Foto: Vinícius Schmidt

Governador Ronaldo Caiado defende produção sustentável no agronegócio

Governador ressaltou o protagonismo do setor rural e defendeu linha de crédito mais barata para produtores. Goiás teve produção recorde no País na safra 2018/2019, com crescimento de quase 16%, o triplo do índice nacional

“Peço a vocês que avancemos cada vez mais na nossa produtividade e no nosso respeito ao meio ambiente, demonstrando que somos capazes de produzir e, ao mesmo tempo, um País que se preserva.” Foi com um discurso de produção sustentável que o governador Ronaldo Caiado participou nesta sexta-feira (13/09) do Seminário “O Protagonismo do Agro em Goiás”, evento promovido na Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa). Segundo o chefe do Executivo, o setor é referência pela qualidade da produção e produtividade por hectare. “Goiás, hoje, passa a dar aula a muitos outros estados que tinham essa prerrogativa de maiores produtores de grão”, completou.

Para avançar no setor de agronegócios no Estado, o governador defendeu que o Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) tenha melhor distribuição no Estado, servindo aos produtores rurais para que tenham maior suporte, já que outras linhas de crédito são bem mais onerosas do que o FCO. “Estamos trabalhando fortemente com essa nova mentalidade em poder servir ao que sempre foi [o objetivo], que é combater a desigualdade e [servir] as pessoas que não têm a facilidade de crédito por não ter todas aquelas garantias exigidas em outros contratos”, salientou Caiado.

De acordo com o secretário Antônio Carlos de Lima, o setor agropecuário tem grande força no Centro-Oeste brasileiro e, em Goiás, é determinante na alavancagem da economia. Ele citou os dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que mostram que a safra 2018/2019 apresentou crescimento de 15,6% em relação ao ano passado. Uma produção recorde no País, que teve uma taxa de crescimento de 5%. “Goiás mais uma vez é referência”, sublinhou o secretário.

Os bons números se refletiram também na geração de empregos. Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), de janeiro a junho deste ano, demonstram que o setor agropecuário foi responsável pela abertura de mais de 8.700 vagas, o que significa 31% das postos de trabalho no Estado. O setor só perde para o segmento de serviços. “Sem dúvida nenhuma grande parte dessas vagas ocupadas pelo serviço se move em função de todo desenvolvimento do agronegócio do Estado de Goiás”, salientou Antônio Carlos.

O Seminário “O Protagonismo do Agro em Goiás” contou com a participação de especialistas dos setores econômico, jurídico e agropecuário para discutirem perspectivas, proteção, profissionalização, governança, gestão financeira e políticas públicas voltadas ao fortalecimento do agronegócio. Foram apresentadas ferramentas essenciais para a promoção e a profissionalização da atividade rural para otimizar gestão, ampliar a competitividade, além de melhorar as relações entres empresários rurais, órgãos de regulação e Estado. A expectativa é proporcionar ganhos expressivos de produtividade, ampliando a contribuição para a economia do Brasil.

Segurança
Caiado também citou o trabalho da Patrulha Rural Georreferenciada, criada para combater o avanço do crime na área rural. “A Patrulha dá suporte aos produtores, principalmente no período de plantio, quando há assalto a sementes, adubos e roubo de máquinas agrícolas. Estamos com uma intensidade maior e, com isso, derrubando o maior número de quadrilhas em Goiás”, frisou.

No evento, o governador ainda ressaltou outros compromissos com o setor do agronegócio, como o de não criar novas taxas e impostos “para não colocar a mão do bolso do produtor”. Destacou também que 25 mil propriedades rurais ainda estão sem energia e que tem trabalho para que a Enel melhore o serviço e citou que conseguiu fechar acordo para que a empresa antecipasse os investimentos no Estado. Ronaldo Caiado pediu para os produtores que entem em contato com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), estatal que fiscaliza e regular o setor, em caso de má prestação de serviço, já que a empresa está sendo avaliada no cumprimento de um plano apresentado ao Estado e à Agência.

Na área de logística, Caiado citou também que esse os produtores terão em breve um novo modal de transporte disponível para ajudar no escoamento da produção e reforçou o compromisso do Governo Federal que quer duplicar a BR-153 a partir de Anápolis até a divisa com o Tocantins. Lembrou que a rede Itego (Institutos Tecnológicos de Goiás) está à disposição do setor para realizar pesquisas para o aprimoramento da produção.

O seminário também contou com a participação da secretária de Meio Ambiente, Andréa Vulcanis; os presidentes José Essado (Agrodefesa) e Pedro Leonardo Rezende (Emater); e o superintendente Estadual do Banco do Brasil, Felipe Zanella.