WhatsApp Image 2019-06-29 at 11.19.43

Caiado confere obra inacabada do Hospital de Uruaçu e garante funcionamento no segundo semestre de 2020

A unidade, uma construção incompleta, chegou a ser inaugurada por duas vezes na gestão do PSDB. “Corromperam e usaram indevidamente o Estado”, criticou o governador, que se comprometeu a concluir e colocar o hospital para atender a população no próximo ano. “Temos respeito ao cidadão”

O governador Ronaldo Caiado visitou nesta sexta-feira (28/06) as obras do Hospital Geral e Maternidade de Uruaçu (Hemu) e constatou que o empreendimento, inaugurado por duas vezes na gestão passada do PSDB, está com áreas ainda em fase de fundação. A parte administrativa do hospital sequer começou a ser construída. Além disso, falta terminar toda a estruturação do centro cirúrgico . “Ainda teremos que gastar R$ 64 milhões para finalizar a obra e pagar R$ 1,5 milhão que o governo está devendo a empresa”. A visita à unidade foi acompanhada do secretário de Estado da Saúde, Ismael Alexandrino, e dos deputados federais José Nelto e José Mário Schreiner.

“Vamos governar com seriedade, transparência e, se Deus quiser, em 2020, no segundo semestre, sendo bem honestos e claros, vamos inaugurar este hospital”, afirmou o governador ressaltando que isso será feito mesmo com toda a crise deixada pelos governos anteriores. “Assaltaram o Estado de Goiás, corromperam e usaram indevidamente o Estado”, sublinhou.

De acordo com levantamento feito pela Secretaria Estadual de Saúde, são necessários investimentos de R$ 32 milhões para terminar a construção a área física do Hemu e outros R$ 32 milhões para aquisição de aparelhos e instrumentos. A construção é realizada em duas etapas. O projeto principal está mais avançado. Mas a segunda parte da obra em andamento, referente ao almoxarifado, subestação elétrica, central de gás, entre outras áreas, não tem sequer 50% da etapa concluída. A unidade é financiada com recursos do tesouro estadual e, quando estiver em pleno funcionamento, realizará atendimentos exclusivamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Segundo o governador, a visita foi para constatar a realidade, já que durante muito tempo a construção do hospital foi alardeada para enganar o povo. “Já inauguraram aqui duas vezes. Hoje, quero que a população saiba da realidade. Não fazemos parte desse tipo de governo. Não somos de governar por outdoors, nem ficar com mentiras. Temos respeito ao cidadão”, ressaltou.

Ao passar pelo centro cirúrgico, o governador ficou impressionado com a situação. Não há qualquer tipo de acabamento no espaço. “Aqui não tem a menor chance de terminar até o final do ano. Até mesmo porque são milhões em investimento. E pior de tudo é que um governo se embasou na mentira, na enganação, levando o povo a acreditar que isso aqui já estava inaugurado em dois momentos de campanhas eleitorais. Onde tem condição, eu como médico cirurgião ou qualquer colega meu, operar um paciente em uma sala como essa?”, questionou.

Após a inauguração da unidade, Caiado também fez um compromisso. “Vocês podem saber que no segundo semestre de 2020 venho aqui operar o primeiro paciente neste hospital”. O governador é médico ortopedista e especialista em atendimento de traumas na coluna. O Hemu vai compor a rede de Hospitais Gerais do Estado de Goiás (Hoge), juntamente com o Hospital Estadual Geral de Goiânia Alberto Rassi (HGG), Hospital Estadual de Pirenópolis Ernestina Lopes Jaime (Heelj) e Hospital Estadual e Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL), integrando o complexo de unidades da Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO).

Segundo Ismael Alexandrino, o projeto da unidade é robusto, contando com 283 leitos, dos quais 238 de internação com 20 UTIs adulto, 10 UTIs pediátricas e 10 UTIs Neonatais. Hemu estará apto a realizar 1.137 internações por mês, 2.100 atendimentos de urgência e emergência e 15.100 consultas ambulatoriais. Para ele, após o término da obra, terá um impacto bem positivo para a região norte do Estado.

“O Hemu é um hospital geral de algumas especialidades, bem como maternidade. Então certamente os casos complexos de maternidade não precisarão ir mais para Goiânia. Cirurgias de complexidade significativa, que hoje estão impactando o Hugol o Huana e o Huapa, não precisarão ser encaminhadas para a capital. Se caso precisar, o serviço aeromédico também já está consolidado, mandamos buscar o paciente e colocamos onde for necessário, de forma a dar assistência a população do nosso Estado”, explicou o secretário.

O Hemu é de fundamental importância para o atendimento de saúde regionalizado e alcançará mais de um milhão de pessoas em 60 municípios. Estão previstos atendimentos em gineco-obstetrícia, urologia, proctologia, clínica médica e cirúrgica, ortopedia, traumatologia, cardiologia, gastroenterologia, pneumologia, neurologia clínica e mastologia, além de realização de exames, leitos de UTI’s adulta, pediátrica e neonatal e atendimentos de urgência e emergência. “Vamos desenvolver a saúde no nosso estado de Goiás, regionalizar a saúde. Isso é um compromisso que eu quero reafirmar”, assegurou o governador Ronaldo Caiado.

Acompanhado de dois deputados da bancada goiana, Caiado recebeu uma boa notícia “Vamos assumir um compromisso aqui, ajudar o governador, ajudar Uruaçu, a população que precisa de saúde. Que a nossa bancada federal coloque aqui R$ 20 milhões para terminar essa obra. Vou trabalhar com todos os nossos 20 parlamentares”, afirmou o deputado José Nelto. A fala dele foi endossada por outro congressista. “Serão R$ 20 milhões de emendas parlamentares, no que depender desses dois deputados federais. R$ 20 milhões do orçamento impositivo virão para podermos finalizar essa grande obra, que é o sonho de Uruaçu e um sonho do povo do norte do Estado de Goiás”, disse José Mário Schreiner.