Foto: Lucas Diener

“Maior programa social que pode haver é gerar emprego”, afirma governador na assinatura dos primeiros contratos do Goiás Empreendedor

Meta é atender a 14 mil novos pequenos e médios empresários até o final de 2020. Hoje, mais de R$ 6,7 milhões já foram disponibilizados, alcançando 47 segmentos econômicos e mais de 20 cidades goianas

Com o objetivo de fomentar o pequeno empreendedor que deseja criar o seu próprio negócio, gerar empregos e impulsionar a economia, o governador Ronaldo Caiado assinou os primeiros 80 contratos entre pequenos empreendedores do Programa Goiás Empreendedor. A solenidade, realizada nesta quinta-feira (19/9) no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, contou com a presença do vice-governador Lincoln Tejota, do secretário Wilder Morais e do presidente da GoiásFomento, Rivael Aguiar. “O maior programa social que pode haver é gerar emprego, para que a pessoa ganhe dignidade e possa crescer de acordo com o seu potencial e a sua atividade. Quando vejo isso se transformar em realidade, tenho ainda mais certeza que vamos diminuir as desigualdades regionais”, destacou Caiado.

Empresário no ramo da saúde em Goiânia, Alexandre Monteiro Pena foi beneficiado com empréstimo de R$ 50 mil. Com o valor, irá investir em equipamentos para a sua clínica. “Esse é um excelente incentivo, faz crescer a empresa e também o Estado. É de suma importância o governo nos oferecer um financiamento com taxas tão acessíveis”, apoiou.

O Goiás Empreendedor conta com R$ 150 milhões, que são utilizados em várias linhas de crédito, como microcrédito, Crédito Produtivo e Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO). Em alguns casos não são cobrados juros dos tomadores de empréstimo. Com o programa já foram gerados 611 empregos diretos. Os empréstimos estão na ordem de R$ 6.744 milhões, atendendo a 47 segmentos em mais de 20 cidades.

“É como nós médicos dizemos, é uma aplicação direta na veia”, comparou Caiado, ao considerar a rapidez do impacto de se priorizar os micro e pequenos empresários, uma vez que os retornos dos investimentos nas grandes empresas são mais burocráticos e de longo prazo. “Eles estão pegando o dinheiro hoje e amanhã já estarão trabalhando, montando a estrutura deles e já produzindo esse resultado de ampliar a sua própria capacidade gerencial”, completou.

O governador também aconselhou aos contemplados que “não caminhem pela improvisação”. “Busquem uma assessoria, seja da Secretaria da Indústria e Comércio, que vai fornecer pessoas qualificadas, seja Sebrae, Sesc, Senac, enfim, cada um na sua área. Mas tenham humildade de deixar que eles opinem sobre as metas de cada um, sobre como avançar, para não dar o passo maior que as pernas, dentro de um processo progressivo e que seja cada vez mais sustentável”, sugeriu.

Na avaliação do secretário de Indústria, Comércio e Serviço, Wilder Morais, esse é um dos grandes programas do Governo de Goiás, que leva recurso a micro e pequeno empresários principalmente nas cidades pequenas. “Não vamos conseguir industrializar o Estado inteiro, mas vamos fazer com que o emprego e renda possam acontecer nos 246 municípios do Estado de Goiás”, garantiu. Ainda segundo Wilder, a meta é atender 14 mil novos pequenos e médios empresários do Estado de Goiás até o final de 2020.

O secretário diz ter como exemplo a sua cidade natal. “Venho de uma cidade pequena, Taquaral, e sei da importância do crédito para minha cidade, ajudando as pessoas a comprarem suas máquinas de costura. Ao longo do tempo, o município se transformou no maior pólo de confecções de moda íntima do Estado de Goiás. Assim foi dado o primeiro passo e cabe a nós, do governo, dar essa oportunidade”. Para o vice-governador Lincoln Tejota, o grande mérito do governo em pouco mais de oito meses é conseguir dar respostas com agilidade. “A população quer soluções rápidas e definitivas para problemas históricos. Ninguém mais tolera ver dinheiro público mal aplicado. Nunca se fez tanto com o mesmo ou com menos”, afirmou.

Vantagens
Segundo Rivael Aguiar Pereira, presidente da GoiásFomento, as vantagens são várias. A primeira delas é uma taxa de juros que inexiste no mercado, e que varia de zero a 0,5% ao mês no microcrédito. Isso depende da faixa de valor, que varia de R$ 500 a R$ 50 mil. Outros diferenciais são o tempo de carência para o pagamento, que pode chegar a seis meses, e o prazo de parcelamento que pode chegar a 36 meses. “Além disso, temos o crédito assistido no qual o solicitante do empréstimo recebe um acompanhamento gratuito e orientação para fazer uma boa gestão do seu negócio”, completou Rivael.

Desde julho, quando foi implantado o programa, 3.350 pessoas já buscaram informações. Os primeiros contratos indicam uma variação muito grande de atividades empresariais que buscam o suporte da GoiásFomento.

Dentro do Goiás Empreendedor já foi realizada a primeira edição da Caravana do Empreendedor, momento em que toda a estrutura da SIC e da GoiásFomento, juntamente com as empresas do Sistema S, parceiras do projeto, se deslocam para cidades do interior para promoção do programa. A primeira versão da Caravana foi realizada em Águas Lindas, no Entorno do Distrito Federal. A segunda está marcada para a cidade de Rio Verde e será realizada nos dias 4 e 5 de outubro.

Também estiveram presentes os secretários Antônio Carlos Neto (Agricultura, Pecuária e Abastecimento), Edival Lourenço (Cultura), Valéria Torres (Comunicação); o chefe de Gabinete de Gestão da Governadoria, Lyvio Luciano; os presidentes Fabrício Amaral (Goiás Turismo), José Essado (Agrodefesa) e Pedro Leonardo (Emater); o vice-presidente da Agehab, Luiz Sampaio; os deputados estaduais Cairo Salim, Chico KGL, Rubens Marques, Vinícius Cirqueira, Zé Carapó; ex-deputado Leandro Sena; o presidente da Acieg, Rubens Fileti; além de representantes da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), Antônio Almeida, e da Fecomércio, Marcos Vilela; o superintendente Marks Louzada (Banco do Povo); os prefeitos Wilson Júnior (Gameleira), Daniel Vieira Ramos (Bom Jesus) e Haroldo Naves (Campos Verdes), que é ainda presidente da Federação Goiana de Municípios (FGM).