WhatsApp Image 2019-03-27 at 19.35.09

Caiado propõe “parceria total” ao Banco do Brasil em prol da ampliação de investimentos em Goiás

Governador teve acesso a relatório sobre aplicação do FCO em Goiás e pediu prioridade para aprovação de Cartas Consultas de empresas que estejam em regiões mais carentes, a fim de reduzir desigualdades

Em busca de ampliar os investimentos no Estado e fortalecer especialmente o pequeno empresário, o governador Ronaldo Caiado se reuniu, na tarde desta quarta-feira (27/3), com o superintendente estadual do Banco do Brasil, Felipe Zanella, e outros representantes da instituição financeira. Durante o encontro, além de ter acesso a um relatório sobre a aplicação do Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO) em Goiás, Caiado propôs a formação de uma “parceria total”.

O governador lembrou que Goiás possui índice de inadimplência de apenas 0,5%, dando indicativo de que o Estado merece ser tratado como prioridade pelo Banco do Brasil. Para ele, o estabelecimento dessa parceria tem como objetivo “dar oportunidade para as regiões mais carentes, diminuindo as desigualdades regionais e fazendo com que o dinheiro do FCO chegue ao pequeno agricultor, ao produtor rural e aos empresários por todo Estado”.

Superintendente regional do Banco do Brasil, Felipe Zanella elogiou a iniciativa de diálogo do governador e confirmou o interesse em trabalhar alinhado aos anseios do Estado. “Onde for identificada a necessidade, nós estaremos presentes levando informação, estrutura e recursos para que haja o desenvolvimento, seja rural ou urbano. O objetivo é o crescimento econômico do Estado e a melhoria de vida das pessoas”, comentou.

FCO
Ao lado dos secretários de Indústria, Comércio e Serviços (SIC), Wilder Morais, e de Desenvolvimento Econômico e Inovação (Sedi), Adriano Rocha Lima, o governador teve acesso ao histórico de aplicação do FCO em Goiás nos últimos dois anos. A meta estabelecida por Caiado é, a partir de 2019, focar na aprovação de Cartas Consultas de empresas que estão, ou pretendem, se instalar em áreas menos desenvolvidas do Estado. Um exemplo são as regiões Norte e Nordeste goianas. A própria regulamentação do FCO, traz uma determinação de que pelo menos 12% do valor total do fundo sejam aplicados nas regiões Nordeste e Oeste.

Wilder Morais lembrou que a previsão orçamentária para este ano destinará cerca de R$ 3 bilhões para Goiás. Na reunião desta tarde, explicou, foram definidas as metas de investimento. “Vamos incentivar o micro, pequeno, médio, o grande empresário e também o produtor rural, para que possam ter esse recurso à disposição. Isso ajuda a desenvolver nossa economia”, destacou o titular da SIC.

Já o secretário Adriano Rocha Lima disse que o fato de Goiás atrair investidores, por sua infraestrutura privilegiada, aumenta a importância do FCO. “No momento de se instalarem, as empresas carecem de capital, pois é um investimento pesado e com retorno no médio e longo prazo. Por isso, o FCO é um instrumento importante para viabilizar a atração desses investimentos no Estado, retornando para o Estado na forma de geração de empregos e no aumento da arrecadação.”

O FCO é um fundo de crédito destinado à região Centro-Oeste do país. Atualmente Goiás possui parcela de 33% do total. O restante é dividido da seguinte forma: 33% para o Mato Grosso, 24% para o Mato Grosso do Sul e 10% para o Distrito Federal. A previsão orçamentária para este ano é de R$ 7.031.694.949.