WhatsApp Image 2019-08-20 at 21.37.49

Caiado institui Ano Cultural Cora Coralina nos 130 anos da poetisa

Iniciativa prevê a realização de eventos e manifestações culturais em homenagem à escritora que é um grande ícone da literatura goiana

Com suas ruas de pedras e casas unidas cochichando seus segredos, a Cidade de Goiás, berço cultural do Estado, está em festa. No dia 20 de agosto de 2019, data em que se celebram os 130 anos da poetisa Cora Coralina, maior expoente feminino da literatura goiana, o governador Ronaldo Caiado assinou o decreto que institui, até o dia 20 de agosto de 2020, o Ano Cultural Cora Coralina.

A história de Caiado e de sua família se mistura à história da Cidade de Goiás. Não por acaso, o governador fez questão de reconhecer o talento e a genialidade de Cora Coralina, a quem conheceu na infância e de quem carrega muitas lembranças. “É uma poetisa respeitada pelo mundo todo. Essa mulher goiana, com sua simplicidade, com seu jeito de ser, escreveu os poemas mais lindos e que transmitem exatamente o que é a goianidade, o estilo de ser, a maneira das pessoas encararem os momentos de dificuldade, o dia a dia da sua vida”.

O Ano Cultural Cora Coralina vai ser marcado por uma série de ações culturais, que incluem feira literária, mostra de cinema, desfiles, exposições, feira gastronômica inspirada nos tradicionais doces de Cora, contação de histórias, além de editais nas áreas de Música, Teatro e Dança, e de um concurso de poesia e declamação direcionado a alunos da Rede Estadual de Ensino.

O secretário de Cultura do Estado, Edival Lourenço, explica que o projeto é uma oportunidade de homenagear um grande ícone da cultura goiana e, ao mesmo tempo, valorizar os saberes e fazeres de outros artistas locais nas mais diversas áreas. “Cora Coralina será o carro-chefe que dará uma alavancada na nossa cultura dentro do governo de Ronaldo Caiado, que eu tenho certeza que ficará marcado na memória”, comemorou.

Ao homenagear Cora Coralina, o governador lembrou que a Cidade de Goiás é marcada pela cultura matriarcal, um lugar que traz fortemente a presença feminina em sua formação cultural. Durante seu discurso, fez questão de reverenciar as mulheres de sua família que, na Cidade de Goiás, fizeram história. Dirigindo-se à Vicencia Bretas Tahan (82), única filha de Cora ainda viva e a guardiã de seus escritos, Caiado enalteceu o legado de Cora Coralina, mulher simples que, segundo ele, é a expressão maior da coragem, da cultura e da inteligência da mulher goiana.

Ao falar da mulher goiana na contemporaneidade, Caiado destacou o reconhecimento que ontem recebeu na sede do Iphan em Brasília pelo trabalho desenvolvido pela superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no Estado de Goiás – Iphan/GO, Salma Saddi. “Ontem, eu estava no Iphan, onde ouvi a presidente nacional, Kátia Bogéa, dizer que a melhor superintendente do Iphan do Brasil chama-se Salma Saddi. Nós somos o único estado que conseguiu empenhar todas as restruturações de todas as recuperações, de todos os imóveis no estado de Goiás”.

Prefeita da Cidade de Goiás, Selma Bastos, também fez questão de enaltecer a forte presença feminina na construção da identidade cultural goiana e destacou nomes como Brasilete Ramos Caiado, criadora da Escola de Música do município e presidente da comissão que trabalhou em prol do reconhecimento da Cidade de Goiás como Patrimônio Histórico Mundial pela Unesco.

Selma citou ainda a artista plástica Goiandira do Couto, que com suas pinturas criadas com areias coloridas da Serra Dourada alcançou reconhecimento em todo o mundo. “Nessa linhagem de mulheres fortes e à frente de seu tempo, nos reunimos no dia de hoje, para celebrar a vida de nosso ícone da literatura, a imortal Anna Lins dos Guimarães Peixoto Bretas, carinhosamente e mundialmente conhecida como Cora Coralina. Mulher que se fez conhecida e levou Goiás para o mundo inteiro por retratar o cotidiano de nossas vidas, trazendo em si todas as idades e todas as vidas. Mulher que rompeu paradigmas e hoje dá vez e voz a tantas outras mulheres”, exaltou.

Emocionada, Vicencia Bretas Tahan, que vive em São Paulo, expressou o orgulho e a satisfação pelo momento de reconhecimento à história e ao talento de sua mãe. “Eu reconheço, minha mãe foi uma mulher fora de série. Foi uma mulher de coragem e perseverante, que nunca teve medo de nada. Começou a escrever aos 14 anos e só editou livro aos 75 anos. Cada vez que eu vejo, escuto o nome de Cora Coralina, fico mais orgulhosa, mais cheia de vaidade”.

Também estiveram presentes na cerimônia para a assinatura do decreto o vice-governador Lincoln Tejota, os secretários Anderson Máximo (Casa Civil), Wilder Morais (Indústria e Comércio), Fátima Gavioli (Educação), Marcos Cabral (Desenvolvimento Social); Fábio Cammarota (secretário-Geral da Governadoria); Adriano da Rocha Lima (Desenvolvimento e Inovação); Valéria Torres (Comunicação); Paulo Vitor Avelar (chefe de Gabinete da Governadoria); Fabrício Amaral (Goiás Turismo), a superintendente do Iphan em Goiás, Salma Saddi; os prefeitos João Batista Cabral (Pirenópolis) e Wilmar Ferreira da Silva (São Francisco de Goiás); o bispo da Cidade de Goiás, Dom Eugênio Rixen, além de autoridades locais, netos e bisnetos de Cora Coralina.

Caminho de Cora

Além da assinatura do decreto que institui o Ano Cultural Cora Coralina, Caiado destacou o empenho do governo do Estado em consolidar o Caminho de Cora Coralina. São 300 quilômetros de trilhas que ligam Corumbá de Goiás à Goiás, em um roteiro turístico cheio de história, gastronomia, belezas naturais e cultura que percorre cinco cidades e oito povoados goianos.

O percurso foi celebrado com a 1ª Cavalgada do Caminho de Cora, que contou com a presença do governador Ronaldo Caiado nos últimos 10 quilômetros do trajeto. “Hoje pude fazer apenas um pequeno percurso de 10 quilômetros, com toda a comitiva que veio de São Francisco de Goiás. Nós temos que enaltecer e fazer com que haja um turismo continuado na Cidade de Goiás para que todos os investimentos da iniciativa privada também sobrevivam”, ressaltou.