80 anos da Academia Goiana de Letras4

Caiado e Gracinha celebram os 80 anos da Academia Goiana de Letras

Presidente da Academia elogiou e agradeceu a iniciativa do governador ao recriar a Secretaria da Cultura e escolher para dirigi-la “um intelectual do porte acadêmico de Edival Lourenço”

Artistas, escritores e jornalistas goianos, que somam os 40 membros da Academia Goiana de Letras (AGL), comemoraram os 80 anos da Instituição, nesta quarta-feira (24/4), junto ao governador Ronaldo Caiado e a primeira-dama Gracinha Caiado, no Salão Gercina Borges, no Palácio das Esmeraldas. O local é símbolo do nascimento da AGL, pois foi lá, em 1939, que o então interventor do Estado, Pedro Ludovico Teixeira, e intelectuais da época, fundaram a Academia.

Ao assumir a gestão do Estado, Ronaldo Caiado cumpriu o compromisso de recriar a Secretaria de Cultura, que tem à frente o escritor Edival Lourenço. O secretário relembrou o histórico positivo da Academia, que coleciona grandes nomes de impacto nacional, e reafirmou a parceria entre a Secretaria e a AGL. “Temos na Academia um braço forte para nos guiar e apoiar nas ideias e ações que o Estado precisa desenvolver por meio da Secretaria da Cultura”, reiterou.

Em seu discurso, Caiado lembrou a importância do trabalho desenvolvido pelos membros, ao difundirem a cultura goiana por meio de suas obras. “São verdadeiros formadores de opinião. Pessoas que estão sempre à frente de seu tempo, que ajudam a levar o nome de Goiás por todo o País e nos ensinam com seus livros e contos”, disse o governador.

A AGL é o órgão consultivo para assuntos da Cultura do Governo de Goiás e tem como objetivo cultuar, zelar e difundir a língua portuguesa e a literatura brasileira, principalmente a produzida em nosso Estado. “São vocês que vocalizam o sentimento dos goianos, que guardam nossas tradições, e que influenciam diretamente no interesse de nossos jovens pela leitura e, consequentemente, em sua educação”, cumprimentou Caiado ao agradecer os membros por comemorarem o octogenário e o descerramento da placa no Palácio.

Lêda Selma, presidente da AGL, agradeceu a homenagem e sensibilidade do governador e da primeira-dama. Fez um panorama de toda a trajetória da Academia até os dias atuais, e lembrou da primeira mulher a ocupar uma das honrosas cadeiras, que foi a folclorista Regina Lacerda, em 1973.

“Nesses 80 anos de atividades, mesmo sob pressão e dificuldades, a Academia Goiana de Letras manteve-se na linha de frente, lutando por sua sobrevivência. Agradeço ao governador Ronaldo Caiado, que já demonstrou seu compromisso cultural ao trazer de volta a Secretaria da Cultura e, para dirigi-la, um intelectual do porte acadêmico de Edival Lourenço”, completou.