Foto: Hegon Corrêa

Governador alerta mulheres sobre necessidade de realização periódica de exames

Caiado destacou importância do diagnóstico precoce no combate ao câncer de mama. Com regionalização da Saúde, ele quer garantir avanços na oferta de atendimentos e exames a toda a população

Em sua já habitual prestação de contas à população goiana nos programas O Mundo em sua Casa e Fala Goiás em Rede, transmitidos pelas rádios Brasil Central AM e RBC FM, o governador Ronaldo Caiado reafirmou que a Saúde é uma das prioridades do seu governo. No mês em que se realiza a campanha nacional Outubro Rosa, que reforça a importância da prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama, o governador fez questão de alertar as mulheres goianas sobre a necessidade da realização periódica de exames.

“Outubro é o mês para nós alertarmos todas as mulheres para que façam os exames, que vejam se existe algum risco, e que mantenham isso na rotina: a cada ano, fazer o exame de mama ou, se necessário, a mamografia, para que possamos preservar a sua vida e a sua saúde”, alertou o governador.

Caiado anunciou ainda que, amanhã, um novo posto de atendimento do Ipasgo será inaugurado em Aparecida de Goiânia. A ideia é que esses postos priorizem, a partir de uma nova metodologia, atendimentos pediátricos e ginecológicos. “Nós vamos começar a implantar essas estruturas do Ipasgo, de acordo com as carências maiores que nós temos, e as maiores carências detectadas foram na área da pediatria e também no atendimento à mulher”, ressaltou.

O governador reconheceu que o acesso a mamógrafos na rede pública de Saúde ainda é insuficiente, principalmente no interior do Estado, mas garantiu que o projeto de regionalização da Saúde, por meio da instalação de policlínicas nas regiões mais carentes de Goiás, será um enorme avanço na oferta de atendimentos e exames à população de baixa renda, incluindo mamografias para o diagnóstico precoce do câncer de mama.

O governo também tem firmado convênios com hospitais na capital e no interior do Estado, como é o caso da Santa Casa de Misericórdia de Goiânia, que passa a receber R$ 2 milhões por mês para a realização de cirurgias eletivas – cirurgias cardiovasculares, vasculares e urológicas. “Nós concentramos [as cirurgias eletivas] na Santa Casa e fizemos um convênio. Já estamos pagando R$ 2 milhões por mês para avançarmos nesse atendimento. Agora, antes disso, já abrimos um convênio com a Santa Casa de Catalão e com o Hospital São Pedro de Alcântara, na cidade de Goiás, que estava fechado. Também já abrimos um convênio com o Hospital Padre Tiago, na cidade de Jataí, única cidade fora da região metropolitana de Goiânia que faz cirurgia oncológica”, destacou.

Reestruturação da UEG
Questionado sobre os primeiros 15 dias de atuação do procurador do Estado, Rafael Borges, como reitor interino da Universidade Estadual de Goiás (UEG), Caiado ressaltou que Borges assumiu a reitoria com o compromisso de não fechar nenhuma sala de aula e de fazer uma reforma nos custos da universidade. Outra exigência foi a garantia da realização do vestibular 2020, cujo edital será anunciado no próximo dia 7. “Teremos o vestibular, com abertura de 3.800 vagas, incluindo todos os cursos que a universidade apresenta hoje”, garantiu.

Caiado enfatizou que o Conselho Universitário da UEG deve se debruçar no compromisso de reformar as estruturas da universidade. “Não é possível que a UEG continue sendo uma entidade que não tem controle de gastos”. De acordo com o governador, o orçamento da instituição para 2019, aprovado em 2018, portanto antes de ele assumir o governo, foi de R$ 204 milhões. Entretanto, R$ 244 milhões já foram repassados à UEG este ano, ou seja, R$ 40 milhões a mais que o determinado. Apesar disso, a UEG tem hoje uma previsão de gastos de R$ 317 milhões, o que vem inviabilizando a sua gestão. “Nós temos que cortar na carne, nós estamos vendo a crise em que estamos vivendo, não adianta querermos viver uma irrealidade”, avaliou.

Mudanças no governo
Sobre as mudanças no secretariado, anunciadas ontem, o governador afirmou que é um trâmite normal no exercício de um mandato e defendeu a escolha da ex-senadora Lúcia Vânia para assumir a Secretaria de Desenvolvimento Social. “São mudanças que nós vamos fazendo, vamos substituindo de acordo com a necessidade. Não existe um governo engessado. Tenho certeza de que ela vai fazer um belo trabalho”, declarou.

Outro tema abordado foi a previsão do aumento de ocorrências de quedas de energia por conta do período chuvoso que se aproxima. Caiado incentivou a população a denunciar qualquer queda de energia no Estado. Para o governador, os dados levantados por meio das reclamações dos consumidores servirão como mais um alerta ao Governo Federal sobre a má qualidade do serviço ofertado pela Enel em Goiás.

“É briga grande e eu estou disposto. Tenho feito reuniões mensais com a Enel, junto com a Agência Nacional de Energia Elétrica – Aneel, cobrando resultados. Agora, são anos e anos de sucateamento. Anos e anos que não fizeram nada. Isso tudo vai me ajudar muito com esse enfrentamento”, avaliou. O número da ANEEL para o registro de reclamações é o 167.