do cidadão de ter saúde, educação, oportunidade de emprego. O primeiro ponto do meu governo será atacar a corrupção. É lavar a escada de cima para baixo. No dia 7 de outubro o eleitor precisa votar em quem terá condição de acatar a corrupção no estado de Goiás”.

Compliance público

Ainda sobre o tema corrupção, Caiado respondeu a pergunta do Zé Leonel, que está atento ao programa de governo do democrata, sobre o uso dos recursos públicos.

“Vou implantar o compliance público. Todas as empresas envolvidas com a operação Lava Jato estão obrigadas a passar por regras que exigem total transparência de como estão fazendo e como estão aplicando o dinheiro. Seremos o primeiro estado no País a fazer o compliance público. Haverá transparência de gastos, contratos feitos dentro de critérios. Não podemos deixar o Estado continuar sugando o dinheiro do goiano, pessoas enriquecendo ilicitamente. Como que com salário de governador, secretário, vereador se pode ficar rico? Não tem como! Vamos continuar exigindo aquilo que sempre foi uma conduta na minha vida: transparência. Governador é funcionário público e tem que prestar contas.”

Redução de desigualdades/Desenvolvimento

“Acreditem em Goiás. É um Estado promissor, de oportunidade. Precisa ser bem gerido. Com combate à corrupção vai ter dinheiro para muitas coisas. Aqui é um celeiro de oportunidades. Vamos desenvolver Goiás em todos os quadrantes, vamos interligar o Nordeste, o Vale do Araguaia, o Oeste. Vamos acabar com as situações em que um cidadão fica distante de um mínimo de estrutura do Estado. Vamos poder trazer uma condição mínima de igualdade. Um estado rico como Goiás não pode ter 400 mil famílias vivendo abaixo da linha da miséria. Quando o cidadão que paga pesados impostos vai ver o Estado propulsor do desenvolvimento e não apenas arrecadador? É isso que vamos mudar”.

Regionalização da saúde

A busca da igualdade, de trabalhar para que Goiás seja mais uniforme, será nossa meta de governo. Vamos assumir e implantar os hospital regionais. Estamos com 55 mil goianos na fila de espera para uma cirurgia eletiva. Como médico, a nossa classe vai abraçar essa causa e vamos zerar essas fila. Vou buscar convênios para levarmos exames como mamografia, ressonância e papanicolau nas regiões mais carentes. E partir daí ter uma tiragem, um encaminhamento para fazer o tratamento. A pessoa não vão esperar mais dois anos para ter um diagnóstico. Com a regionalização da saúde você tem que ter um médico especialista. Não tem que ser concentrado apenas na capital e nas grandes cidades. O governo vai encaminhar um projeto de lei para que se possa pagar um complemento de salário. Aí, teremos cirurgião, pediatra, cardiologista no interior. Vamos criar dois grandes marcos na saúde de Goiás. Um será com o Hospital do Coração. Hoje, a insuficiência cardíaca está matando mais que acidente de trânsito. Precisamos dar a Goiás uma referência na área do coração”.

Educação

“Vamos lutar para ampliar o orçamento da União. E depois para que haja um repasse maior para escolas municipais. Nosso propósito é fazer uma ação mais diferenciada. A criança até 3 anos de idade precisa da alimentação correta e da oportunidade de fazer exames médicos periódicos. Qualquer doença nessa idade afeta a educação. Com saúde e boa alimentação, os alunos podem fazer a transição do ensino fundamental para o médio com maior qualificação. Aos jovens no ensino médio vamos dar a oportunidade de fazer o curso técnico. Vou acompanhar o IDEB. Quero saber quais fatores agravam a qualidade da educação. As notas de matemática e português são uma realidade deplorável no Brasil. Metade dos jovens não concluem o ensino médio, temos um percentual altíssimo de analfabetos funcionais. O jovem não vê perspectiva na escola, não vê capacidade de sucesso na escola e isso precisa ser mudado”.

Saneamento

Outro seguidor do candidato perguntou se Caiado é a favor ou contra a privatização da Saneago. O democrata falou sobre a importância de se resgatar uma empresa estratégica para que o goiano qualidade no abastecimento de água e com preço justo.

“Já entrei com uma ação para impedir a privatização da Saneago. Tenho uma proposta clara do que deve e o que não deve ser privatizado. A Saneago tem uma importância ímpar. A capital já tem possibilidade real de racionamento. Em mais de 60 cidades do interior estamos vendo a crise hídrica. A operação Decantação (Polícia Federal) mostrou que o dinheiro da Saneago foi retirado para enriquecimento de alguns. Quando a Saneago voltar para sua função específica você terá uma outra atuação junto à população. A empresa será gerida para crescer e atender a demanda da população. A água mais cara do Brasil não é do Nordeste, é de Goiás: R$ 5,02 reais por mil litros e há péssima qualidade na oferta”.