Foto: Vinícius Schmidt

Caiado ressalta importância do Iphan para preservação da cultura e da história de Goiás

O governador participou da inauguração da nova sede do Instituto, nesta sexta-feira, 14. Prédio da década de 1930 foi restaurado e vai possibilitar maior integração com a população

Com o maior acervo Art Déco do País, Goiânia recebe agora a sede própria da Superintendência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em Goiás (Iphan-GO), localizada na Praça Cívica, no Centro. O prédio, da década de 1930, abrigava a antiga Delegacia Fiscal e foi totalmente restaurado. A inauguração das novas instalações do Iphan, na noite desta sexta-feira, 14, contou com a presença do governador Ronaldo Caiado e do prefeito de Goiânia, Iris Rezende. Durante o discurso, o governador elogiou o trabalho desenvolvido pelo Iphan e reforçou a necessidade de fazer com que as pessoas entendam mais sobre a história cultural da capital e do Estado. Para ele, só assim será possível manter a preservação dos patrimônios.

“Primeiro, temos que focar bastante na educação para que as crianças entendam a importância desses prédios, para que sejam sabedores do que nossos antepassados fizeram. O conjunto arquitetônico goiano é algo que não existe em nenhum lugar do Brasil”, afirmou Caiado, citando as belezas naturais de Goiás e os profissionais que atuam na preservação da cultura e da história do Estado.

Em relação às diversas obras realizadas em Goiânia, Iris Rezende ressaltou as parcerias entre a administração municipal e o Instituto desde o início de sua carreira política. “O Iphan tem sido luz que revela símbolos importantíssimos da história de cada um de nós”, e concluiu: “Compartilhamos o desejo de desenvolvimento contínuo de todos os aspectos culturais da cidade, o desejo e a preocupação da preservação histórica que vai balizar junto do desenvolvimento social”.

Segundo o presidente interino do Iphan, Robson Antônio de Almeida, a expectativa é de que a nova sede traga também mais interlocução entre a instituição e toda a comunidade, principalmente quando se trata de atendimento e qualificação de estudantes, além de parceiros institucionais. “Hoje, nós temos aqui mais um equipamento cultural para Goiânia, onde o Iphan trabalha, mas também conversa com a sociedade”, disse. A aproximação com o poder público, conforme o presidente interino, também é fundamental para que o Iphan faça “parte do desenvolvimento das cidades, sempre preservando o patrimônio cultural brasileiro”, pontuou.

Nesse sentido, o superintendente do Iphan de Goiás, Allyson Cabral, endossou as palavras do governador sobre a necessidade de popularização do conhecimento cultural. “A maioria dos estudantes não têm noção de que Goiás possui um dos maiores sítios arqueológicos do Brasil. Quanto mais dedicarmos às pessoas, mais conseguiremos preservar o patrimônio. Esse patrimônio é a história de cada um”, reiterou o superintendente.

A nova sede do Iphan em Goiás foi batizada de Casa do Patrimônio Belmira Finageiv, em homenagem à arquiteta pioneira na preservação do Patrimônio Histórico e Cultural da região Centro-Oeste. “Dona Belmira foi uma grande professora. Esta é uma justa homenagem à arquiteta, com quem nós muito aprendemos e a quem muito devemos”, declarou Robson Almeida.

A estrutura trouxe uma série de benefícios ao Instituto, como a redução de custos, já que a instituição não terá mais despesa com aluguel; melhor acondicionamento dos servidores, do laboratório de arqueologia, do acervo documental e bibliográfico, que terão uma área específica para o atendimento ao público, com ambientes acessíveis.

Nova sede

Localizado no anel externo da Praça Cívica, o prédio possui elementos e traços marcantes do estilo Art Déco. A estrutura também integra o conjunto de prédios públicos que ocuparam posição de destaque no traçado inicial da cidade. Ao todo, foram investidos R$ 11,5 milhões para a restauração, cujas obras duraram quatro anos.

A reforma foi realizada em quatro etapas: demolição dos anexos construídos ao longo do tempo; reforço estrutural e da cobertura; restauração do edifício principal, com valorização do estilo arquitetônico presente nos pisos, esquadrias, luminárias, gradis das janelas de ferro e demais elementos decorativos; além da construção de um novo anexo, composto por auditório, salão de exposição e espaço de eventos.

Agora, o prédio passa a ter dois acessos, tanto pela Praça Cívica quanto pela Avenida Araguaia, interligando a construção já existente com a nova. As obras ainda resgataram as áreas verdes iniciais do prédio dispostas no pátio central e no recuo para a Avenida Goiás.

Obras em Goiás

O Instituto gestor dos patrimônios material e imaterial já investiu R$ 30 milhões em obras na Cidade de Goiás, antiga capital do Estado que é patrimônio mundial da humanidade pela Unesco. Em parceria com o Governo de Goiás, o Iphan também tem realizado reformas em outros prédios históricos, como o conjunto arquitetônico da Praça Cívica formado pelos prédios da antiga Chefatura de Polícia que já está em avançado estágio de recuperação, o Coreto e o Relógio.

Também participaram da inauguração o vice-governador, Lincoln Tejota, o secretário Adriano Baldy (Cultura); o presidente Fabrício Amaral (Goiás Turismo); prefeitos Selma Bastos (Goiás) e Wilton Barbosa (Posse); o procurador do Estado, Anderson Máximo; o comandante do Corpo de Bombeiros, Coronel Esmeraldino Lemos; a coordenadora técnica do Iphan em Goiás, Beatriz Otto Santana; além de servidores do Instituto, secretários municipais e vereadores.