Foto: Lucas Diener

“A força de Goiás foi determinante para escolhermos Goiânia como uma das sedes da Copa do Mundo Sub-17”, diz diretor da Fifa a Ronaldo Caiado

Competição internacional será realizada entre os dias 26 de outubro e 17 de novembro. Torcedor goiano poderá conferir 18 partidas, inclusive uma da seleção canarinho, que vai atrás do tetracampeonato

A força do Estado de Goiás e a pujança do seu futebol foram determinantes para que Goiânia fosse escolhida como uma das sedes da Copa do Mundo Sub-17, que será realizada no Brasil, pela primeira vez, a partir do dia 26 de outubro. A afirmação é do diretor de operações do Comitê Organizador Local da Federação Internacional de Futebol (Fifa), Ricardo Trade, que participou na manhã desta quinta-feira (26/09) de reunião com o governador Ronaldo Caiado e o secretário de Esportes, Rafael Rahif, no Palácio Pedro Ludovico Teixeira.

Durante o encontro, o governador assegurou que a acolhida do povo goiano será um diferencial no evento. “Todo o nosso secretariado estará envolvido para que a Copa aqui seja um sucesso, inclusive com os estádios mais cheios do que em ocasiões similares”, garantiu. Caiado também destacou que uma de suas bandeiras de governo, o combate às desigualdades regionais, encontra em áreas como a inovação e o esporte um caminho aberto para tirar os jovens do mundo das drogas e da criminalidade. “O esporte é, indiscutivelmente, uma grande ferramenta para dar à juventude uma melhor perspectiva na sua formação e no seu caráter, motivando-a cada vez mais para os estudos”, sublinhou.

Envolvido na organização ao lado do representante da Fifa, o secretário de Esportes, Rafael Rahif, explicou como será a estrutura para receber turistas e delegações – em Goiânia, serão 12: Angola, Austrália, Brasil, Chile, Coreia do Sul, Equador, Estados Unidos, França, Haiti, Holanda, Hungria e Nigéria.

“Há todo um trabalho de integração entre todas as secretarias, como a Goiás Turismo, Segurança Pública, Saúde, Educação, entre outros; além dos órgãos da Prefeitura de Goiânia, Polícia Militar, Polícia Rodoviária Federal, áreas de trânsito, para que possamos receber a todos da melhor forma possível”, detalhou Rahif. Ele também adiantou que haverá um local específico, em frente ao Centro de Convenções, para servir de ponto de encontro entre embaixadores e fomentar o turismo.

De acordo com o representante da Fifa, Ricardo Trade, a realização do evento no Brasil deixa um legado para as cidades-sedes da competição – além de Goiânia, foram escolhidas Brasília, no Distrito Federal; e Vitória, no Espírito Santo. “Com dinheiro privado, estamos implantando uma série de melhorias nos estádios, como obras de irrigação no gramado, reforma no setor elétrico, iluminação. Vamos deixar também, de forma permanente, máquinas de corte, material esportivo, dois pares de traves para cada estádio e bancos de reserva”, exemplificou.

Competição
A 18ª edição da Copa do Mundo Sub-17 será realizada entre os dias 26 de outubro e 17 de novembro. Após a desistência do Peru, o Brasil foi anunciado como sede do torneio pela Fifa em março deste ano. Em Goiás, serão realizadas partidas oficiais em dois estádios: o Hailé Pinheiro, do Goiás Esporte Clube, receberá oito jogos, enquanto o Olímpico, de propriedade do Governo Estadual, 10. Os ingressos para as partidas já estão à venda no site da Fifa e nos estádios e tem preços populares, que variam de R$ 5 a R$ 40. A seleção canarinho enfrenta a Angola em solo goiano no dia 1º de novembro, no Estádio Olímpico.

Prestigiaram o encontro de lançamento da Copa Sub-17, em Goiânia, dois jogadores de destaque: o zagueiro campeão da Copa do Mundo de 2002, Lúcio, que é natural de Planaltina; e o atacante Anaílson, conhecido dos goianos por ter levantado a taça pelo Atlético-GO em 2007, 2010 e 2011. Anaílson, que é do Maranhão, também integrou a seleção brasileira sub-17 que conquistou o ouro pela primeira vez em um Mundial, no Egito, em 1997, ao lado de ninguém menos do que Ronaldinho Gaúcho. “O aquecimento dele já era um show com a bola”, brinca o jogador que, na época, atuava como ponta esquerda da seleção.

Tricampeão Sub-17, o Brasil conquistou o Mundial da categoria pela última vez em 2003, numa geração que contava com nomes como o volante Arouca (ex-Santos e Palmeiras e atualmente no Vitória), o meia Evandro (hoje no Santos) e o atacante Ederson (ex-Lyon, Lázio e Flamengo).

Também estiveram presentes no evento no Palácio os secretários Adriano Rocha Lima (Desenvolvimento Econômico e Inovação); Rodney Miranda (Segurança Pública) e Valéria Torres (Comunicação); o presidente da Agência Municipal de Turismo, Urias Júnior; o presidente da Federação Goiana de Futebol, André Pitta; o diretor de Operações do Goiás Esporte Clube, Aledino Montes; além de vários gerentes, superintendentes e assessores da Secretaria Estadual de Esporte e Lazer.