Hegon Correa

Em reunião com ministro, Caiado destrava obras de duplicação e adequação de 850 km de rodovia entre entre Goiás e Tocantins

Considerada pelo governador Ronaldo Caiado como a coluna vertebral do Estado, a BR-153/080/414/GO/TO receberá obras entre as cidades de Anápolis (GO) e Aliança do Tocantins (TO)

A tão esperada duplicação da rodovia que liga Goiás a Tocantins, no trecho entre as cidades de Anápolis (GO) e Aliança (TO) – a BR-153/080/414/GO/TO – finalmente vai sair do papel. Durante uma audiência pública sobre o tema, realizada na cidade de Porangatu, no Norte do Estado, nesta sexta-feira (1/11), o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, assegurou 850 quilômetros de concessão entre os dois municípios. Como destacou o governador Ronaldo Caiado, a concessão é um sonho para Goiás e para o Estado vizinho. Reflexo disso, foi a participação massiva da população na solenidade. “É a duplicação de uma rodovia fundamental para Goiás. Ela é um eixo, ela é exatamente a coluna vertebral do Estado”, ressaltou.

Caiado sublinhou que a concessão da rodovia, assim como as obras das ferrovias Norte-Sul e Centro-Oeste, reflete a política adotada pelo presidente Jair Bolsonaro, por meio do trabalho do ministro Tarcísio Freitas. “Nós sabemos da celeridade e da seriedade como ele trata as coisas. Nós vimos como foi com a ferrovia Norte-Sul, assim será com a BR-153 e, em 2020, nós já teremos, se Deus quiser, uma licitação, um contrato assinado e as obras iniciadas”.

O ministro da Infraestrutura fez questão de enaltecer o trabalho da bancada goiana no Congresso Nacional. Segundo ele, o remanejamento de recursos feito em conjunto com os parlamentares goianos foi fundamental para as ações do Ministério no Estado. “Goiás tem parlamentares profissionais. O Estado deve se orgulhar dos parlamentares que tem. Eu queria render a minha homenagem à bancada federal do Estado de Goiás. E agora, na elaboração do orçamento 2020, está nos contemplando com mais recursos para a manutenção de obras importantes, e podem estar certos, o Ministério da Infraestrutura vai honrar o esforço, o compromisso da bancada, fazendo obras de manutenção, colocando a malha do Estado de Goiás em boas condições, trazendo a estrutura para o Estado”, garantiu.

A concessão deve trazer R$ 13 bilhões em investimentos, sendo R$ 7,5 milhões em investimentos de duplicação, ampliação e construção de passarelas, e R$ 5,5 bilhões em operação. A concessão inclui 670 quilômetros de duplicação, além da adequação da capacidade nos demais trechos de acordo com a crescente necessidade da região. “Pegamos a BR-153, um trecho ao sul da BR-414 e da BR-080. As receitas geradas pela concessão e serviços produzidos vão gerar impostos sobre serviços e arrecadação de ISS [Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza] para os municípios e se reverter em outras políticas públicas. O municípios vão arrecadar quase R$ 1,5 bilhão em ISS”, salientou.

Ainda de acordo com o ministro, o modelo de contrato elaborado pelo ministério para a concessão da BR-153 é muito mais técnico e elaborado, garantindo que dessa vez o projeto, que já esteve sob concessão mas não foi executado, seja realmente entregue. “Estamos construindo um contrato moderno, estamos muito confiantes de que o leilão será extremamente bem sucedido, leilão que deve ocorrer no final do primeiro semestre do ano que vem, mais tardar no início do segundo semestre”, anunciou.

O governador do Tocantins, Mauro Carlesse, defendeu que a obra seja iniciada nas duas pontas. “Isso seria muito justo, seria fundamental para que o nosso Tocantins, ao mesmo tempo, fosse construído junto com Goiás”, observou. Para ele, a obra é garantia de desenvolvimento para a região, para que os dois Estados se posicionem como “celeiros agrícolas, industriais e empresariais do Brasil”.

Autor do requerimento para audiência pública e condutor do processo, o deputado federal José Nelto destacou que há 30 anos a população espera a duplicação da rodovia. “Isso é um desejo, um sonho do povo goiano essa audiência pública com a presença de governadores e, o que é mais importante, com a população acreditando. E essa rodovia que, pra mim, é a veia artéria do Brasil, de Goiás, será realizada”, comemorou.

Rodovia da Morte

Convidado a falar em nome dos caminhoneiros que trafegam pela BR-153, o vereador por Porangatu, Cleuci Rodrigues, lembrou que a rodovia é considerada uma das mais perigosas do País. “Só quem coloca um caminhão em uma rodovia como essa, que já foi denominada ‘Rodovia da Morte’, sabe a importância dessa audiência pública. Nós vemos aqui a oportunidade da realização de um sonho de mais de 30 anos”.

O prefeito de Porangatu, Pedro João Fernandes destacou que, de acordo com levantamento elaborado pela Configuração Nacional de Transporte, 2.176 acidentes com vítima foram registrados apenas no ano de 2018, o que corresponde a cerca de seis acidentes com vítima por dia. O mesmo levantamento apontou 250 mortes por acidente de trânsito na BR-153 no mesmo ano. Isso representa a perda de uma vida por dia.

“Esses dados fazem com que a BR-153 se torne uma das rodovias mais violentas do nosso País. Nossa necessidade é urgente. Precisamos da duplicação já. Esta rodovia foi construída há mais de 50 anos, já não atende mais a atual demanda. O mundo evoluiu, a tecnologia trouxe novas possibilidades de negócio, crescem as importações, nas mesmas proporções, elevam-se as exportações. Existem mais caminhões levando ou trazendo cargas de diferentes lugares do nosso País”, frisou.

A Concessão terá um prazo de 30 anos e envolve a exploração de infraestrutura e prestação de serviço público de recuperação, conservação, manutenção, ampliação de melhorias e ampliação de capacidade. Serão impactados diretamente 38 municípios nos dois estados.

A BR-153 é a principal ligação entre o Meio-Norte do Brasil (Tocantins, Maranhão, Pará e Amapá) e a Região Centro-Sul do país. Atualmente, é considerada uma das principais rodovias de integração nacional.

Também participaram da audiência pública o vice-governador do Tocantins, Wanderlei Barbosa; o senador Luiz Carlos do Carmo; os deputados federais Glaustin da Fokus e José Mário Schreiner; os deputados estaduais Paulo Trabalho, Cairo Salim, Wagner Neto e o deputado estadual pelo Tocantins Gleydson Nato; o secretário da Casa Militar, tenente-coronel Luiz Carlos de Alencar; a presidente da Ceasa, Vanusa Valadares; o secretário nacional interino de Transportes Terrestres, Marcello da Costa; o vice-prefeito de Porangatu, Moacir Ciriaco; o diretor da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Rafael Benine; o presidente do Sindicato Rural de Porangatu, Carlos Garcia; o presidente da Associação Comercial, Industrial e Agropecuária de Porangatu (ACIAP), Fernando Pessoa; além de vereadores de Porangatu e prefeitos da região Norte do estado e do Tocantins.