Foto: Hegon Correa

“É um orgulho ser governador do Estado com melhor Polícia Civil do Brasil”, elogia Caiado, após maior apreensão de cocaína pura da história de Goiás

Governador acompanhou apresentação da quadrilha de tráfico internacional de drogas, desarticulada pela Operação Puro Sangue, que apreendeu 500 quilos da droga e prendeu oito pessoas. Grupo criminoso atuava desde 2010 no Estado, calculou a polícia

Apreensão de 500 quilos de cocaína pura, a maior da história do Estado de Goiás, além de duas aeronaves, oito veículos e oito pessoas presas. Esse foi o saldo da Operação Puro Sangue, da Polícia Civil de Goiás, que desarticulou uma quadrilha de tráfico internacional de drogas. A ação foi veementemente elogiada pelo governador Ronaldo Caiado, que na manhã desta segunda-feira (5/8) esteve pessoalmente na Delegacia Estadual de Repressão a Narcóticos (Dnarc) para acompanhar a apresentação da Operação à imprensa. “É um orgulho ser governador do Estado com a melhor Polícia Civil do Brasil. Isso me dá a real dimensão da responsabilidade de estarmos cumprindo aquilo que a sociedade deseja”, reconheceu o governador. “Como médico, sei o que 500 quilos de cocaína podem provocar na vida das pessoas. Estamos combatendo um crime que destrói a nossa juventude”, completou.

A Operação Puro Sangue é resultado de uma grande investigação da Denarc, que já dura um ano. A cocaína apreendida é de alto grau de pureza. No mercado internacional, o valor total do que foi apreendido pode chegar a U$ 35 milhões – o equivalente a R$ 140 milhões. Caiado diz que fará questão de levar o resultado da Operação ao conhecimento do presidente da República, Jair Bolsornaro, e do ministro Sérgio Moro. “A Polícia Civil de Goiás é diferente. Portanto, precisa deste apoio e de ser reconhecida nacionalmente. Aqui o narcotráfico será duramente combatido e isso deve ser propagado pelo mundo todo: o quanto nós estamos impedindo que pessoas na Europa, nos Estados Unidos tenham suas vidas destruídas. Este é um lado que temos que reconhecer e temos que, cada vez mais, elogiar a capacidade investigativa da Polícia Civil do Dnarc. Eu cumprimento a cada um desses agentes, desses policiais que tiveram coragem e paciência para consolidar toda esta operação”, reverenciou o governador

Segundo o titular da Denarc, delegado Fernando Augusto Lima Gama, a investigação vem sendo conduzida há cerca de um ano, e a polícia calcula que o grupo criminoso atuava desde 2010. “Várias fases já foram realizadas. Na primeira, houve uma grande apreensão em valores, mais de R$ 500 mil em dinheiro, tanto em reais, dólares e euros. A partir daí, começamos a evoluir na investigação, até chegar neste ponto que culminou nesta apreensão da droga deles”, detalhou. A prisão se deu em um aeroporto na região de Edeia na madrugada do último sábado para domingo. Entre os detidos, estão sete suspeitos, entre eles dois pilotos e uma boliviana, que é também companheira do principal investigado.

O secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, atribuiu o êxito às ações da polícia à liberdade que o governador Ronaldo Caiado dá às forças de segurança do Estado para trabalhar. “Já faz muito tempo que a Polícia Civil vem monitorando, mas neste ano, os policiais intensificaram, o que nos permitiu avançar no caso. Agora, a quadrilha está praticamente toda presa e retiramos cerca de 45 milhões de dólares em drogas das ruas. Isso ia fortalecer o poderio dessa quadrilha e prejudicar, infelizmente, ainda mais crianças, jovens, enfim, as pessoas que são vítimas dessas drogas”, afirmou Rodney. Ele também rendeu elogios à Polícia Civil do Estado de Goiás, bem como a Caiado. “O governador estabeleceu o único limite para a atuação das nossas forças policiais: a lei. E nós, dentro desse limite, temos procurado trabalhar o máximo possível e, graças a Deus, os resultados estão vindo.”

Espinha dorsal
Ainda segundo Rodney, a Operação Puro Sangue quebrou a “espinha dorsal” de uma robusta organização criminosa. Ao todo, a Denarc apreendeu 501,6 quilos de cocaína e mais 31,5 quilos de insumos para preparo das drogas. Por ser pura, a quantidade do entorpecente chega a triplicar, pois cada grama rende três para a venda final. “É um produto diferenciado, a droga mais pura que existe para a distribuição internacional. A gente chama de ‘droga de grife’, destinada a países da Europa”, comentou o delegado-geral da Polícia Civil de Goiás, Odair José Soares. “Uma ação como essa visa tirar o Estado dessa rota internacional do tráfico. Não vamos permitir que o solo goiano sirva de entreposto para a cocaína”, garantiu.

As duas aeronaves foram apreendidas em Rio Verde e são avaliadas em aproximadamente R$ 600 mil. Entre os oito veículos estão uma caminhonete Ford Ranger, uma Hillux, uma Discovery, Fiat Strada e um Fiat Toro; além de duas motocicletas BMW 1200 e uma Yamaha. Dando continuidade às diligências, os policiais civis apreenderam, em uma chácara no município Itaberaí, três armas de fogo: um revólver .357, uma espingarda .20 e uma pistola .380, além de uma grande prensa, armas de fogo e 15 artefatos explosivos. Com a organização criminosa, durante as buscas, foram encontrados também valores: R$ 20,5 mil em Rio Verde e mais R$ 45 mil, em Itaberaí.