WhatsApp Image 2019-02-27 at 20.36.12

“A maneira de fazer política tem que mudar”, defende Caiado

Durante BTG Pactual CEO Conference, governador destacou necessidade de mudança de comportamento da classe política para atender aos interesses do cidadão

O governador Ronaldo Caiado participou nesta quarta-feira da 20ª BTG Pactual CEO Conference, em São Paulo, que contou também com a presença dos governadores do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, e de São Paulo, João Doria. O painel, mediado pelo jornalista William Waack, teve como tema as expectativas dos chefes de Executivo estadual para a administração pública, considerando o cenário de mudanças no país.

Caiado iniciou seu discurso expondo suas expectativas com relação ao comportamento do novo Congresso: “Essa eleição não só elegeu os novos governadores, como elegeu também um novo Congresso Nacional. A renovação foi de pelo menos 50% no Senado. O que nós estamos vendo é um sentimento de renovação da sociedade brasileira, para que tudo aquilo que foi vocalizado nas ruas e nas urnas possa acontecer neste momento. E a classe política não pode errar. A maneira e o conceito de fazer política tem que mudar. Esse foi o recado que nós recebemos”, explicou.

Na sequência, o governador destacou a necessidade de se colocar o Pacto Federativo na pauta nacional, juntamente com a Reforma da Previdência. Ele pontuou que há um contexto favorável para essa discussão, visto que, pela primeira vez, um ministro com papel central no governo federal está defendendo abertamente a redistribuição das receitas entre os entes federados.

Segundo Caiado, o rearranjo do Pacto Federativo permitirá que os cidadãos conheçam, de fato, a capacidade de gestão de seus prefeitos e governadores: “Qual é a importância que nós temos de fazer agora essas reformas? Primeiro, porque nunca tivemos um ministro de estado, como Paulo Guedes, que tem a coragem de assumir as mudanças substantivas, tirando poderes da União, repassando aos estados, aos municípios, fazendo com que haja uma partilha correta de investimentos, para que o Brasil possa sentir a capacidade dos prefeitos, dos governadores; que cada cidade, cada estado possa mostrar sua capacidade de gestão. Isso é fundamental para o Brasil agora”.

Ele elogiou a proposta de repactuação sugerida pelo ministro Paulo Guedes e expressou sua confiança na maturidade do Congresso Nacional para avançar nessas duas agendas, que, segundo o governador,  são  prioritárias para o país avançar: a da Previdência e a da repactuação entre os entes federados.

O governador finalizou sua intervenção inicial se dirigindo aos investidores reunidos no evento, e assegurou que o Estado passa a ter um ambiente seguro e favorável a investimentos. “Vocês podem confiar em Goiás. Ali vocês vão ter uma segurança pública referência no Brasil. Vocês vão ter uma facilidade de ação porque terá um governador que vai tratar de cada empresa para que ela invista ali. Vai ser uma ação direta do nosso secretariado para que se possa atender a qualidade de investimento que vocês vão fazer”.

Sabatina – No final da manhã, o governador e o Secretário de Desenvolvimento Econômico e Inovação, Adriano da Rocha Lima, participaram de uma sessão “one to one” com um grupo fechado de investidores, que sabatinaram o Caiado com relação ao ambiente de negócios do Estado de Goiás no que se refere a aspectos diretamente relacionados à gestão pública.

Os investidores perguntaram sobre a condição fiscal do estado, tratativas junto ao governo federal, gestão da Saneago, dentre outras questões. O governador enumerou todas as medidas de austeridade já tomadas: corte linear de 20% nas despesas do governo; revisão de contratos, com corte médio de 30%; implantação do programa de compliance em toda a estrutura de governo, para eliminar a corrupção e o desperdício; além da escolha de um secretariado com acentuado perfil técnico, incluindo nomes que são referências em suas áreas de atuação, a exemplo de Fátima Gavioli (Educação), Henrique Ziller (CGE), Ismael Alexandrino (Saúde), Rodney Miranda (Segurança), Ricardo Soavinski (SANEAGO).

“Estamos contando com o apoio financeiro do governo federal porque já estamos fazendo a nossa parte. Cortamos 20% dos custos. Estamos revisando praticamente todos os contratos. Goiás é o primeiro estado a ter um programa de compliance em toda a estrutura do governo. A Saneago está sendo resgatada do uso político e da corrupção. Eu busquei uma das melhores pessoas no país, o Ricardo Soavinski, que deu um jeito na empresa de saneamento do Paraná. Hoje, a Saneago tem uma gestão inteiramente técnica e está sendo recuperada na sua saúde financeira. Goiás já está melhorando na Segurança Pública, os índices de criminalidade estão recuando e vamos fazer do nosso estado uma referência nessa área”.