Foto: Lucas Diener

Governo e FNDE farão força-tarefa para destravar obras e promover melhorias na Educação

Em reunião com o governador, novo presidente do Fundo garantiu empenho para acabar com o quarto turno, no Entorno de Brasília, e para retomada de obras paralisadas na rede estadual de ensino

Sintonia total entre o Governo de Goiás e o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), com objetividade e eficiência na Educação. Esse foi o pedido do governador Ronaldo Caiado, juntamente com a secretária de Estado da Educação, Fátima Gavioli, e o Secretário-Chefe da Secretaria-Geral de Governo do Estado de Goiás, Fábio Cammarota, ao receber na manhã desta quinta-feira (26/9) a visita do novo presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), o advogado goiano Rodrigo Sergio Dias, nomeado para o cargo no último mês de agosto.

“Queremos transmitir nosso muito obrigado ao apoio que nós estamos tendo no FNDE para ampliarmos as construções das nossas salas de aula, para acabar definitivamente com o 4º turno no Entorno de Brasília, ampliar a nossa qualidade e também as reformas das nossas escolas, tudo isso com o apoio do Governo Federal, aqui trazido pelo doutor Rodrigo, em nome do ministro e também em nome do presidente Jair Bolsonaro”, afirmou o governador ao final do encontro, que já trouxe resultados.

Uma nova reunião já está confirmada para o início da próxima semana, para agilizar a formação de um grupo de trabalho com membros da Seduc e do FNDE, no intuito de criar uma força tarefa para resolver os problemas enfrentados pela rede estadual, para que todas as crianças do Estado possam ter uma educação de qualidade. “Vivo um quadro emergencial. Quero ações pragmáticas e concretas. Saímos da fase de pagar contas atrasadas de dezembro e agora o Estado tem que sair da inércia”, cobrou Caiado.

O novo presidente do FNDE afirmou que o governador lhe passou uma impressão muito resolutiva, afinado com o presidente da República, Jair Bolsonaro, e com o ministro da Educação, Abraham Weintraub. Rodrigo se colocou à disposição dos gestores goianos. “O Governo Federal vai enviar todos os esforços para que Goiás possa ser referência na Educação nacional. A principal demanda é que a gente acabe com o 4º turno no Entorno do Distrito Federal e que as crianças tenham educação de qualidade em toda a região”. Quanto a essa questão, Fátima Gavioli afirmou que o chamado “turno da fome” já foi eliminado em três escolas em Águas Lindas e quatro em Luziânia. “Até o início do ano, com certeza, nós vamos extinguir o itinerário”, garantiu a secretária.

Animada com o novo aliado na esfera federal, Gavioli afirmou que Goiás tem sido prestigiado pelo FNDE com o envio de recursos financeiros. “Rodrigo acaba de divulgar que, ainda nesta semana, ele está repassando mais R$ 42 milhões para melhoria das escolas, com os quais daremos andamento a obras e quadras paralisadas. Estas fazem parte do PAC [Programa de Aceleração do Crescimento] e infelizmente não têm recurso financeiro, mas eles vão buscar verba através da Petrobras, com o dinheiro que está sendo devolvido da Lava Jato”, animou-se.

Também estiveram presentes o Chefe de Representação de Goiás no Distrito Federal, Breno Moreira; assessor do Ministério da Educação, Edmilson Kul; e os assessores técnicos da Seduc, Douraídes Sousa Ribeiro Chaves, Carlos Neuclima, Jarmund Júnior e Lea Barcelos.

Perfil
Natural de Goiânia, Rodrigo Sérgio tem 35 anos. É graduado em Direito pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, em 2008, e pós-graduado em Direito Eleitoral pela Escola Paulista de Direito, em 2012. Na bagagem profissional, o advogado acumula experiência em diversos cargos no serviço público. Já atuou como presidente da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), como diretor administrativo financeiro e presidente do conselho de administração da Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô-SP) e ainda como assessor técnico e como secretário parlamentar na Câmara dos Deputados.

Já o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) é uma autarquia federal vinculada ao Ministério da Educação (MEC) responsável pela maioria das ações e programas da educação básica do País, além de atuar também na educação profissional, tecnológica e na educação superior. As competências vão desde projetos de melhoria da infraestrutura das escolas à execução de políticas públicas.

Entre os principais programas estão: Alimentação Escolar (PNAE), Programa Nacional de Reestruturação e Aquisição de Equipamentos para a Rede Escolar Pública de Educação Infantil (Proinfância), Caminho da Escola, Dinheiro Direto na Escola (PDDE), Programa Nacional do Livro e Material Didático (PNLD), Programa Banda Larga nas Escolas e Plano de Ações Articuladas (PAR).

Além dos programas, o FNDE é responsável por repasses do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e Salário Educação a estados e municípios. A previsão orçamentária da autarquia para o ano de 2019 é de cerca de R$ 52 bilhões.