tim (10)

Caiado vai construir hospitais do Câncer e do Coração

Os problemas cardíacos e as doenças de câncer são as que mais afetam os goianos. Com o foco na atenção especializada de saúde, o candidato ao governo de Goiás, Ronaldo Caiado (Democratas), garantiu que irá construir em Goiás o Hospital do Coração e o Hospital do Câncer e estabelecer como prioridade de governo um programa de prevenção de saúde cardiovascular.

A área da saúde é hoje a que mais preocupa os goianos, como revelou recente pesquisa Serpes, que mostrou que a população considera que a falta de políticas para saúde é o maior problema do Estado, apontado por 53,1% dos entrevistados.

“O quadro da saúde em Goiás é caótico. Sou médico e saberei cuidar das pessoas. Vou construir 17 policlínicas, uma em cada região do Estado para que os pacientes possam ter melhores atendimento e acesso a exames mais complexos. Também vou construir o Hospital do Câncer e do Coração”, garantiu.

Em sua plataforma de governo, Ronaldo Caiado fala ainda no fortalecimento da gestão regional e suporte de equipamentos fundamentais para toda a rede de saúde. Ele afirmou que irá garantir que todos os municípios tenham laboratórios de análise clínica para exames complementares básicos essenciais e acesso facilitado a equipamentos médicos fundamentais, tais como desfibrilador, ultrassom e eletrocardiógrafo.

É ainda compromisso do candidato resgatar para o governo de Goiás os dez hospitais regionais municipalizados, em comum acordo com os municípios, promovendo a reforma e a ampliação dessas unidades.

Outra preocupação do senador é buscar alternativas para levar médicos especialistas às regiões mais carentes de Goiás. Para que a população tenha acesso à saúde de boa qualidade, Ronaldo Caiado propõe incentivar a ida de médicos para o interior.
De acordo com Caiado, hoje 67% dos médicos moram na capital. Os especialistas são 66,8% e os generalistas são 33,2% dos profissionais que atendem em Goiânia. As regiões mais distantes e menos desenvolvidas de Goiás sofrem com a falta desses profissionais.

“Vamos ter a coragem de apresentar um projeto de lei na Assembleia para que os médicos especialistas tenham um complemento salarial como incentivo a ir para interior. Além disso, vamos criar as policlínicas regionais que poderão avançar rapidamente na triagem de pacientes, especialmente os crônicos”, contou.

Segundo consta no plano de governo, a ideia é fazer funcionar, com excelência, os hospitais regionais existentes e minimizar os vazios assistenciais identificados nas regiões do estado para serviços de média e alta complexidade, por meio da ampliação da gestão regional e do aperfeiçoamento e expansão da rede via parcerias com o terceiro setor. Além disso, serão priorizadas a eficiência e a equidade nas ações e serviços prestados, humanizando e melhorando a qualidade do atendimento.