WhatsApp Image 2019-05-04 at 14.59.54

Caiado recebe folia e ressalta recuperação e fortalecimento da história do Estado

Pela primeira vez um governador recebe os foliões do Divino Espírito Santo no Palácio das Esmeraldas. Visita integra festividades que começaram na Semana Santa na cidade de Goiás

Dando continuidade às festividades que começaram na cidade de Goiás com a 148ª Folia do Divino Pai Eterno, o governador Ronaldo Caiado recebeu neste sábado (04/05) os foliões no Palácio das Esmeraldas. “É um orgulho, uma honra, uma distinção pessoal receber a coroa [do Divino Espírito Santo]”, disse depois de percorrer o Palácio, acompanhado pela primeira-dama Gracinha Caiado, pelo vice-governador Lincoln Tejota e por integrantes da folia. Católico praticante, Caiado afirmou que vai “recuperar e fortalecer a história do Estado de Goiás”.

Esta é a primeira vez na história que a Coroa da Folia do Divino Espírito Santo é recebida por um governador no Palácio das Esmeraldas. Situação semelhante também ocorria no Palácio Conde dos Arcos, onde desde a transferência da capital para Goiânia, em 1937, um governador não recebia a folia. “Fiz questão absoluta e vou estar todos os anos na cidade de Goiás para que possamos festejar aquilo que indiscutivelmente é a capital da Semana Santa em Goiás. Com todas as tradições e todas aquelas belezas, a celebração é uma agenda que encanta todos que visitam a cidade”, destacou Caiado.

A Folia do Divino é uma tradição realizada na cidade de Goiás desde o século XIX. É formada de devotos que carregam as insígnias do Espírito Santo, levando a mensagem do Cristo ressuscitado e do viver em esperança. Começando pelo Domingo de Páscoa, os foliões percorrem casa por casa, rezando, abençoando e também angariando donativos para a festa do Divino.

O presidente da Organização Vilaboense de Artes e Tradições, Rodrigo Passarinho, parabenizou o governador Ronaldo Caiado por resgatar a tradição e lembrou que há 40 anos a folia passa por Goiânia, mas até então nunca tinha visitado o Palácio das Esmeraldas. “Não adianta falar em desenvolvimento se a gente não tem história e não cultuamos o passado. Aprendemos no passado para fazer o presente. O senhor se espelhando na cidade de Goiás, no que ela conserva, está dando bons passos para a área da cultura, do desenvolvimento e a manutenção das nossas tradições, que no Estado de Goiás há 30 anos pede socorro. O senhor tem tudo nas mãos para começar a modificar isso. Começa-se na educação, na base, nisso aqui”, refletiu.

Passarinho afirma que desde o Domingo de Páscoa, quando governador deu início à folia recebendo a bandeira do Divino Espírito Santo e a coroa, Caiado está apoiando a reconstrução da “história da Festa do Divino”. Diz ainda que receber a folia na sede oficial do governo é um reconhecimento às tradições.

A primeira dama Gracinha Caiado comemorou a visita dos foliões no Palácio. “Sou muito temente a Deus e o que sempre peço é sabedoria. É uma visita linda que reacende a história da Folia e resgata uma tradição de séculos do Estado. Nessa hora, pedimos ao Divino Espírito Santo que guie todo o governo e que possamos levar dignidade para todos os goianos”, agradeceu Gracinha.

Ao agradecer a visita dos foliões, Caiado lembrou as dificuldades enfrentadas para superar o déficit deixado pela gestão anterior e reafirmou que tem trabalhado, em parceria com toda a sociedade, para recuperar o Estado. “Quero construir com vocês o que for possível e não prometer o que não posso cumprir. Que nós possamos dividir as responsabilidades, dando prioridade àquilo que pra mim é fundamental: dar dignidade ao povo, com saúde, educação, segurança pública e oportunidade de emprego. É isso que me move como governador do Estado”, afirmou. “O Divino Espírito Santo vai nos guiar, para que possamos mostrar ao Estado de Goiás e ao Brasil que fazendo aquilo que é o justo, e com a consciência tranquila, a gente está fazendo pelo bem do povo”, completou.

Também participaram da recepção à folia o senador Jorge Kajuru e os secretários Edival Lourenço (Cultura) e Valéria Torres (Comunicação).