Crédito: Cristian Ark

“Precisamos que todos os Poderes abracem o sentimento de recuperação”, diz Caiado, após Assembleia aprovar adesão do Estado ao RRF

Segunda votação do projeto está prevista para quarta-feira. Alego também liberou Executivo para requerer empréstimo de R$ 230 milhões junto ao TJ para pagamento dos servidores

O governador Ronaldo Caiado enalteceu a união de todos os Poderes ao comentar o empenho da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) na recuperação do Estado. O Legislativo aprovou, em primeira votação, o projeto de lei que viabiliza a adesão do Estado de Goiás ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF) do governo federal. Os deputados também deram aval para que o Executivo contraia empréstimo de R$ 230 milhões junto ao Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO). “Precisamos que todos os Poderes abracem o sentimento de recuperação da condição financeira e fiscal do Estado de Goiás. Agora, espero abrir oportunidades para que a gente possa, o mais rápido possível, contrair empréstimos, avalizados pelo Governo Federal, para superarmos essas dificuldades”, assinalou o governador, que esteve na Assembleia na noite desta segunda-feira (01/07) para o lançamento do livro do jornalista goiano Ivan Mendonça.

Ao explicar as regras que o Estado precisa cumprir para aderir ao RRF, Caiado deixou claro que as resoluções são do Governo Federal, aprovadas pela Câmara dos Deputados e Senado Federal. “Como tal, não tem nada que seja de autoria minha. Ali, é de autoria do Supremo Tribunal Federal, que deferiu uma liminar, dizendo a situação calamitosa que vive o Estado do ponto de vista fiscal”, esclareceu. Sobre as críticas de que “o remédio do RRF é amargo”, o governador ressaltou que essa “é a fatura que deixaram para o povo goiano pagar”. “Eles [ex-governadores e a oposição] construíram isso. Eles são responsáveis por essa fatura que o povo goiano está pagando. Nada mais do que a fatura pelo total desrespeito ao dinheiro público nos últimos 21 anos”, sublinhou.

Caiado adiantou que a solução para continuar quitando a folha e os salários atrasados herdados da última gestão é o empréstimo junto ao Tribunal de Justiça, no valor de R$ 230 milhões. “Contei com todo apoio por parte do Poder Judiciário e do Poder Legislativo, que entenderam neste momento a incapacidade do Estado em poder arcar com a folha de pagamento”, completou. O empréstimo ocorrerá em duas parcelas. Uma agora no valor de R$ 115 milhões e outra de mesmo valor, em agosto.

“O Estado chegou numa situação que nós precisávamos buscar alternativas para quitarmos a folha de pagamento (junho) mais a parcela de dezembro e metade de novembro que não foram pagas pelo governo anterior. E para isso, precisamos de um complemento de folha de R$ 115 milhões agora e precisaremos também de R$ 115 milhões no mês de agosto. Essa é a condição de podermos quitar 100% da nossa folha”.

Com o empréstimo e a expectativa de aprovação de adesão ao RRF em segunda votação, Caiado explicou que há a possibilidade de o Estado sair da condição de bloqueio por parte do Tesouro Nacional. Desta forma, passa a ser possível que Goiás contraia empréstimos tendo o Governo Federal como avalista, possibilitando a realização de novos investimentos.

Política goiana
A visita à Assembleia nesta segunda-feira ocorreu para prestigiar o lançamento do livro “O Espião do Morro”, livro do jornalista Ivan Mendonça, que faz uma releitura da comunicação e do poder político em Goiás. “Esta obra servirá como consulta a todos aqueles que irão relatar a história de Goiás. Ivan sempre escreveu com dados fundamentados, soube honrar a sua função de jornalista, que, com sua imparcialidade, inteligência e a sua cultura, sempre fez das suas entrevistas uma verdadeira aula de política”, elogiou Caiado.

Ao agradecer a presença do governador, o jornalista lembrou que acompanhou a trajetória de Caiado, desde a presidência da UDR (União Democrática Ruralista), passando pelas eleições ao governo do Estado e também à Presidência da República. “Sempre soube que, mais cedo ou mais tarde, o senhor seria governador. O senhor haveria de realizar esse sonho de governar o Estado”, disse. “Quero que o senhor tenha muita sabedoria para resgatar a esperança dos seis milhões de goianos. Está em suas mãos resgatar isso”, salientou.