Foto: Lucas Diener

“Goiás não será governado por Roma ”, afirma governador sobre Enel

Caiado convocou população a levar aos órgãos estaduais dados sobre prejuízos causados pela multinacional italiana. Compilado de documentos e informações será enviado à Presidência da República e ao Ministério de Minas e Energia. Além disso, Ronaldo Caiado pretende sancionar lei – cujo projeto está em tramitação no legislativo e que permite o rompimento do contrato – na porta da empresa

“Goiás não vai ser governado por Roma, vai ser governado pelo governador Ronaldo Caiado. Tenho garantias constitucionais e não posso admitir que qualquer empresa imponha prejuízos de tamanha ordem como eles [Enel] estão impondo a todos os goianos neste período”. A defesa ferrenha do direito dos goianos é compromisso de Caiado, que fez uma convocação à população: “Todo cidadão, seja do município mais distante, venha para cá [até os órgãos estaduais competentes], com o relatório sobre qual foi seu prejuízo em decorrência da perda de energia em seu município”.

O governador Ronaldo Caiado fez o pedido nesta quinta-feira (21/11), após o lançamento do Pacto Goiano pelo Fim da Violência Contra Mulher, no Palácio da Música do Centro Cultural Oscar Niemeyer (CCON). Depois de inúmeras tentativas do Governo de Goiás em fazer com que a Enel Distribuição preste o serviço de distribuição de energia elétrica no Estado com qualidade, na semana passada o governador anunciou que se esgotaram todas as possibilidades de negociação com a empresa. Além disso, Caiado também aguarda votação do projeto de lei de autoria de deputados estaduais para rompimento de contrato entre Estado e Enel.

“A filha de um amigo ficou mais de 12 horas com o gerador funcionando, e incendiou, até voltar a energia elétrica. Ela perdeu 46 mil frangos. Estou citando um prejuízo, mas são milhares. Quero que todos os goianos nos tragam o nome, identidade, sua propriedade, comércio, seu aparelho”, destacou Ronaldo Caiado.

Os documentos e relatórios poderão ser entregues na Controladoria-Geral do Estado (CGE), no Procon Goiás e na Procuradoria-Geral do Estado (PGE) para que o Governo de Goiás faça um compilado dos danos causados pela ineficiência do serviço da Enel. Em seguida, o relatório será encaminhado à Presidência da República e ao Ministério de Minas e Energia.

“As medidas serão tomadas, com toda a responsabilidade, e eu quero que todos os goianos tragam [os documentos] para mostrarmos os milhões de reais que foram assaltados do Estado de Goiás, com as tarifas e, depois, com os prejuízos”, ressaltou Caiado. Segundo o governador, será promovido ainda um grande evento para demonstração dos danos. “Vamos sancionar a lei na porta da Enel, com todas as pessoas levanto também suas queixas”.